junho 2017

jun 29

Globe Theatre, em Londres, onde Shakespeare apresentou suas peças, é destruído por um incêndio

O teatro The Globe ou Globe Theatre , onde muitas da peças de Shakespeare foram apresentadas pela primeira vez, foi destruído por um incêndio em um dia como este, no ano de 1613. O local foi reconstruído em 1614 e fechado em 1642. Uma moderna construção foi erguida e reinaugurada em 1997, chamada de Shakespeare s Globe Theatre ou New Globe Theatre. O The Globe foi construído pela companhia de teatro de Shakespeare, a Lord Chamberlain´s Men, em 1599, das vigas do primeiro teatro permanente da história de Londres, o Burbage, erguido em 1576. Antes de James Burbage erguer o seu teatro, peças e outras obras dramáticas eram apresentadas nas esquinas das ruas e nos pátios de pousadas. Contudo, a partir de 1574, era preciso ter uma licença para apresentações teatrais nas pousadas da cidade. Para fugir desta restrição, o ator James Burbage construiu seu próprio teatro em uma terra que ele estava arrendando fora dos limites da cidade. Quando o contrato de arrendamento terminou, a Lord Chamberlain´s Men, moveu as vigas para um novo lugar e criou o The Globe. Assim como outros teatros da sua época, o The Globe consistia em uma estrutura de madeira em torno de um palco ao fundo, coberto com sacadas para os mais abastados. As galerias poderiam acomodar em torno de mil pessoas sentadas, com espaço para outras duas mil, que poderiam ficar em pé, no piso do térreo, em torno do palco. A Lorde Chamberlain´s Men construiu mais tarde um teatro menor, o Blackfriars, em 1608, com capacidade para 700 pessoas sentadas, que era usado no inverno, já que The Globe, sob céu aberto, eram impraticáveis as performances nesta época do ano.

 


Imagem: GaryReggae [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons

29.Jun.0613
Ler mais
leer menos

Faleceu Dionisio Ridruejo

Dionisio Ridruejo foi um poeta e intelectual espanhol, um dos mais genuinos da poesia latino americana. Nasceu em 12 de Outubro de 1912 e faleceu em 29 de Junho de 1975. Sua lírica é testemunhal e intimista, de corte clássico e seus motivos movem-se em torno do tema amoroso, a natureza, os sentimentos religiosos e patrióticos ou à arte e à literatura. Discípulo do poeta espanhol Antonio Machado, em seu primeiro livro, "Plural" (1935), nota-se sua influência. Seguiram depois umas fases militantes e de circunstâncias, como são "Primeiro Livro de Amor" (1936) e "Poesia em Armas" (1939), e depois chegou o resto de sua obra presidida pelo intimismo e as lembranças: "Sonetos à Pedra" (1943), "Na Solidão do Tempo" (1947), "Elegias" (1948), "Até a Data" (1961), "Caderno Catalão" (1965) e "Quase em Prosa" (1971).

 


Imagem: Shutterstock.com

29.Jun.1975
Ler mais
leer menos