Filtrar

Login

O inicia sesion con...

History Logo
Aplicar

HOJE É O ANIVERSÁRIO DE: 0

El envio se ha realizado con éxito

Cerrar
Enviales que paso el día de tu cumple
  • Josefina Maier
  • Stanislas Wawrinka
  • Alejandro Giardino
  • Paul Simonon
  • Joe Strumer
Enviar

janeiro 2017

01 de janeiro
1863 D.C.

Nasce o Barão de Coubertin, fundador dos Jogos Olímpicos da era moderna

Quinta, Janeiro 01, 1863 D.C.

No dia 1o. de janeiro de 1863 nascia, em Paris, Pierre de Frédy, mais conhecido como Barão de Coubertin, pedagogo, historiador e famoso por ser o “pai” dos Jogos Olímpicos da era moderna. Após a realização dos Jogos de Verão de 1896, na...Ler mais

No dia 1o. de janeiro de 1863 nascia, em Paris, Pierre de Frédy, mais conhecido como Barão de Coubertin, pedagogo, historiador e famoso por ser o “pai” dos Jogos Olímpicos da era moderna. Após a realização dos Jogos de Verão de 1896, na Grécia, Coubertin se tornou presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) e, apesar do sucesso dos jogos anteriores, o Movimento Olímpico enfrentou dificuldades nos Jogos de 1900 e 1904, que passaram despercebidos em Paris e em St. Louis (nos EUA), respectivamente, por conta das exposições mundiais que ocorreram de forma integrada aos Jogos. Somente em 1906 os Jogos Olímpicos se firmaram como um evento internacional por excelência e, a partir daí, seguiram ganhando audiência e importância. Neste ano, foi realizado um evento multiesportivo em Atenas, na Grécia, como uma edição extraordinária dos Jogos Olímpicos, com pretexto de comemorar o 10º aniversário do recomeço dos jogos, em 1896. Coubertin deixou a presidência do COI após os Jogos de 1924, em Paris, sua cidade natal. Ele foi sucedido no cargo por Henri de Baillet-Latour. Coubertin manteve-se como Presidente Honorário do COI até sua morte, no dia 2 de setembro de 1937, em Genebra, na Suíça. Foi enterrado em Lausanne (local da sede do COI), mas o seu coração está sepultado separadamente, num monumento perto das ruínas da antiga Olímpia.

 

 


 

Imagem: Bain News Service. [Domínio público], via Wikimedia Commons

leer menos
1897 D.C.

Morre o escritor brasileiro Adolfo Caminha

Sexta, Janeiro 01, 1897 D.C.

No dia 1 de janeiro de 1897 morria, no Rio de Janeiro, o escritor Adolfo Ferreira Caminha. Nascido no dia 29 de maio de 1867 em Aracati (RJ), ele é considerado um dos principais autores do Naturalismo no Brasil. Sua obra, por ser densa e...Ler mais

No dia 1 de janeiro de 1897 morria, no Rio de Janeiro, o escritor Adolfo Ferreira Caminha. Nascido no dia 29 de maio de 1867 em Aracati (RJ), ele é considerado um dos principais autores do Naturalismo no Brasil. Sua obra, por ser densa e trágica, foi pouco apreciada na época. Seu primeiro livro publicado foi “Voos Incertos” (1886), com poesias. Em 1893, publicou “A Normalista”, romance em que mostra o lado negativo da vida urbana. Um ano depois, lança “No país dos Ianques” com base em suas experiências e observações após uma viagem aos EUA, em 1886. Em 1895, cria polêmia ao escrever o livro “Bom Crioulo”, onde abordou a questão da homossexualidade. Doente por conta da tuberculose, lançou seu último romance, “Tentação”, em 1896. Lutando conta a tuberculose, Adolfo Caminha não resistiu à doença e morreu aos 29 anos, no Rio de Janeiro. Além de escritor, ele também escreveu na imprensa do Rio de Janeiro nos jornais Gazeta de Notícias e Jornal do Commercio, além de ter fundado a Nova Revista, um semanário.

 

 


 

Imagem: [Domínio público], via Wikimedia Commons

leer menos
1946 D.C.

Nasce Roberto Rivelino, tricampeão mundial no México

Terça, Janeiro 01, 1946 D.C.

No dia 1 de janeiro de 1946 nascia, em São Paulo, Roberto Rivelino, ex-jogador de futebol, tricampeão do mundo pela seleção brasileira e ex-jogador do Corinthians e do Fluminense. No final da década de 70, ele ainda defendeu o Al Hilal, da...Ler mais

No dia 1 de janeiro de 1946 nascia, em São Paulo, Roberto Rivelino, ex-jogador de futebol, tricampeão do mundo pela seleção brasileira e ex-jogador do Corinthians e do Fluminense. No final da década de 70, ele ainda defendeu o Al Hilal, da Arábia Saudita, antes da sua aposentadoria dos gramados. Após parar de jogar futebol, Rivelino também trabalhou como comentarista na TV durante os anos 1990. Jogador de técnica apurada na perna esquerda, ele tinha como características os ótimos lançamentos de longa distância, passes precisos, fortes chutes de longa e meia distância, além de ser um ótimo cobrador de faltas. Rivelino começou sua carreira nas categorias de base do Corinthians e atuou no time profissional entre 1965 a 1975. Chamado de “Reizinho” pela torcida, Rivelino não conquistou nenhum título importante pelo clube. Em 1974, o time perdeu a decisão do campeonato paulista para o Palmeiras e Rivelino foi eleito o “culpado” pela diretoria do clube. Depois disso, o jogador acertou sua transferência para o Fluminense, onde permaneceu por três temporadas. Pelo tricolor carioca, que nesta época tinha o time chamado de "Máquina Tricolor", conquistou o bicampeonato Estadual (75/76) e foi por duas vezes semifinalista do Brasileiro: em 1975 (perdeu para o Internacional) e 1976 (quando foi derrotado pelo Corinthians, na ocasião da “Invasão Corintiana” no Maracanã). Em 1978, o jogador foi para o Al Hilal, da Arábia Saudita, onde conquistou a Copa do Rei e bicampeonato nacional. Contudo, por conta de desentendimentos com o príncipe Kaled, Rivelino decidiu encerrar sua carreira aos 35 anos, em 1981. Pela seleção brasileira, ele foi um dos destaques do time de 1970 na conquista do tricampeonato mundial no México, onde foi apelidado de “Patada Atômica”. Na Copa de 1974, jogou bem, mas o restante do time não colaborou. No Mundial de 1978 ficou na reserva boa parte do tempo.

 

 


 

Imagem: Mieremet, Rob / Anefo [CC BY-SA 3.0 nl], via Wikimedia Commons

leer menos

Páginas

ESTRADAS MORTAIS

Loading