Todos os horários

Ameaça em potencial: o botão russo do fim do mundo

Conhecido como “Mão Morta”, sistema representa um perigo real para o planeta. 

Vídeo relacionado:
Durante a Guerra Fria foram construídos vários dispositivos de ataque nuclear em massa pelas potências em conflito. Agora, diante da tensão bélica crescente com relação à Coreia do Norte, especialistas alertam para a enorme ameaça desses sistemas, capazes de exterminar a humanidade sem necessitar da intervenção humana.

Na Rússia existe, desde 1985, um equipamento chamado Perímetr, concebido para atacar automaticamente os países inimigos com armas atômicas em caso de um bombardeio massivo. O sistema funciona com mísseis balísticos, equipados com transmissores poderosos, capazes de enviar o sinal de disparo para diferentes ogivas nucleares localizadas no território russo.

Embora o ataque possa ser operado manualmente, o sistema dispõe também de sensores projetados para medir a radiação do ambiente e ordenar o funcionamento das armas diante de um eventual extermínio dos comandos militares. Por esse motivo, ele é conhecido como “Mão Morta” e, até hoje, representa um perigo em potencial para o planeta.


Fonte: RT

Imagem: Shutterstock

O destino mais bizarro para surfar

Você se atreveria a surfar neste lugar?

Rússia cria um Terminator capaz de disparar com precisão milimétrica

Androide à la "Exterminador do Futuro"  já tem uma primeira missão pela frente: fazer uma viagem ao espaço! 

Depois que Moscou anunciou ter o “pai de todas as bombas”, Vladimir Putin subiu a aposta com sua nova obra de tecnologia militar: um androide conhecido como FEDOR (Final Experimental Demonstration Object Research), treinado para o uso de armas de fogo.

FEDOR é capaz de disparar duas armas simultaneamente, com as duas mãos, com o objetivo de melhorar sua capacidade motora e de tomar decisões, segundo seus criadores. Além disso, o androide possui uma precisão excepcional e milimétrica.

FEDOR não só é habilidoso com as armas como também foi programado para executar todo o tipo de função. A primeira missão do androide será realizada em 2021, quando ele fará parte de uma expedição ao espaço.


Fonte: Infobae

Imagem: YouTube/Reprodução 

 

A verdadeira história do assassinato do místico russo Rasputin

Ninguem sabe explicar a razão do místico ter ido ao encontro da morte anunciada!

Grigori Rasputin é um dos personagens mais famosos da história da Rússia. Tão carismático quanto controverso, ele foi chamado de místico, acusado de ser amante da czarina Alexandra Feodorovna e, hoje, é igualmente desprezado e admirado por grande parte do mundo. De qualquer modo, sua vida e morte estão cercadas mais de lendas que de verdades.

Rasputin tinha uma grande influência sobre a czarina, que estava convencida de que seus poderes místicos poderiam ajudar seu filho hemofílico, Alexei. No entanto, “as forças sombrias que cercavam o trono” eram uma preocupação para os simpatizantes da aliança entre a Rússia e a França. Acreditava-se que Rasputin prejudicava a política exterior russa.

O místico foi assassinado pelo príncipe Félix Yussupov e por Vladimir Purishkevich na noite de 30 de dezembro de 1916. Acredita-se que Yussupov o tenha convidado para uma reunião com sua esposa Irina (que estava, na verdade, na Crimeia) e o levado ao porão, onde lhe foi oferecido um doce envenenado. Como a estratégia não funcionou, Purishkevich acabou disparando quatro vezes nas costas de Rasputin.

É estranho o fato de Rasputin acreditar que poderia tirar algum proveito de uma reunião com a grã-duquesa Irina. Além disso, o ministro do Interior russo, Alexander Protopopov, lhe havia avisado que existia um complô para assassiná-lo. Por isso, continua sendo um mistério o motivo que o levou ao palácio de Yussupov.

Quem conhecia bem o místico russo afirma que a história do doce envenenado não tem muito sentido, já que ele recusava esse tipo de alimento, alegando que eram prejudiciais aos seus poderes. Os guardas afirmaram que ouviram quatro tiros consecutivos e um patologista informou que a causa da morte foi uma hemorragia grave no abdômen, causada por um dos disparos. O cenário mais provável é que Rasputin tenha sido assassinado à queima-roupa assim que entrou no palácio. A família real foi morta pelos revolucionários em 1918.


Fonte: BBC

Imagem: Domínio Público

As 7 ameaças que o mundo enfrentará em 2017

Além de oferecer um software financeiro, informações e notícias, a empresa Bloomberg LP faz, todos os anos, uma lista de perigos que o mundo enfrentará.

Estas são, segundo um dos portais financeiros mais bem-sucedidos do ocidente, as sete ameaças para 2017:

O ressurgimento russo: De acordo com o portal, o rublo se fortalecerá diante do euro e do dólar. A Rússia expandirá sua influência política na Europa Oriental, disputando terreno com os EUA.

A guerra entre Irã e Arábia Saudita: O conflito armado iminente entre Teerã e Riad colocará em xeque o abastecimento mundial de petróleo e aumentará as tensões no Oriente Médio.

O colapso do México: Os especialistas da Bloomberg acreditam que a política anti-imigratória do novo presidente dos EUA, Donald Trump, poderá destruir a economia mexicana e fazer com que cresçam rapidamente os índices de criminalidade e narcotráfico.

A segunda crise dos mísseis: Os atritos entre a direita norte-americana e Cuba farão com que a ilha do Caribe procure fortalecer suas alianças com a China e a Rússia, gerando um foco de conflito armado na fronteira norte-americana.

A guerra econômica entre os EUA e a China: A hostilidade declarada entre Trump e o gigante asiático poderá impactar negativamente na economia das duas potências mundiais mais poderosas.

As guerras cibernéticas: O portal acredita que diversos ataques cibernéticos, lançados pela China e pela Rússia, poderão afetar usinas elétricas, transportes e até mesmo hospitais em todo o território dos EUA.

Os protestos nos EUA: O site acredita que a insatisfação crescente com relação às políticas de Donald Trump e uma grande tendência repressiva por parte do governo norte-americano poderão causar convulsões sociais violentas nos EUA.


Fonte: RT

Imagem: dencg/Shutterstock.com

Pesquisadores recriam rosto de mulher conhecida como “sármata extraterrestre”

As ruínas de Arkaim, na cidade russa de Cheliabinsk, escondem grandes segredos de diferentes períodos da história.

Agora, pela primeira vez, graças a restos humanos encontrados, foi possível recriar a imagem de uma mulher dos sármatas, povo nômade do século III com origens iranianas.

Graças a uma maquete tridimensional, os pesquisadores conseguiram recriar à perfeição o rosto de uma mulher, imitando até sua cor de pele e dos olhos. Mas o destaque dessa recriação é a forma estranha e alargada do seu crânio, o que lhe valeu o nome de “sármata extraterrestre”.



Yuri Makurov, chefe da expedição arqueológica, explicou que 80% dos corpos encontrados nos Montes Urais possuem essa curiosa estrutura óssea, que supostamente teria sido modificada com a utilização de duas madeiras amarradas ao crânio, de modo que fosse moldada essa característica, um símbolo de beleza e status, ou simplesmente uma forma de diferenciar a população local dos visitantes ocasionais.



Fonte: RT

Imagens: arkaim-center.ru

Imagens de drone revelam enorme cidade-fantasma militar soviética

Uma base militar soviética abandonada fica a 64 km ao norte de Berlim e permanece escondida na floresta desde que suas tropas deixaram o local em 1994.

A instalação soviética, chamada Vogelsang, chegou a cobrir uma área de 2 mil hectares e foi habitada por mais de 15 mil soldados com suas famílias. Esta foi uma das maiores bases militares que a antiga União Soviética já teve em solo estrangeiro - e que agora foi capturada em incríveis imagens feitas por drones, como você pode conferir no final do texto. O impressionante vídeo mostra uma área enorme, abandonada há 20 anos, que está sucumbindo com o passar do tempo.

Após o final da Segunda Guerra Mundial, a partir de 1952, esta cidade-quartel foi construída dentro dos bosques para abrigar soldados e suas famílias. A cidade era autossuficiente, com teatro, lojas, escritórios, academia, escola e instalações médicas. A partir dos anos 60, o local se tornou a sede da 25a. Divisão de Tanques.

Com a retirada das tropas russas em 1994, a cidade militar foi parcialmente demolida, enquanto que o restante foi ocupado pela floresta. Devido aos resíduos de munição no solo, o acesso a algumas área é restrito.




Fonte: The Vintage News

Imagem: Reprodução/YouTube/Ruptly TV 

Vídeo: robô escapa de laboratório e provoca confusão no trânsito

Sim! Aconteceu na Rússia! Um robô  escapou do laboratório e foi parar no meio da rua.

Ele provocou uma confusão com os motoristas e até um engarrafamento, de acordo com notícia divulgada pela BBC.

Os cientistas dos laboratórios Promobot, em Perm, ensinaram a máquina a se mover de forma independente. Porém, alguém teria esquecido de fechar uma porta, segundo o jornal local Argumenty i Fakty. O robô percorreu 50 metros até uma rua próxima, quando acabou sua bateria em meio aos carros.

A cena, gravada por curiosos, mostra a máquina branca, vigiada por um guarda e seu carro no meio do trânsito. Em seguida, alguém supostamente responsável pela máquina aparece para fazer o resgate do robô. O Russian Canal 5 também mostrou imagens do incidente, e disse que o robô passou cerca de 40 minutos no local.

Nem todos concordam que o ocorrido foi acidental. Alguns alegam que tudo foi uma forma de chamar a atenção para o robô Promobot. A empresa diz que suas máquinas podem interagir com os humanos, respondendo perguntas e passando orientações. Mas, como o nome sugere Promobot, o seu principal objetivo é transmitir mensagens de áudio promocionais pelos seus alto-falantes embutidos.


Fonte: BBC

Imagem: Reprodução YouTube 

Cientistas comprovam que índios americanos são parentes de povo siberiano

Cientistas conseguiram comprovar, pela primeira vez, que os índios americanos são parentes próximos de um povo da região siberiana.

Segundo uma demonstração realizada por uma equipe internacional de geneticistas, os incas, astecas, iroqueses e outros grupos nativos americanos são parentes próximos dos povos de Altai, uma divisão federal da Rússia, localizada entre a Sibéria, a Mongólia e a China.

[O HISTORY AGORA ESTÁ NO SPOTIFY: CLIQUE AQUI E SIGA-NOS]

 



A teoria que afirma que os índios americanos se aparentam estreitamente com os povos de Altai não é nova. A migração dos povos da região siberiana através do nordeste da Rússia e do Alasca até a América gera suspeita há mais de um século. No entanto, até hoje, ninguém tinha conseguido provar isso. Agora, graças ao geneticista russo Oleg Balanovski, esse movimento migratório foi comprovado cientificamente.

Pelo estudo comparado das famílias genéticas dos índios americanos e de seus antepassados siberianos, contrastadas com as do resto do mundo, foi possível estabelecer que os antepassados de povos aborígenes, como os astecas e os incas, chegaram ao continente há 20 ou 30 mil anos, vindos da Sibéria. 

Porém, o resultado do estudo proporcionou outra grande descoberta: “Além dos antepassados siberianos, em alguns índios encontramos uma relação misteriosa com a população da Austrália e da Melanésia, ilhas situadas no Oceano Pacífico. É algo surpreendente, já que essas regiões são quase diametralmente opostas”, afirma Balanovski.

O modo pelo qual esses fluxos migratórios conseguiram ultrapassar as barreiras oceânicas tem uma explicação: “O local que atualmente ocupa o Estreito de Bering podia ser atravessado a pé. Durante a glaciação, a água se transformou em gelo e o nível do oceano mundial diminuiu”, explica Balanovski.

 

 


Fonte: rbth.com
Imagem: Goran Bogicevic/Shutterstock.com

Putin quer encarar as sociedades secretas e poderosas do planeta

O portal Covert Geopolitcs publicou uma série de declarações de Vladimir Putin em que presidente russo combate a chamada Nova Ordem Mundial Illuminati.

Essas palavras, que foram reproduzidas por vários meios de comunicação do mundo inteiro, seriam uma resposta ao multimilionário Jacob Rothschild, que o teria chamado de “traidor da Nova Ordem Mundial”.

[O HISTORY AGORA ESTÁ NO SPOTIFY: CLIQUE AQUI E SIGA-NOS]

 



No mesmo discurso público em que Putin anunciou sua intenção em transformar a Rússia no maior produtor mundial de alimentos orgânicos, ele também teria declarado: “vou derrotar os Illuminati com minhas próprias mãos”.

Essas palavras esclareceriam a batalha entre os poderes visíveis, os estados nacionais e os organismos internacionais contra seus inimigos invisíveis, as tão citadas sociedades secretas que reúnem as personalidades mais poderosas e influentes de todas as partes do mundo, pelo controle futuro do planeta.

Para Putin, ainda de acordo com o Covert Geopolitics, os poucos privilegiados que acreditam que certas normas não se aplicam a eles, precisam ser “totalmente neutralizados”.

 

 


Fonte: Covert Geopolitics
Imagem:Panom/Shutterstock.com