Todos os horários
20.Mar.1966

O dia em que a Jules Rimet foi roubada e depois encontrada por cãozinho

Um caso com um desfecho incrível, envolvendo um cãozinho, teve início com o roubo da Taça Jules Rimet, no dia 20 de março de 1966, em Londres. Assim era inicialmente chamado o troféu confeccionado pela Fifa, concedido ao vencedor da Copa do Mundo de Futebol. A taça foi encontrada sete dias após o roubo pelo cachorrinho collie Pickles, em um caso que até a Scotland Yard esteve envolvida.

 

A Associação de Futebol da Inglaterra havia recebido a taça em janeiro de 1966, pouco antes da realização da Copa do Mundo que ocorreria em seu território, em julho. Em março de 1966, teve início uma exposição pública da taça, juntamente com uma mostra de selos, no Westminster Central Hall, em Londres. No dia 20, bandidos aproveitaram um descuido da segurança e levaram o troféu, em prata dourada, avaliado em três mil libras na época, mas que havia sido assegurado em 30 mil libras.

 

A Scotland Yard assumiu o caso e entregou a missão para a Flying Squad, uma divisão especializada na investigação de roubos. Rapidamente, o roubo da Taça Jules Rimet tomou conta da imprensa internacional. 

 

No dia seguinte ao roubo, um pedido de resgate da taça foi enviado a um diretor da Associação de Futebol inglesa, resultando, rapidamente, na prisão de um homem. Isso não levou a polícia à taça, pois o homem alegou que era apenas um "intermediário" no negócio e disse não conhecer os ladrões.

 

O caso ganharia um desfecho inesperado no dia 27 de março graças ao cachorrinho collie chamado Pickles. Ele passeava com o seu dono, David Corbett, quando farejou um embrulho enrolado em folhas de jornal em Beulah Hill, Upper Norwood, no Sul de Londres. Corbett identificou a taça e levou-a para a polícia. Os policiais, de início, suspeitaram que o dono do cão pudesse ter algum envolvimento no roubo, mas Corbett possuía um álibi. 

 

Pickles se tornou uma celebridade, participou de filmes e programas na TV e ganhou um ano grátis de comida canina. Quando a Inglaterra venceu a Copa de 1966, Pickles foi convidado para o jantar de celebração. O cachorro ainda recebeu a medalha de prata da Liga Nacional de Defesa Canina. Corbett juntou quase 5 mil libras como recompensa e usou o dinheiro para comprar uma casa.  

 

Essa não seria a última vez que a Jules Rimet seria roubada. Em 19 de dezembro de 1983, a taça foi levada por ladrões da sede da Confederação Brasileira de Futebol, no Rio de Janeiro, e jamais encontrada.



 

Crédito: Quien es quien : Campeonato Mundial de Fútbol = Who´s who World Football Championship. Santiago: El Diario Ilustrado, 1962. xii, 297 p. [Public domain], via Wikimedia Commons

10.Jun.1987

Vândalos roubam as mãos do cadáver de Juan D. Perón

No dia 10 de junho de 1987 vândalos violaram o túmulo do ex-presidente argentino Juan D. Perón no cemitério de Chacarita, em Buenos Aires. Pelo menos 12 pessoas destruíram o caixão de Perón e cortaram as mãos do cadáver. O ato provocou uma grande comoção entre a população da Argentina. A falta de um grupo que reivindique o atentado deu margem a várias hipóteses para explicar o que poderia ter acontecido. Especula-se que as mãos foram cortadas para rituais esotéricos, ou para a busca de um anel que abriria um cofre cheio de dinheiro na Suíça, ou que teria sido obra de grupos políticos que estariam interessados em criar um ambiente de instabilidade política. As investigações sobre o que aconteceu nunca chegaram a esclarecer os motivos do ataque ou quem seriam os autores. As mãos de Perón jamais foram encontradas.

 


 

Foto: See page for author [Public domain], via Wikimedia Commons

20.Dic.2007

Quadros de Picasso e Portinari são roubados do MASP

Em um dia como este, no ano de 2007, três homens invadiram o Museu de Arte de São Paulo (MASP) e levaram um quadro do pintor espanhol Pablo Picasso e outro do brasileiro Cândido Portinari. As obras, consideradas as principais do acervo, eram avaliadas em US$ 55 milhões. O quatro de Picasso, "Retrato de Suzanne Bloch", foi concluído em 1904, enquanto "O Lavrador de Café", foi entregue por Portinari em 1939. Toda ação dos bandidos durou em torno de três minutos.

Pouco tempo depois, no dia 8 de janeiro do ano seguinte, foi anunciada a recuperação das obras. As pinturas estavam intactas e foram localizadas na cidade de Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo. Na ocasião, a polícia havia capturado suspeitos pelo crime, que deram a indicação de onde estavam os quatros.

 


Imagem: via Wikimedia Commons

19.Dic.1983

Taça Jules Rimet, da Copa do Mundo de Futebol, é roubada no Rio de Janeiro

O dia 19 de dezembro de 1983 representou um triste drama para a história do futebol brasileiro e mundial. Naquela noite, homens encapuzados invadiram o escritório da Confederação Brasileira de Futebol, no Rio de Janeiro, amarraram um vigia noturno e fugiram com a Taça Jules Rimet. Após a conquista do terceiro título mundial de futebol, em 1970, a seleção brasileira havia adquirido o direito de possuir permanentemente o troféu verdadeiro, como fora estipulado por Jules Rimet, em 1930. A taça veio ao Brasil e foi colocada em uma caixa de vidro a prova de balas.

Além da taça, os ladrões levaram os troféus Jarrito de Ouro, lembrança da conquista do torneio de futebol do Pan-Americano de 1976, a Taça Independência, conquistada em 1972 no sesquicentenário da Independência do Brasil; e a Taça Equitativa, que lembrava o vice-campeonato na Copa do Mundo de 1950.

Assim que a notícia do roubo da taça se tornou pública, Pelé apelou para que ela fosse devolvida, mas a polícia anunciou que o objeto havia sido derretido na periferia do Rio de Janeiro. A taça nunca foi encontrada e, pouco tempo após o crime, todos os suspeitos já haviam sido liberados.

O troféu foi rapidamente substituído. Em 1984, a Eastman Kodak Co., de Rochester, Nova York, recebeu autorização da Fifa para recriar o troféu. A nova Taça Jules Rimet foi feita com 1,8 quilo de ouro puro e novamente montada em lápis azul. Oito placas de ouro foram gravados com os vencedores de 1930-1970. O novo troféu foi entregue ao presidente brasileiro João Baptista Figueiredo, em 1984.

 


Imagem: By Oldelpaso (Own work) [CC BY-SA 3.0 or GFDL], via Wikimedia Commons

31.Aug.2006

Famosa obra "O Grito", de Edvard Munch, é recuperada após roubo

Um dos quadros mais famosos do mundo foi recuperado pela polícia norueguesa em um dia como este, no ano de 2006. A versão que estava exposta no Munch Museum da obra "O Grito", de Edvard Munch, foi encontrada pela polícia após dois anos desparecida.
 
Seu roubo acontece no dia 22 de agosto de 2004, quando os ladrões também levaram "Madonna", outro quadro do artista. A ação do grupo que realizou o crime foi armada. O Munch Museum aguardou um pedido de resgate que nunca chegou.
 
Assim que o "O Grito" foi recuperado, teve início um processo de reparação de danos causados à pintura pelos ladrões. Alguns estragos, como pequenas manchas produzidas pela umidade, são considerados um problema sem solução para alguns especialistas.  Atualmente, o quadro segue exposto no Museu Munch.
 
 

Imagem: Edvard Munch [Domínio público], via Wikimedia Commons