Todos os horários
02.Abr.1910

Nasce o líder espiritual Chico Xavier

No dia 2 de abril de 1910, nascia em Pedro Leopoldo (MG), Francisco Cândido Xavier, mais conhecido como Chico Xavier, apontado como um dos maiores nomes do Espiritismo. Ele foi batizado com o nome de Francisco de Paula Cândido, em homenagem ao santo do dia de seu nascimento. Chico Xavier mudou para o seu nome paterno assim que começou com suas primeiras psicografias. A alteração foi oficializada em 1966, após uma viagem aos Estados Unidos.

 

Ao longo de sua vida, o líder espiritual escreveu mais de 400 livros, porém nunca assumiu a autoria de obra alguma, já que que afirmava que apenas reproduzia o que os espíritos lhe falavam. Suas obras foram traduzidas para o mundo todo. O lucro com a venda dos livros era doado para a Federação Espírita Brasileira. Seu primeiro livro, publicado em 1932, foi "Parnaso de Além-Túmulo".

 

Chico Xavier também psicografou em torno de dez mil cartas “de mortos para suas famílias” e nunca cobrou nada por isso. Seus relatos do além chegaram a servir como provas em julgamentos. Em 1979, um homem acusado de assassinar o seu melhor amigo foi libertado porque o juiz aceitou uma declaração de testemunho do amigo morto, que comunicou por Chico Xavier. A vítima disse, via o médium, que seu amigo era inocente. Além disso, a identidade do verdadeiro assassino foi revelada.

 

A importância e fama de Chico Xavier eram tamanhas, que ele era visitado por políticos, celebridades e virou tema de filmes. Em 1981 e em 1982, Chico Xavier foi indicado para o Premio Nobel da Paz.

 

O médium também fez uma previsão sobre a sua morte. Disse que deixaria esse mundo em um dia de grande felicidade para o Brasil para que sua perda não fosse tão sentida. Ele morreu no dia 30 de junho de 2002, em Uberaba (MG), aos 92 anos. Nesta data, a seleção brasileira de futebol conquistava o título de pentacampeã da Copa do Mundo.

 

Após sua morte, a casa em que Chico Xavier morou entre 1948 e 1959 e sua residência entre 1959 e 2002 foram transformadas em museus sem fins lucrativos. Além disso, o interior da Fazenda Modelo de Pedro Leopoldo, onde ele trabalhou como datilógrafo, entre 1930 e o final dos anos 50, também foi transformado em um memorial em sua homenagem. 

 



 

 


Imagem: Geraldinho Lemos [CC0], via Wikimedia Commons

Cientologia: os segredos obscuros da religião dos famosos

O documentário “Going Clear: Scientology and the Prison of Belief”, do diretor norte-americano Alex Gibney, revela segredos macabros sobre a controversa religião adotada por famosos.

A Cientologia é um sistema de crenças criado nos EUA na década de 50. Após duras batalhas judiciais, a Igreja da Cientologia conseguiu receber o status de religião em vários países do mundo, como os EUA, Reino Unido, Itália e Espanha, enquanto em outros ela é considerada um culto ou até mesmo uma empresa.

Seus seguidores, entre os quais estão celebridades como Tom Cruise e John Travolta, acreditam que a raça humana foi trazida à Terra pelo ditador extraterrestre Xenu e que é necessário lembrar e curar os traumas de sucessivas encarnações para chegar à paz interior e, finalmente, à paz mundial.

No documentário, ex-integrantes da igreja contam como foram maltratados, humilhados e ameaçados durante sua passagem pela instituição. Entre as acusações, está a de usar a violência física e psicológica para evitar que os membros abandonem o culto. Além disso, é revelada uma rede complexa de corrupção, pela qual a Cientologia pôde ser considerada uma religião (e, consequentemente, não pagar impostos) nos EUA.

A crença exige que seus adeptos se submetam a uma série de sessões terapêuticas pagas. Quem investe mais dinheiro, alcança os graus elevados de “sabedoria espiritual” mais rápido. A organização movimenta centenas de milhões de dólares em todo o mundo.

Veja o trailer do documentário (em inglês)



Fonte: Cultura Colectiva

Imagem: Michael Gordon / Shutterstock.com

Seis culturas difentes nos explicam como é arder no fogo do inferno

Diz-se que, depois da morte, quem não foi bom nesta vida vai para o inferno.

Mas, como é esse lugar? Cada cultura o define de uma forma diferente, embora em uma coisa todas concordem: ninguém gostaria de estar lá.

Xibalbá: para os maias, esse nome simbolizava o oculto, um mundo subterrâneo onde o deus da doença, Hun-Camé, e da morte, Vucub-Camé, são líderes absolutos. Ele era acessado por meio de escadas descendentes e intermináveis.

Geena: no inferno judaico, as almas se purificam durante um ano e somente as que não conseguem se salvar ficam por toda a eternidade. Seu nome tem origem no Vale de Ge Hinnom, em Jerusalém, onde, no passado, crianças eram sacrificadas.

Niflheim: para a mitologia nórdica, esse local rodeado de uma neblina infinita abriga o dragão Nidhogg, as pessoas más e a raiz da árvore do mundo. Na zona mais profunda, vive Hela, que, ao lado de seu cão, Garm, tortura as almas eternamente.

Duat: governado por Osíris, o deus egípcio dos mortos, esse inferno era o destino de todas as almas más. Quem possuía o coração mais pesado que uma pluma sofria  grandes torturas nesse local, e seu coração era, por fim, devorado pelo demônio Ammit.

Tuonela: segundo a mitologia finlandesa, esse era o local onde as pessoas davam continuidade à sua vida, porém com uma existência sombria. O lado bom é que, nesse inferno, não havia torturas e, inclusive, se havia um familiar disposto a aguentar os perigos da viagem, as visitas eram permitidas.

A casa das mentiras: a antiga religião surgida dos ensinamentos de Zaratustra afirma que a alma é conduzida até a Ponte Cinvat, que se abre quando as más ações superam as boas, para atirar a pessoa na “casa das mentiras”, um lugar repugnante, onde a comida é podre e as almas são torturadas para sempre.


Fonte: supercurioso.com

Imagem: Tithi Luadthong/Shutterstock.com

Saiba quais são os 11 mandamentos da Igreja de Satã

Ao contrário do que o seu nome poderia supor, a Igreja de Satã possui “mandamentos”.

E eles não só existem como são bastante práticos e úteis para o dia a dia. Os 11 mandamentos da Igreja Satânica, escritos por seu fundador, Anton Szandor LaVey, mostram o quão distante essa instituição sempre esteve de rituais obscuros e desumanos que lhe são atribuídos, e o quão próxima está, por sua vez, das práticas humanas. Estando de acordo ou não, trata-se de um texto e cada um pode interpretá-lo à sua maneira.

Seguem abaixo os 11 mandamentos da Igreja de Satã:

1. Não dê sua opinião ou conselho a não ser que lhe seja pedido.

2. Não conte seus problemas a outras pessoas a não ser que esteja seguro de que elas queiram ouvi-los.

3. Quando estiver na casa de outra pessoa, demonstre respeito ou então não vá até lá.

4. Se um convidado em seu lar irritá-lo, trate-o cruelmente e sem piedade.

5. Não faça avanços sexuais a não ser que lhe seja dado um sinal de acasalamento.

6. Não pegue o que não lhe pertence a não ser que seja um fardo para a outra pessoa e esta queira se livrar do objeto.

7. Reconheça o poder da magia se você já a utilizou com sucesso para obter algo desejado. Se você nega o poder da magia depois de ter recorrido a ela com sucesso, perderá tudo o que conseguiu.

8. Não se preocupe com algo que não tenha a ver com você.

9. Não machuque crianças pequenas.

10. Não mate animais não humanos a não ser que seja atacado ou para alimento.

11. Quando estiver em território aberto, não incomode ninguém. Se alguém o incomodar, peça que pare. Se não o fizer, destrua-o.

 


Fonte: Pijama Surf

Imagem: Simon Baylis/Shutterstock.com

A freira de 18 anos "casada com o diabo" que pegou prisão perpétua

A bibliografia medieval reúne algumas das histórias mais bizarras em torno da religião, da superstição e do diabólico.

O caso da jovem freira Madelaine Bavent é um dos mais simbólicos e assustadores. Ele ocorreu no convento de Louviers, na Normandia, em 1625, quando a freira tinha apenas 18 anos.

Madelaine se apresentou às autoridades locais para declarar que havia sido enfeitiçada durante um sabá (dia de descanso), ao qual foi levada pelo diretor espiritual do lugar, o padre Mathurin Picard, e seu vigário, o padre Thomas Boulle. Segundo a freira alegou, ela teria sido casada com um diabo chamado Dragon e obrigada a ter relações sexuais com ele em um altar. Enquanto isso, dois homens teriam sido crucificados e estripados.

Após a abertura de uma investigação detalhada, outras duas freiras também acusaram os sacerdotes e disseram que foram obrigadas a ter relações sexuais com vários demônios. Enquanto as investigações avançavam, o padre Mathurin Picard morreu e as freiras foram acusadas de estarem possuídas, o que era muito comum em casos desse tipo, por isso tinham que ser exorcizadas.

A igreja onde ocorreu o ritual reuniu muitas pessoas. As freiras causaram um verdadeiro espetáculo, que incluiu insultos e obscenidades de todo tipo. Elas chegaram até a convulsionar enquanto o padre Thomas Boulle gritava ao ser torturado. Finalmente, Madelaine foi condenada a cumprir penitência por toda a vida na prisão episcopal. Além disso, o padre Boulle foi condenado à morte na fogueira e foi ordenada a exumação do corpo do padre Picard, que também foi desenterrado e queimado.

Após esse acontecimento, a igreja determinou, pela primeira vez, as regras para saber se alguém está possuído ou não, por meio de 15 tópicos que se resumem em: acreditar que está possuído e ter uma vida ruim; ser mau e vomitar coisas estranhas, como serpentes ou sapos; blasfemar e gritar coisas obscenas; comportar-se de forma violenta e fazer sons e movimentos característicos dos animais; ter condutas lascivas e uma força muscular incomum; demonstrar medo diante de relíquias e objetos sagrados; e não se lembrar de nada após o momento do transe diabólico.



Fonte: supercurioso.com

Imagem: Kiselev Andrey Valerevich/Shutterstock.com

Antigo texto egípcio traz detalhes surpreendentes da morte de Jesus

Um antigo texto egípcio, recém-decifrado, traz dados até hoje desconhecidos sobre a crucificação de Jesus, o papel surpreendente de Pôncio Pilatos e os atos de Judas.

Trata-se de um texto escrito em copta, em que destaca o fato de Pôncio Pilatos, responsável por autorizar a crucificação de Jesus, ter oferecido sacrificar seu próprio filho no lugar do Messias.

Além disso, o texto afirma que Judas teve que beijar Jesus para poder identificá-lo no momento da sua traição porque Cristo mudava de aparência quando queria; e que isso teria acontecido em uma terça à noite, em vez de uma quinta, conforme está na linha do Tempo Pascal.

Os fatos relatados no antigo texto egípcio não significam que eles tenham realmente ocorrido, esclarece o especialista Roelof van den Broek, da Universidade de Utrecht, nos Países Baixos. Vale ressaltar, porém, que na época dos fatos, muita gente acreditava na história.

Jesus abençoou Pilatos

De qualquer modo, as revelações são absolutamente surpreendentes, sobretudo as referentes a Pilatos, que ofereceu seu filho para salvar Jesus: “Pilatos preparou uma mesa e comia com Jesus. Jesus abençoou Pilatos e toda a sua casa”, diz o texto.

Depois, Pilatos disse a Jesus: “Pois bem, eis aqui, a noite chegou, levanta-te e retira-te, e quando chegar a manhã e me acusarem por ti, lhes darei o único filho que tenho para que possam matá-lo em teu lugar”.

Então, Jesus o consola: “Oh, Pilatos, demonstraste ser merecedor de uma grande graça, já que demonstraste uma boa disposição para mim”. Vale destacar que, para coptas e para a igreja etíope, Pilatos é um santo.




Fonte: supercurioso.com
Imagem: WDG Photo/Shutterstock.com

Cientistas gravam cérebro de homem no exato momento em que ele "vê Deus"

Neurocientistas conseguiram registrar a atividade cerebral de um paciente que disse ter visto Deus durante um tratamento de epilepsia.

O homem de 46 anos é judeu, mas não se declara particularmente religioso. Ele estava sendo monitorado por uma equipe de pesquisa israelense enquanto conectado a um escaneador de eletroencefalograma.

O paciente tem um longo histórico de epilepsia, com as crises iniciadas do lobo temporal direito. As convulsões duram poucos segundos ou, no máximo, alguns minutos. Nelas, o paciente pode sentir emoções estranhas, relembrar velhas memórias, ter alucinações com vozes, músicas, pessoas, entre outras sensações. 

Na crise monitorada pelos pesquisadores, o paciente relatou uma estranha visão e uma conversa com Deus, mesmo não se declarando religioso. Vale lembrar que o seu tratamento não incluía medicação anticonvulsivante.

"Deus me mandou"

De acordo com o relato dos médicos, o paciente "começou a recitar orações calmamente, e procurou seu kippa (chapéu cerimonial judeu), colocou-o na cabeça, recitando suas orações mais intensamente."

Na sequência, ainda de acordo com os relatos, o homem gritou "e você é Adonai (nome do Deus Hebreu) o Senhor!". Mesmo depois de sair do experimento, o paciente seguiu pelo hospital dizendo que “Deus me mandou para você”.

Laudo 

E o que a atividade cerebral revela sobre um homem que acredita ter visto Deus? O laudo do eletroencefalograma aponta um pico de atividade na banda gama baixa (30-40 Hz), no córtex pré-frontal esquerdo, no momento exato da experiência – o lado oposto do cérebro da origem das convulsões.



O diagnóstico indica que o paciente sofreu uma psicose pós-ictal (PPI), que é uma complicação rara que pode acompanhar uma convulsão, em que ocorrem alucinações, delírios ou até mesmo agressões. Não se sabe porque o homem teria passado por isso pela primeira vez ou porque isso teve uma natureza religiosa.

 

 


Fonte: HypeScience , PubliMed.gov
Imagem: Imagem: Arzy S, & Schurr R.

Conheça o "mapa do inferno” que relata vinda do Anticristo

Um manuscrito alemão do século XV relata a chegada de um Anticristo, a ascensão do Islã e uma série de acontecimentos ligados a um suposto dia do juízo final.

Trata-se de um documento esquecido pelo tempo, que conta o final dos dias de uma forma muito particular e por meio de vários mapas. Ele foi escrito inteiramente em latim e, atualmente, é propriedade da Biblioteca Huntington, de San Marino, na Califórnia, EUA.

“Há uma sequência de mapas que ilustra cada uma das etapas do que vai acontecer”, afirma Chet Van Duzer, historiador e pesquisador do manuscrito. Ele foi escrito na Alemanha, entre os anos 1486 e 1488 e, embora o especialista acredite que seja de autoria de um médico viajante chamado Baptista, a verdade é que ele não possui nenhuma assinatura.

De tom anti-islâmico, o texto descreve o surgimento do Islã como uma ameaça crescente para o mundo cristão. Uma sequência de mapas mostra como a “espada do Islã” conquista a Europa, seguida pela ascensão imediata do Anticristo. Outro mapa mostra as portas do inferno, que se abrem para o dia do juízo final. Já no último mapa, há o desenho de um pequeno globo sem nenhum tipo de inscrição, indicando que ali não sobra mais nada, embora deixe claro que ainda é um mapa.

 

 


Fonte: RT
Imagem: brill.com 

O incrível caso da reencarnação de uma mulher do Antigo Egito

É possível uma habitante do Antigo Egito reencarnar na era moderna, recordando sua vida passada?

Talvez sim, porque, de outra forma, explicar a história documentada de Dorothy Eady se torna um desafio dificilmente superável... Nascida na Inglaterra, em 1904, Dorothy Eady tinha apenas 3 anos de idade quando, acidentalmente, caiu pelas escadas de sua casa. 

[O HISTORY AGORA ESTÁ NO SPOTIFY: CLIQUE AQUI E SIGA-NOS]

 




Ela sofreu um traumatismo craniano grave, que a deixou inconsciente, em estado catatônico e com um diagnóstico clínico de morte. No entanto, para a surpresa de todos, poucas horas depois, a pequena voltou à vida sem apresentar maiores consequências.


Com o passar dos dias, a menina começou a ter sonhos recorrentes, que descrevia para sua mãe como imagens de um grande edifício com colunas enormes. Muitas vezes, ela acordava chorando e pedindo para “voltar para casa”. Um ano após o acidente, seus pais a levaram para conhecer o Museu Britânico. Assim que entraram nas salas egípcias, Dorothy se soltou da mão de sua mãe e correu desesperadamente até as estátuas e beijou seus pés. Radiante, ela afirmava, sorrindo, que estava em casa, rodeada por sua gente.

Desde então, a pequena demonstrou um interesse obsessivo pelo Antigo Egito. Dorothy se tornou uma visitante assídua do museu, onde ela recebeu as primeiras noções da leitura de hieróglifos por parte do professor Ernest Wallis Budge. Em 1930, quando já era uma estudante destacada de egiptologia, ela viajou pela primeira vez ao Egito, onde se casou com um estudante nativo de lá. Eles tiveram um filho, ao qual deram o nome de Seti e, a partir desse momento, ela mesma começou a se chamar de Omm Seti, que significa “mãe de Seti”.

Foi aí que tudo ficou mais claro para ela: Dorothy afirmava ser Bentreshyt, sacerdotisa e serva da corte de Seti I, segundo faraó da dinastia XIX, filho de Ramsés I e Sitra. Além disso, em um diário íntimo, ela confessou ter sido amante do faraó, com quem mantinha encontros amorosos. Até o dia de sua morte, em 1981, ela viveu na cidade egípcia de Abidos e trabalhou lado a lado com os egiptólogos Selim Hassan e Ahmed Fakhry. Dorothy foi a primeira mulher a ser funcionária do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito, onde trabalhou como assistente de pesquisa arqueológica.

As pessoas céticas com relação a essa história consideram particularmente difícil explicar como essa mulher inglesa pôde determinar com precisão a localização de um jardim anexo ao antigo Templo de Seti I. Quando tudo era mera hipótese, ela afirmava que o jardim realmente existia e foi capaz de apontar o local exato onde a escavação deveria ser feita para encontrá-lo. Mas isso não é tudo: além disso, ela previu que ali seria encontrado um túnel subterrâneo, localizado a norte do templo, o que acabou acontecendo rigorosamente como ela disse. 

 

 


Fonte: supercurioso.com 

Imagem: Anna Pakutina / Shutterstock.com

ACESSO SECRETO: O VATICANO

SOBRE

Além da sua enorme riqueza monetária e artística, o sempre inquietante Vaticano esconde segredos proibidos para o resto do mundo… até agora. Percorra conosco as cúpulas abertas e as escavações deste patrimônio religioso e cultural do mundo, para dar uma olhada nos documentos sigilosos da Guarda Suíça, livros que guardam conhecimentos não revelados, e até percorrer um misterioso cemitério onde dizem estar os ossos do próprio fundador da Igreja, São Pedro. Além disso, você conhecerá tudo sobre os rígidos sistemas de segurança que protegem este legado incalculável da cultura ocidental.

VER MÁS