Todos os horários
15.May.1536

Rainha Ana Bolena é condenada à morte por adultério, incesto e traição

No dia 15 de maio de 1536, a rainha consorte da Inglaterra, Ana Bolena, era condenada à morte por alta traição pelo Parlamento britânico pelos crimes de adultério, incesto e traição. Ela já estava presa na Torre de Londres desde o dia 2 de maio daquele ano, após cumprir um reinado que durou aproximadamente mil dias. 

 

Ana Bolena, que era casada com Henrique VIII, foi acusada de ter relações sexuais com o próprio irmão, Jorge, de quem teria engravidado. O seu casamento com Henrique VIII foi anulado dois dias depois. A culpa de Ana nunca foi provada.

 

O tio dela, Thomas Howard, terceiro duque de Norfolk, presidiu o tribunal que a condenou à morte. Ela foi decapitada no dia 19 de maio de 1536.

 

Ana Bolena foi a segunda esposa de Henrique VIII, rei da Inglaterra. O casamento secreto entre ambos foi polêmico, pois o rei precisou anular sua união com Catarina de Aragão, o que era proibido. Por conta do episódio, Henrique VIII foi excomungado pelo Papa Clemente VII e fundou a Igreja Anglicana.

Ana Bolena tornou-se uma figura-chave na revolta política e religiosa que marcou o início da Reforma Anglicana. Ela também foi mãe da futura rainha Ellizabeth I, nascida em 7 de setembro de 1533. 

 


 

Crédito: Domínio Público, via Wikimedia Commons

REIS E RAINHAS

Rick e Chumlee vão examinar uma moto Indian de 1940, que já foi propriedade do rei do cool, Steve McQueen. E mais tarde, os rapazes vão conhecer um livro impresso pelo pai fundador Benjamin Franklin.

Rick e Chumlee vão examinar uma moto Indian de 1940, que já foi propriedade do rei do cool, Steve McQueen. E mais tarde, os rapazes vão conhecer um livro impresso pelo pai fundador Benjamin Franklin.

Vídeo mostra rainha da Inglaterra fazendo saudação nazista [ASSISTA]

Um vídeo divulgado recentemente tem causado escândalo na Inglaterra. As imagens polêmicas foram reveladas por um jornal e causaram mal-estar na família real britânica.

A filmagem, feita em 1933, mostra a futura rainha Elizabeth 2ª, aos sete anos, fazendo a saudação nazista. Junto dela, em um jardim, estão a rainha mãe e o príncipe Edward, que também fazem o gesto popularizado pelo ditador Adolf Hitler.

O palácio de Buckingham se manifestou dizendo que é deplorável o fato de um vídeo de oito décadas atrás estar sendo explorado agora. Uma fonte de lá disse à BBC que se trata apenas de “uma família se divertindo que faz uma breve referência a um gesto que se via muito nos noticiários da época”.

O jornal The Sun se defendeu alegando que a divulgação do vídeo é de interesse público. O editor executivo da publicação, Stig Abello, declarou que o jornal mostrou o contexto da época e deixou claro que a rainha mãe e a rainha Elizabeth 2ª acabaram se tornando heroínas da Segunda Guerra. A imagem reacende a polêmica em torno do príncipe Edward, que, segundo alguns historiadores, nutria simpatia pelo nazismo.

Assista ao vídeo abaixo de GUERRAS MUNDIAIS e veja também como era Hitler durante sua juventude. Como um artista frustrado pode se tornar o maior ditador da história mundial:

 

 


Fonte: BBC Brasil

Crédito da foto: Reprodução/YouTube/The Sun

Rainha Elizabeth II

Rainha Elizabeth II nasceu Elizabeth Alexandra Mary em 21 de abril de 1926, em Londres, filha do Príncipe Albert, Duque de York (e mais tarde Rei George VI) e Elizabeth Bowes-Lyon. Ela se casou com Philip Mountbatten, Duque de Edimburgo, em 1947, e se tornou rainha em 6 de fevereiro de 1952, sendo coroada em 2 de junho de 1953. Durante seu reinado, ela tem tentado fazer a monarquia britânica mais moderna e conectada ao público.


Primeiros anos

Os pais de Elizabeth, o Duque e a Duquesa de York, dividiam seu tempo entre suas casas em Londres e Royal Lodge, em Windsor. Elizabeth e sua irmã mais nova Margaret foram educadas em casa por tutores.

Em 1936, a vida de Elizabeth mudou, com a morte de seu avô, Rei George V. Seu tio se tornou o Rei Edward VIII, mas estava apaixonado por uma americana divorciada, Wallis Simpson. Ele precisou então escolher entre a coroa e seu coração. Optando por Wallis, o pai de Elizabeth, Príncipe Albert, tornou-se o Rei George VI.


Primeiras aparições públicas

Somos moderados e nos confortamos mais com a prática do que com a teoria.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Elizabeth e Margaret ficavam bastante tempo fora de Londres, no castelo de Windsor. De lá, ela fez uma de suas transmissões de rádio mais famosas, acalmando as crianças que tinham sido evacuadas de suas casas. Na época com 14 anos de idade, a Princesa Elizabeth disse a elas que tudo ficaria bem e que todas estavam sendo cuidadas por Deus.

Elizabeth foi nomeada coronel-em-chefe das Grenadier Guards e fez sua primeira aparição pública inspecionando as tropas em 1942. Ela também começou a acompanhar seus pais em visitas oficiais pela Grã-Bretanha.

Em 1945, ela foi treinada junto com outras mulheres para ser uma excelente motorista e mecânica, auxiliando nos esforços da Guerra. Seu trabalho voluntário durou apenas alguns meses, mas ofereceu a ela um novo ponto de vista, de um mundo fora da realeza. 


Casamento e coroação

Elizabeth conheceu Philip Mountbatten, filho do Príncipe Andrew da Grécia, quando tinha apenas 13 anos. Primos distantes, eles se apaixonaram. Na época do seu casamento, em 1947, a Grã-Bretanha ainda estava se recuperando da Segunda Guerra Mundial. No ano seguinte, nasceu Charles e, em 1950, Anne.

Em 6 de fevereiro de 1952, o Rei George VI morreu, e Elizabeth assumiu a responsabilidade da coroa. Na época da morte do pai, Elizabeth e o marido estavam no Quênia. Sua coroação oficial aconteceu em junho de 1953, na Abadia de Westminster e, pela primeira vez, uma celebração deste tipo foi acompanhada pela televisão.

Na sua nova posição, a Rainha Elizabeth II tinha novos deveres políticos, reunindo-se semanalmente com o primeiro-ministro, começando com Winston Churchill e seguindo a rotina com todos os outros que vieram depois.

O vasto reinado da Rainha Elizabeth tem sido marcado por muitas mudanças na vida da população, em como a Grã-Bretanha é vista no exterior e como a monarquia é retratada.

Quando Elizabeth se tornou rainha, a Grã-Bretanha ainda tinha um império substancial, mas entre as décadas de 1950 e 1960, muitas colonias inglesas conquistaram independência. A Rainha Elizabeth se uniu à Comunidade das Nações e viajou muito para representar o país no resto do mundo.


Uma mãe real

Eu declaro diante de vocês que toda minha vida, seja ela longa ou curta, será dedicada ao seu serviço e ao serviço da nossa grande família imperial, à qual todos nós pertencemos.

Elizabeth teve mais dois filhos – Andrew e Edward – no começo da década de 60. Ela trabalhou muito para proteger a imagem da monarquia e preparar seu futuro. Em 1969, ela oficialmente fez o Príncipe Charles seu sucessor, garantindo a ele o título de Príncipe de Gales. Aproximadamente, 200 milhões de pessoas assistiram à cerimônia pela televisão.

Para continuar seguindo as regras da família Windsor, Elizabeth pressionou Charles a casar. Em 1981, ele finalmente se casou com Diana Spencer, que tinha 19 anos. O casamento juntou multidões nas ruas de Londres e outros milhões assistiram ao evento pela televisão.

No ano seguinte, seu filho Andrew serviu como piloto de helicóptero da Marinha Real durante a guerra com a Argentina nas Ilhas Falklands. Enquanto 250 soldados morreram no conflito, o Príncipe Andrew retornou seguro para casa.


Ameaças e escândalos

Como rainha, Elizabeth viu a monarquia ser atacada, inclusive com ameças de morte à sua família. Em 1979, ela sofreu a perda de Lord Mountbatten, o tio de seu marido, em um atentado terrorista. Ele estava a bordo de seu barco no litoral da Irlanda, quando a embarcação explodiu. Ele e mais três pessoas, incluindo um neto, morreram. O IRA (Irish Republican Army) responsabilizou-se pelo ataque.

Em junho de 1981, Elizabeth foi ameaçada durante um desfile militar, quando um homem apontou uma arma para ela. Por sorte, não estava carregada. No ano seguinte, um homem invadiu o Palácio de Buckingham e confrontou a rainha em sua cama. Quando a imprensa soube do ataque e que o Príncipe Philip não estava presente no momento do incidente, começou uma especulação sobre o estado do casamento real.

A vida amorosa dos filhos causou também muita dor de cabeça para a rainha. O casamento tumultuado do Príncipe Charles com a Princesa Diana foi se arrastando até que em 1992 eles anunciaram planos de divórcio. A união de Andrew com Sarah Ferguson terminou nos tabloides também, com fotos de Sarah com outro homem nas manchetes. Seu próprio marido também teve suas manchetes, com possíveis infidelidades.

Em 1997, a Princesa Diana morreu em um acidente de carro em Paris, em 31 de agosto. A rainha estava em Balmoral, com o Príncipe Charles e seus dois filhos, Príncipe William e Príncipe Harry. Durante dias, ela permaneceu em silêncio, enquanto o país estava em luto por Diana. Ela foi severamente criticada por isso e muitos especulavam que a rainha não queria dar um funeral real para Diana. Quase uma semana após a morte de Diana, Elizabeth se pronunciou.


Anos atuais

Após o início do século XXI, Elizabeth experimentou duas grandes perdas. Ela disse adeus para sua irmã Margaret e sua mãe em 2002. Margaret morreu após um derrame e a Rainha Mãe morreu naturalmente, aos 101 anos.

Conhecida por sua rigidez para cerimônias e tradições, Elizabeth dá sinais de estar mais aberta. Ela, inclusive, deu uma recepção em homenagem ao Príncipe Charles e Camilla Parker Bowles quando se casaram, no Castelo de Windsor.

Elizabeth também é muito devota a seus netos, Príncipe William e Príncipe Harry. Príncipe William disse que ela ofereceu apoio incondicional quando ele e Catherine Middleton resolveram se casar, em 2011. No mesmo ano, ela mostrou que a coroa ainda possuía poder simbólico e diplomático, quando foi a primeira monarca a visitar a República da Irlanda após sua independência na década de 1920.


Monarquia moderna

Ela também modernizou a monarquia, abandonando algumas formalidades e tornando locais e tesouros acessíveis ao público. Como a Grã-Bretanha passou por uma crise econômica recentemente, ela aboliu a lista Civil, um sistema de fundos públicos para a monarquia, que tinha 250 anos. A família real continua recebendo apoio do governo, mas a rainha eliminou muitos gastos.

Alguns dos deveres de Elizabeth foram repassados para o Príncipe Charles, mas ela permanece no poder, com cerca de 430 compromissos durante o ano e o apoio a mais de 600 programas e organizações de caridade.

Aos 80 anos, ela celebrou o Jubileu de Diamantes, em 2013, ou seja, 60 anos como rainha. Se ela se mantiver com a coroa até 9 de setembro de 2015, ela irá ultrapassar a marca de 63 anos da Rainha Victoria como a monarca no poder há mais tempo.

Em 2013, Elizabeth celebrou outro grande evento. Seu neto William e sua esposa, Kate Middleton, a Duquesa de Cambridge, tiveram seu primeiro filho, George Alexander Louis – conhecido oficialmente como Sua Alteza Real Príncipe George de Cambridge – em 22 de julho de 2013. Em 2 de maio de 2015, ambos tiveram uma filha, Charlotte Elizabeth Diana.


Vida pessoal

Elizabeth passa seu tempo livre em passatempos relaxantes, como ler livros de mistério, fazer palavras cruzadas ou mesmo assistir lutas na televisão. Ela adora cachorros e cavalos.

 


Imagem: NASA/Bill Ingalls [Domínio público], via Wikimedia Commons

01.Jul.1961

Nasce a princesa Diana

No dia 1 de julho de 1961 nascia, em Sandringham, na Inglaterra, Diana Frances Spencer, mais conhecida como Diana, a princesa de Gales. Depois de completar os seus estudos na Suíça, ela trabalhou como professora em um jardim de infância. No final da década de 70, começou a se encontrar com o príncipe Charles, e o noivado dos dois foi anunciado no dia 24 de fevereiro de 1981. No dia 29 de julho do mesmo ano, eles se casaram na catedral de Saint Paul, em Londres. Daiana teve dois filhos com Charles, William (1982) e Harry (1984). A princesa viveu sob grande exposição na mídia e se tornou extremamente popular, principalmente por conta de seus trabalhos de filantropia pelo mundo. Contudo, no final da década de 1980, tiveram início as especulações sobre uma possível crise conjugal. Finalmente, em dezembro de 1992, foi anunciada a separação do casal real. Em fevereiro de 1996, Diana aceitou o pedido de divórcio apresentado em dezembro pelo príncipe Charles. Eles se divorciaram oficialmente no dia 28 de agosto de 1996. Depois disso, Diana seguiu com suas obras assistenciais, perdeu as regalias reais e recebeu uma compensação financeira. Ela morreu em 31 de agosto de 1997 em um acidente de carro em Paris. Diana estava com o seu namorado, o magnata egípcio Dodi al Fayed, que também morreu no local. A morte da ex-princesa comoveu milhões de pessoas no Reino Unido e ao redor do mundo. Por conta do seu carisma, ela recebeu diversas homenagens e entrou para a história não apenas por ter sido princesa de Gales, mas também por conta de suas ações sociais ao redor do planeta.

 


Imagem: Nick Parfjonov (Own work) [Public domain], via Wikimedia Commons

20.Mar.1179

Assinado Tratado de Cazorla

O Tratado de Cazorla foi assinado em 1179 em Soria (Espanha) por Alfonso II de Aragão e Alfonso VIII de Castela. Neste pacto foi adjudicada à Coroa de Aragão a conquista dos territórios e limites de Játiva, Dénia e Biar, desde o porto de Biar até Calpe e em direção a Valência. Para Castela ficava a terra que estava localizada do outro lado do porto de Biar. Além de repartir, uma vez mais, o Reino de Navarra, como já tinha sido feito em 1136, 1140 (Tratado de Carrión), 1151 (Tratado de Tudilén), 1157 (Tratado de Lérida), 1174 e 1177 (em Cuenca). Ao contrário do Tudilén, no de Cazorla ficava claro que Aragão perdia o direito de anexar o reino de Múrcia e parecia ficar prejudicada neste novo pacto. Assim, ficou estipulado com as menções de que os acordos eram assinados pela perpetuidade e vinculavam os sucessores de uns e outros; e eram reforçados com a seguinte cláusula: Que nenhum dos dois tirasse ou diminuísse do outro algo da parte a cada um designada, nem de outro modo um dos dois maquinaria astutamente algum obstáculo contra a já dita divisão.

 

Imagem via Wikimedia Commons

02.Jun.1953

Rainha Elizabeth II é coroada

No dia 2 de junho de 1953, a rainha Elizabeth II foi formalmente coroada monarca do Reino Unido em uma cerimônia repleta de tradições. Milhares de dignitários e convidados assistiram à coroação na Abadia de Westminster, em Londres, e centenas de milhões acompanharam o evento pelo rádio, que também foi transmitido ao vivo pela televisão. Após a cerimônia, milhões de espectadores aplaudiram a rainha de 27 anos e o seu marido, de 30 , o duque de Edimburgo, quando o casal passou fez uma trajeto de oito quilômetros em uma carruagem dourada puxada por cavalos.

 


Imagem: Associated Press [Domínio público], Wikimedia Commons

 

 

Clique aqui e saiba mais sobre a história de Elizabeth II

03.Mar.1613

Começa o reinado da Dinastia dos Romanov

A Dinastia Romanov, estabelecida em Moscou desde o século XIV, que subiu ao trono em 3 de março de 1613 com a entronização de Miguel III, filho do patriarca Filareto (primo de Fiódor I da Rússia), regeu o país até a Revolução de 1917, quando os bolcheviques depuseram Nicolau II, o último Czar da Rússia. A Dinastia Romanov ganhou influência após a morte de Ivan IV (1584). Em 1613, uma assembleia de nobres escolheu como czar o sobrinho neto de Ivan, Miguel III (1613), com o qual se iniciou a dinastia. Miguel foi sucedido por seu filho Alexis I da Rússia (206) e por seu neto Fiódor III da Rússia (1676), cuja morte iniciou um conflito sucessório entre os descendentes de Alexis I, Pedro o Grande e seus meio irmãos Ivan V e Sofia.

23.May.1533

Ana Bolena é coroada rainha da Inglaterra

Ana Bolena foi a segunda esposa de Enrique VIII, rei da Inglaterra. Era filha de sir Thomas Bolena (Boleyn) e de Isabel Howard, filha do duque de Norfolk. Após passar os anos 1519 a 1521 na corte francesa, Ana regressou à Inglaterra e foi cortejada pelo próprio rei. Depois Enrique se casou com Ana em segredo em janeiro de 1533; Ana foi coroada em 23 de maio desse ano. No dia 2 de maio de 1536, Ana foi presa na Torre de Londres, acusada de manter relações com seu próprio irmão, assim como com outros três cavaleiros da câmara privada e com um músico da corte, e também de conspirar com estes homens contra a vida do rei. Os quatro homens foram julgados no dia 12 de maio e Ana e seu irmão três dias mais tarde. Finalmente todos foram acusados de alta traição. A culpabilidade de Ana nunca pôde ser provada. O tio de Ana, Thomas Howard, terceiro duque de Norfolk, presidiu o tribunal que a condenou à morte. Em 17 de maio o músico foi enforcado e os outros quatro homens decapitados. Dois dias depois Ana foi para o cadafalso.

 


Imagem: [Domínio público], via Wikimedia Commons

 

 

Clique aqui e saiba mais sobre a história de Ana Bolena

06.Jul.1253

Mindaugas é coroado 1º rei da Lituânia

Mindaugas, nascido em 1203, foi o primeiro Rei e fundador da Lituânia (pequena cidade ao Norte da Europa), unificando as tribos lituanas. Em 1250 converteu-se ao cristianismo. Fez-se coroar rei em 6 de Julho de 1253. Lutou contra os cavaleiros germânicos. Depois de imposto à nobreza o território converteu-se ao cristianismo (O cristianismo é uma religião monoteísta de origem judaica que se baseia no reconhecimento de Jesus de Nazaré como seu fundador e figura central.), mas quando Mindaugas faleceu em 1263, vítima de uma conspiração militar, a Lituânia regressou ao paganismo (expressão que os cristãos aplicam a todas as pessoas que têm crenças religiosas diferentes do judaísmo, do cristianismo e do islamismo).

 


Imagem: [Domínio público], via Wikimedia Commons