Todos os horários

Felipe Massa

Felipe Massa é um piloto brasileiro, vice-campeão de Fórmula 1 em 2008 e que atualmente corre pela Williams.

Nascido no dia 25 de abril de 1981, em São Paulo, Massa começou sua carreira no kart, quando tinha apenas oito anos. Depois, passou pela Fórmula Chevrolet, Fórmula Renault, Fórmula 3 e Fórmula 3000. Em 2002, estreou na Fórmula 1 pela Sauber. Com todas as vagas preenchidas para o campeonato de 2003, tornou-se piloto de testes da Ferrari. No ano seguinte, foi titular na equipe da Sauber, onde ficou até 2005.


Ferrari

Se você tem má sorte ou problemas até a metade do campeonato, na segunda parte você terá que atender o que eles pedem. Embora seja difícil fazer tudo que a equipe manda, são eles que pagam seu salário todo mês.

Quando Rubens Barrichello saiu da Ferrari, Massa entrou em seu lugar, tornando-se companheiro de Michael Schumacher. No ano de estreia pela Ferrari, em 2006, Massa ganhou, na Turquia, seu primeiro GP de Fórmula 1, conquistando ainda o terceiro lugar no campeonato. No mesmo ano, ganhou o GP do Brasil, tornando-se o primeiro brasileiro a vencer em Interlagos desde Ayrton Senna, em 1993.

Com a saída de Shumacher, Massa teve chances de brigar pelo título do Mundial de 2007, mas passou por alguns problemas e terminou em quarto lugar. No mesmo ano, ele casou com a empresária Anna Raffaela Bassi. O casal teve o primeiro filho, apelidado de Felipinho, que nasceu no dia 30 de novembro de 2009.
 

Vice-campeonato e acidente

Em 2008, Massa venceu na França e assumiu pela primeira vez a liderança do campeonato. Ele também foi o primeiro brasileiro a conseguir tal feito após Ayrton Senna, em 1993. Contudo, neste ano, ficou com a vice-liderança ao final da temporada, perdendo o título por um ponto para Lewis Hamilton, na última corrida do ano, justamente no GP do Brasil.

No ano seguinte, Massa sofreu um acidente que causou muita preocupação. Durante o treino classificatório na Hungria, ele foi atingido na cabeça por uma mola que se soltou do carro de Barrichelo. Massa ficou nove dias internado nos hospital em Budapeste e depois, na sua volta ao Brasil, passou por mais uma série de exames em São Paulo. Ele só retornou às pistas em setembro, quando pilotou um kart na Granja Viana, em São Paulo. Seu retorno à Fórmula 1 após o acidente aconteceu no GP do Bahrein, em março de 2010, onde conquistou o segundo lugar. Na corrida seguinte, na Austrália, chegou em em terceiro.
 

Polêmicas

No dia em que eu disser que sou o piloto número 2, não correrei mais. Vou lutar pela vitória.

Massa alcançou a liderança do mundial após a sétima colocação na Malásia. Contudo, após essa boa fase, ele amargou uma série de maus resultados e se envolveu em polêmicas com Fernando Alonso, entre elas um suposto jogo de equipe no GP da Alemanha, em que o brasileiro teria cedido sua posição para o espanhol vencer a prova. Nesta temporada, assim como na seguinte, em 2011, Massa terminou na sexta colocação geral.

Em 2012, o piloto começou mal a temporada, mas se recuperou após a metade do ano, contudo, a equipe seguiu privilegiando Alonso com jogo de equipe, o que resultou em punições ao brasileiro. No GP do Japão, Massa conquistou a segunda posição e retornou ao pódio após quase dois anos.
 

Williams

A temporada de 2013 foi a última de Massa como piloto da Ferrari. Ele trocou a equipe pela Williams, onde teve como companheiro o finlandês Valtteri Bottas. Com o carro de sua nova equipe, Massa teve como melhor resultado o segundo lugar na última prova da temporada, em Abu Dhabi, encerrando a temporada na sétima colocação geral.

 


Imagem: Shutterstock.com

DESAFIO NASCAR

Mike e Frank pisam no acelerador com um cliente novo e impressionante: o Hall da Fama da NASCAR na Carolina do Norte. Os encarregados pediram que eles encontrassem relíquias relacionadas ao mundo do automobilismo e às corridas de automóveis. Sua primeira parada é a loja de automóveis de Tom Tiger. A coleção do corredor veterano remonta a mais de meio século, e inclui artigos inestimáveis

06.Jun.1941

Morre Louis Chevrolet

Louis Chevrolet foi um corredor de automóveis, nascido em 25 de Dezembro em 1878 na Chaux de Fonds (Cal de Fundos), Suiça. Em 1911 Louis Joseph Chevrolet criou o primeiro automóvel que levou seu nome. No entanto, por ter pouco capital para fabricá-lo, associou-se com um aventureiro milionário chamado William Crapo Durant. Esta combinação, ainda que parecesse perfeita (Chevrolet o homem técnico-mecânico e Durant o empresário), baseou-se numa relação desonesta, que terminou num vergonhoso caso de roubo por parte de Durant. Ironicamente, Chevrolet, a marca que mais automóveis vendeu no mundo durante quase um século, leva o nome de seu criador mas que nunca foi seu proprietário, já que tendo possuído só algumas poucas ações, teve que vendê-las para viver, morrendo ignorado e em total pobreza em 6 de Junho de 1941.

 


Imagem: [Domínio público], Wikimedia Commons

01.May.1994

Morre Ayrton Senna, considerado um dos melhores pilotos da história da F-1

No dia 1 de maio de 1994, o mundo assistiu pela televisão um grave acidente que resultou na morte de um dos mais queridos ídolos do esporte brasileiro. Neste dia morria Ayrton Senna da Silva, considerado um dos melhores pilotos de Fórmula 1 da história. Em seu terceiro GP da temporada, em San Marino, o brasileiro perdeu o controle da sua Williams na curva Tamburello, chocou-se violentamente contra o muro de concreto e não resistiu aos ferimentos. Senna chegou a ser levado ao hospital, mas foi declarado oficialmente morto horas depois. Em seu carro, foi encontrada uma bandeira austríaca que, em caso de uma vitória, Senna planejava levantar em homenagem ao austríaco Roland Ratzenberger, morto um dia antes no mesmo circuito. Morto aos 34 anos, Senna foi enterrado no cemitério do Morumbi, em São Paulo, e o governo brasileiro declarou três dias de luto oficial. Ao piloto também foram concedidas honras de chefe de Estado, com a salva de tiros. Na sua carreira, conquistou 41 vitórias e 65 pole positions. Nascido no dia 21 de março de 1960, em São Paulo, ele teve sua primeira experiência ao volante aos quatro anos de idade, quando seu pai construiu um pequeno kart. Apesar da idade, o garoto já mostrava que tinha talento, dando sinal do seu grande futuro. Em 1973, com apenas 13 anos, fez sua estreia profissional no kart, categoria que, em suas próprias palavras, trouxe as maiores alegrias da sua carreira. Três anos depois, venceu o Campeonato Paulista de Kart. Em 1977, conquistou o Campeonato Sul-Americano. Ele também participou do mundial da categoria, de 1978 a 1982, sagrando-se vice-campeão em 1979 e 1980. Desde então, após uma série de maus resultados, se dedicou ao desenvolvimento de uma técnica para pilotar sob a chuva, que o levou a grandes vitórias. Depois de se mudar para a Inglaterra, começou a pilotar em diferentes categorias – Fórmula Ford 1600, Fórmula Ford 2000 e Fórmula 3. Nesta época, decidiu adotar o sobrenome de sua mãe, assinando Ayrton Senna, em vez de Ayrton da Silva. Seu talento despertou os olhares de várias equipes de Fórmula 1, e Senna fechou contrato com a pequena Toleman. Sua estreia na categoria, em 1984, foi bastante difícil para o principiante, mas o brasileiro ganhou destaque ao mostrar habilidade para garantir um segundo lugar no GP de Mônaco. Em 1985, assinou com Lotus, garantindo suas primeiras pole positions e sua primeira vitória em um GP, em Portugal. A sua permanência na equipe durou mais dois anos, período em que terminou a temporada na quarta colocação em duas ocasiões (1985 e 1986) e com um terceiro lugar (1987). Senna decidiu deixar escuderia em 1988, quando assinou com a McLaren. Pela sua nova equipe, conquistou três mundiais: 1988, 1990 e 1991, todos no GP de Suzuka. Além de títulos, sua carreira também foi marcada por polêmicas e duelos históricos contra o seu maior rival, o francês Alain Prost, outro piloto que é considerado um dos maiores da história. Depois de uma época triunfante pela McLaren, Senna mostrava vontade de correr pela Williams, que tinha o carro mais competitivo. Seu desejo se realizou na temporada de 1994. Nas duas primeiras corridas, no Brasil e no Japão, Senna conseguiu a pole position, mas não completou nenhuma das provas. Na terceira etapa, em San Marino, aconteceu o acidente fatal que acabou com a vida de um dos mais brilhantes pilotos de toda a história do automobilismo.

 


 

Foto: Norio Kioke (File:Ayrton Senna Interlagos.jpg) [CC BY 2.0], via Wikimedia Commons

 

Clique aqui e saiba mais sobre a história de Ayrton Senna

21.Mar.1960

Nasce Ayrton Senna, considerado um dos melhores pilotos da história da F-1

No dia 21 de março de 1960 nascia, em São Paulo, Ayrton Senna da Silva, grande ídolo do esporte do Brasil e considerado um dos melhores pilotos de Fórmula 1 da história. Ele teve sua primeira experiência ao volante aos quatro anos de idade, quando seu pai construiu um pequeno kart. Apesar da idade, o garoto já mostrava que tinha talento, dando sinal do seu grande futuro. Em 1973, com apenas 13 anos, fez sua estreia profissional no kart, categoria que, em suas próprias palavras, trouxe as maiores alegrias da sua carreira. Três anos depois, venceu o Campeonato Paulista de Kart. Em 1977, conquistou o Campeonato Sul-Americano. Ele também participou do mundial da categoria, de 1978 a 1982, sagrando-se vice-campeão em 1979 e 1980. Desde então, após uma série de maus resultados, se dedicou ao desenvolvimento de uma técnica para pilotar sob a chuva, que o levou a grandes vitórias. Depois de se mudar para a Inglaterra, começou a pilotar em diferentes categorias – Fórmula Ford 1600, Fórmula Ford 2000 e Fórmula 3. Nesta época, decidiu adotar o sobrenome de sua mãe, assinando Ayrton Senna, em vez de Ayrton da Silva. Seu talento despertou os olhares de várias equipes de Fórmula 1, e Senna fechou contrato com a pequena Toleman. Sua estreia na categoria, em 1984, foi bastante difícil para o principiante, mas o brasileiro ganhou destaque ao mostrar habilidade para garantir um segundo lugar no GP de Mônaco. Em 1985, assinou com Lotus, garantindo suas primeiras pole positions e sua primeira vitória em um GP, em Portugal. A sua permanência na equipe durou mais dois anos, período em que terminou a temporada na quarta colocação em duas ocasiões (1985 e 1986) e com um terceiro lugar (1987). Senna decidiu deixar escuderia em 1988, quando assinou com a McLaren. Pela sua nova equipe, conquistou três mundiais: 1988, 1990 e 1991, todos no GP de Suzuka. Além de títulos, sua carreira também foi marcada por polêmicas e duelos históricos contra o seu maior rival, o francês Alain Prost, outro piloto que é considerado um dos maiores da história. Depois de uma época triunfante pela McLaren, Senna mostrava vontade de correr pela Williams, que tinha o carro mais competitivo. Seu desejo se realizou na temporada de 1994. Nas duas primeiras corridas, no Brasil e no Japão, Senna conseguiu a pole position, mas não completou nenhuma das provas. No terceiro GP, em San Marino, no dia 1o. de maio de 1994, o brasileiro sofreu um terrível acidente. Ele perdeu o controle do carro na curva Tamburello, chocou-se violentamente contra o muro de concreto e não resistiu aos ferimentos. Senna chegou a ser levado ao hospital, mas foi declarado oficialmente morto horas depois. Em seu carro, foi encontrada uma bandeira austríaca que, em caso de uma possível vitória, Senna planejava levantar em homenagem ao austríaco Roland Ratzenberger, morto um dia antes no mesmo circuito. Morto aos 34 anos, Senna foi enterrado no cemitério do Morumbi, em São Paulo, e o governo brasileiro declarou três dias de luto oficial. Ao piloto também foram concedidas honras de chefe de Estado, com a salva de tiros. Na sua carreira, conquistou 41 vitórias e 80 pole positions.

 


 

Foto: Instituto Ayrton Senna (Commons: Ayrton Senna 9.jpg) [CC BY 2.0], via Wikimedia Commons

 

Clique aqui e saiba mais sobre a história de Ayrton Senna