Todos os horários

Cozzi está determinado a buscar o título do Brasileiro de Turismo em casa

Piloto History lembra campeonato de 2013, quando foi campeão na pista após chegar à corrida final como azarão, e cita como trunfo 800 km acumulados neste semestre em Interlagos acelerando de Porsche

 

Mais uma vez Marco Cozzi chega à etapa final do Brasilero de Turismo brigando pelo título. É a quinta vez nos últimos quatro anos em que o piloto History pode sair da prova final como campeão da categoria de acesso à Stock Car.

 

A missão não é fácil: São 40 pontos em disputa na única prova do fim de semana, e o carro #23 precisa tirar 25 de vantagem para o líder e outros 21 para o segundo colocado. Ou seja, para ser campeão, Cozzi tem que vencer, com Marcio Campos chegando a partir do décimo lugar e Gabriel Robe a partir de oitavo.

 

Além dos três, Edson Coelho e Pietro Rimbano também conservam chances matemáticas de conquistar o Campeonato Brasileiro de Turismo em Interlagos.

 

Mas nenhum deles conhece a principal pista do Brasil como Cozzi.

 

Competidor mais experiente do grid, o piloto History é natural de São Paulo e, de longe, é quem mais quilometragem acumula em Interlagos.

 

“É minha casa, palco de grandes corridas minhas em diversas equipes e categorias. Somente neste semestre participei de uma prova de 300 km e outra de 500 km correndo de Porsche em Interlagos. Subi no pódio nas duas e terminei no vice-campeonato o campeonato de endurance da Porsche GT3 Challenge em dupla com meu amigo Eloi Khouri. Acho que isso vai me ajudar bastante na decisão deste título, até porque as zebras do circuito foram alteradas para a F1 deste ano e eu já sei bem como tirar o melhor delas”, comentou o competidor da equipe C2.

 

Cozzi frisou ainda que chegar à corrida final como azarão não é novidade em sua carreira. Em 2013, ele precisava vencer a prova e ver o adversário que liderava o campeonato terminar abaixo da quinta posição. “Na pista foi o que aconteceu. Perdi posições na largada, me recuperei passando todo mundo e ganhei. O outro foi sétimo e comemoramos o título na bandeirada”, lembra o piloto. Quase uma hora mais tarde porém, os comissários desportivos acharam por bem punir outros concorrentes (um deles por infração na largada!), de modo a promover o adversário direto de Cozzi ao quinto lugar na prova e consequentemente ao título.

 

“Já mostramos velocidade ao longo do ano e sabemos que o importante será pensar na corrida. A meta é fazer a pole e ganhar a prova. As contas do campeonato vamos fazer depois, para tentar dar o History este título que já estamos buscando há alguns anos”, acrescentou o piloto.

 

A programação da etapa determina um treino livre na sexta-feira, outro no sábado. O quali acontece no sábado e a corrida final abre a programação de domingo, com largada marcada para 8h20 e transmissão ao vivo dos canais Sportv.

 

Brasileiro de Turismo – Interlagos 2:

Sexta-feira, 9 de dezembro
15h15 – 15h55 – Treino livre 1

Sábado, 10 de dezembro
7h30 – 8h15 – Treino livre 2
11h05 – 11h25 – Classificação

Domingo, 11 de dezembro
8h20 – Largada

 

Brasileiro de Turismo – Classificação (top5):

  1. Marcio Campos 187 pontos
  2. Gabriel Robe 183
  3. Marco Cozzi 162
  4. Edson Coelho 159
  5. Pietro Rimbano 150

 


IMAGEM: André Santos

 

Mesmo removido do pódio na corrida 2, Cozzi é vice-líder do Brasileiro de Turismo

Controvérsia no método de cronometragem do pit-stop mancha etapa da categoria de acesso à Stock Car com múltiplas punições

 

Mais uma vez o resultado da pista não foi o resultado dos pontos no Campeonato Brasileiro de Turismo. A segunda bateria da segunda etapa no Velopark terminou com Marco Cozzi em segundo lugar. Mas o piloto History foi punido com 20s –ele e mais sete, de 11 competidores que terminaram a prova– por exceder o tempo mínimo de passagem obrigatória pelo box. Oficialmente o carro #23 foi declarado quarto colocado na prova.

 

Com o resultado, Cozzi foi a 52 pontos no campeonato e é o vice-líder.

 

“Fico contente pela velocidade que o carro mostrou hoje e agradeço mais uma vez aos mecânicos e engenheiros da C2. É triste perder um pódio por decisão fora da pista e muito esquisito que 70% do grid tenha ‘queimado’ o tempo de box. Mas vamos levantar a cabeça e partir para a próxima, pois a situação no campeonato não é ruim”, observou o piloto History.

 

Guilherme Ferro, chefe da equipe, após a prova argumentou que o time usaria as imagens da câmera onboard do carro #23 para provar que o tempo de box foi superior aos 50s mandatórios (no relatório de cronometragem consta 49s3).

 

Controvérsia à parte, Cozzi novamente fez seu papel na pista. Saltou de quarto para terceiro na largada e depois superou outro concorrente na curva 1.

 

Era segundo colocado quando entrou no box e retornou à posição depois do fim da janela de parada obrigatória.

 

A próxima etapa do Brasileiro de Turismo acontece em Goiânia nos dias 21 e 22 de maio. 

 

Brasileiro de Turismo – Velopark 2 (top5):

  1. Lukas Moraes
  2. Gustavo Frigotto
  3. Gabriel Robe
  4. Marco Cozzi
  5. Felipe Donato

 

Classificação após duas etapas (top5):

  1. Gabriel Robe 53 pontos
  2. Marco Cozzi 52
  3. Edson Coelho 52
  4. Lukas Moraes 51
  5. Gustavo Myasava 49

 


 

Texto: Luis Ferrari | Foto: André Santos

Na raça, Cozzi é pódio do Brasileiro de Turismo no Velopark

Piloto History avança de sétimo no grid para terceiro na pista mais curta do ano

Marco Cozzi lutou muito para conquistar seu primeiro pódio do ano no Campeonato Brasileiro de Turismo. O piloto History recebeu a bandeirada em terceiro no Velopark e agora é o vice-líder da categoria de acesso à Stock Car.

 

O troféu coroou uma jornada de muito esforço tanto do piloto paulista quanto da equipe C2 Team. Depois de encerrar o primeiro treino livre em penúltimo lugar, todos trabalharam muito para aprimorar a máquina #23.

 

O melhor ajuste veio justamente na tomada de tempo deste sábado, quando Cozzi buscou o sétimo lugar no grid em sua última volta lançada.

 

Na largada, ele mostrou experiência para avançar uma posição. Na volta seguinte já era quinto.

 

Então começou a ser pressionado por Lukas Moraes com o carro #111 –um assédio que durou até o fim da corrida.

 

Na volta 17, contato entre os dois primeiros provocou a entrada do safety-car –e a promoção do piloto History para terceiro lugar.

 

Quando a corrida relargou, a três voltas do fim, Cozzi foi obrigado a mudar a trajetória duas vezes para se defender de Lukas. Mas no fim teve seu esforço recompensado.

 

“Pódio muito suado. Fazia tempo que não guiava assim, mas é muito prazeroso. Vir desenvolvendo o carro é uma luta, mas são essas as corridas mais gostosas, aquelas de que a gente sempre lembra depois. Foi muito difícil, fazia tempo que não brigava tanto com o carro a prova toda. Agradeço ao esforço dos mecânicos e engenheiros da C2, que evoluíram muito o equipamento. Visualizava um quinto lugar hoje e terminar em terceiro foi muito bom.”

 

Na corrida da manhã deste domingo Cozzi vai largar em quarto, pela regra de inversão do grid. A prova tem início programado para 11h20.

 

 

Brasileiro de Turismo – Velopark 1: (top5)

1.Gabriel Robe

2.Edson Coelho

3.Marco Cozzi

4.Lukas Moraes

5.Antonio Matiazi


Texto: Luis Ferrari | Foto: André Santos

Cozzi lidera corrida em Curitiba, termina em quarto e é quarto no campeonato

Piloto History destaca pontos acumulados mesmo com o carro instável

 

Com o motor falhando em plena reta e o carro saindo muito de frente, Marco Cozzi fez o que era possível na conclusão da etapa de abertura do Campeonato Brasileiro de Turismo. O piloto History fechou a segunda bateria na quarta posição, a mesma que ocupa no campeonato da categoria de acesso à Stock Car.

A jornada começou em alta. Cozzi largou em segundo em virtude da regra do grid invertido. Na véspera, havia sido sexto, mas acabou beneficiado por punição a outro competidor por troca de motor, permanecendo na primeira fila porém.

Na largada o carro #23 tracionou melhor que Raphael Reis e assumiu a dianteira. Gabriel Casagrande, fez bela manobra saindo de sexto para emparelhar com o piloto History por fora no “S” de baixa. Cozzi então recolheu, cedendo a tangência para o companheiro.

A dupla da C2 Team foi soberana na primeira parte da corrida, até que o carro #23 começou a perder rendimento na reta. Antes da janela de pits, Cozzi já havia sido ultrapassado pelo adversário do carro#69.

Os ajustes na calibragem nos pneus da máquina do piloto History não surtiram efeito. Reordenado o pelotão, Cozzi era apenas o sexto colocado na pista.

Ele então se aproveitou de rodada de Gustavo Myasava e ultrapassou, na mesma manobra, o campeão Marcio Campos e Edson Coelho.

Com o carro visivelmente mais lento, Cozzi segurou Campos por três voltas, deixando o lado externo do “S” de baixa para o adversário gaúcho. Mas na penúltima volta foi impossível defender a posição.

O piloto History recebeu a bandeirada em quarto, muito pressionado por Edson Coelho. Casagrande repetiu a vitória da véspera, com sobras.

Não foi do jeito que eu queria. O acerto do carro ainda não está legal, não tinha potência no motor a partir da metade da prova e a frente escapava o tempo todo. Não consegui pilotar do jeito que eu gosto durante o fim de semana, especialmente hoje precisei adaptar a pilotagem o dia todo. A nota positiva foi ter terminado as duas corridas nos pontos. Não é fácil defender as posições com o carro mais lento e fomos felizes de evitar confusões e toques nas duas provas”, avaliou o piloto History.

No campeonato, Cozzi tem 25 pontos, na quarta posição. Com as duas vitórias em casa, Gabriel Casagrande foi a 40, seguido por Marcio Campos (28) e Edson Coelho (27).

A próxima etapa está marcada para o dia 10 de abril.

 

 

 

Brasileiro de Turismo – Curitiba 2 (top5):

  1. Gabriel Casagrande
  2. Pietro Rimbano
  3. Marcio Campos
  4. Marco Cozzi
  5. Gustavo Myasava

 

 

Brasileiro de Turismo – classificação (top5):

  1. Gabriel Casagrande 40 pontos
  2. Marcio Campos 28
  3. Edson Coelho 27
  4. Marco Cozzi 25
  5. Gustavo Myasava 25

 

Texto: Luis Ferrari | Foto: André Santos

Brasileiro de Turismo: Atingido na largada, Cozzi termina em 12º e sem asa no domingo

Piloto History teve que ir ao box e terminou duas voltas atrás do vencedor na segunda corrida da rodada dupla de Santa Cruz do Sul; resultado tirou a sua vice-liderança do Brasileiro de Turismo

Após os problemas de câmbio da corrida de sábado, Marco Cozzi largou da 13ª colocação na prova do domingo e foi prejudicado por um toque logo na largada. O piloto History perdeu tempo no conserto do #23 e, mesmo sem asa traseira, encerrou a corrida em Santa Cruz do Sul - RS duas voltas atrás do primeiro colocado.

As avarias no carro após uma batida que envolveu seis carros na primeira curva da prova gaúcha custaram caro para Cozzi. Ele precisou entrar no box e ficou na 12ª colocação, uma à frente da que largou, porém com duas voltas de desvantagem. A esperança para encostar no pelotão da frente e buscar algumas posições era a entrada do carro de segurança, o que não aconteceu.

O 12º lugar rendeu 5 pontos para o Piloto History, mas a vice-liderança da temporada foi perdida. Cozzi tem agora 75 pontos e é o quarto colocado, 28 pontos atrás do líder Márcio Campos, que tem 103 e foi excluído da prova deste domingo. A quinta das oito etapas do Brasileiro de Turismo será disputada no dia 16 de agosto em Goiânia, novamente com rodada dupla.

"A nota positiva de hoje é que me diverti tentando segurar o carro sem asa nesta pista tão desafiadora e os pontinhos que descontamos para o líder em si, apesar de cair para quarto na tabela. Foi uma pena a batida no começo, porque o carro hoje estava muito rápido mesmo. Pelo menos consegui completar a corrida", avaliou Cozzi.

BRASILEIRO DE TURISMO - SANTA CRUZ DO SUL - 2ª CORRIDA
(Resultado da corrida deste domingo depois de 25 voltas)
1º) Dennis Dirani (SP/Shell Racing), em 37min40s564
2º) Felipe Guimarães (DF/W2 Racing), a 3s532
3º) Edson Coelho Jr. (MG/J. Star Racing), a 6s798
4º) Pedro Boesel (PR/RSports), a 10s623
5º) Renato Jader David (SP/Hitech Racing), a 12s228
6º) Adibe Marques (PR/Voxx Racing), a 13s990
7º) Antonio Matiazi (PR/RKL Motorsports), a 14s912
8º) Lukas Moraes (SP/RR Racing), a 15s520
9º) Gustavo Myasava (PR/J. Star Racing), a 22s727
10º) Tito Morestoni (SC/Motortech Competições), a 30s033
11º) Felipe Donato (RS/Nascar Motorsport), a 2 voltas
12º) Marco Cozzi (SP/W2 Racing), a 2 voltas
13º) Renato Braga (GO/RKL Motorsports), a 3 voltas
14º) Flávio Matheus (RJ/C2 Team), a 3 voltas
NÃO COMPLETARAM
Danilo Dirani (SP/Bravar Motorsport)
Gabriel Robe (RS/Motortech Competições)
Mauri Zacarelli (SP/RSports)
EXCLUIDO:
Márcio Campos (RS/Motortech Competições)
Melhor volta: Dennis Dirani, na 5ª, 1min26s400, média de 140,54 km/h

Brasileiro de Turismo - Classificação:
1º) Márcio Campos, 103 pontos
2º) Dennis Dirani, 80
3º) Edson Coelho Jr., 79
4º) Marco Cozzi, 75
5º) Danilo Dirani, 67
6º) Felipe Guimarães, 60
7º) Pedro Boesel, 60
8º) Gabriel Robe, 55
9º) Gustavo Myasava, 50
10º) Adibe Marques, 46
11º) Felipe Donato, 45
12º) Renato Braga, 38
13º) Renato Jader David, 35
14º) Mauri Zacarelli, 32
15º) Lukas Moraes, 31
16º) Tito Morestoni, 31
17º) Antonio Matiazi, 25
18º) Marco Tulio, 17
19º) Gustavo Lima, 11
20º) Flávio Matheus, 10
21º) Wilson da Costa Jr., 4

Texto: Luis Ferrari
Imagem: Andre Santos

Com problemas no câmbio, Marco Cozzi abandona e foca na segunda corrida da etapa

Piloto History ocupava a quarta colocação quanto teve problemas no carro em Santa Cruz do Sul, mesmo assim não perdeu a vice-liderança do Brasileiro de Turismo

Largando da quarta colocação, Marco Cozzi não conseguiu levar o carro até o final da prova após problemas no câmbio neste sábado em Santa Cruz do Sul - RS. Porém, como completou 21 das 25 voltas, terminou na 13ª colocação e somou quatro pontos, o suficiente para se manter na segunda colocação do Brasileiro de Turismo. Neste domingo, o piloto do carro #23 tenta uma corrida de recuperação para se manter na briga pelo campeonato.

O líder Márcio Campos foi o vencedor da primeira prova no circuito gaúcho e aumentou a vantagem para 33 pontos - 103 contra 70 de Cozzi. O piloto History largou na quarta colocação do grid e perdeu o posto na largada, quando dois carros bateram e provocaram a entrada do carro de segurança. Na relargada, porém, retomou a quarta colocação e partiu para brigar pelo pódio. Na 21ª volta, no entanto, seu carro parou na pista.

"Meu câmbio acabou quebrando e perdi muito rendimento. Desde o início eu senti óleo vazando e muita vibração, não tinha desempenho de reta. Estamos trabalhando e tem coisas que fogem ao nosso alcance. O trabalho está sendo feito, mas nem sempre dá resultado. Vamos tentar pontuar o máximo que der amanhã, sempre fazer o máximo porque na última corrida é ponto dobrado e tudo pode acontecer", disse Cozzi.

A segunda prova desta etapa tem sua largada às 9h35 para 35 minutos e mais uma volta. O grid será definido pelo resultado da corrida do sábado com as seis primeiras posições invertidas. De Santa Cruz do Sul, o Brasileiro de Turismo parte para Goiânia, onde disputa no dia 16 de agosto a quinta das oito etapas da temporada.

 

BRASILEIRO DE TURISMO - QUINTA ETAPA
(Resultado da corrida deste sábado depois de 25 voltas)
1º) Márcio Campos (RS/Motortech Competições), em 37min31s795
2º) Gabriel Robe (RS/Motortech Competições), a 0s300
3º) Renato Jader David (SP/Hitech Racing), a 8s341
4º) Danilo Dirani (SP/Bravar Motorsport), a 28s851
5º) Edson Coelho Jr. (MG/J. Star Racing), a 31s160
6º) Dennis Dirani (SP/Shell Racing), a 39s822
7º) Mauri Zacarelli (SP/RSports), a 40s343
8º) Tito Morestoni (SC/Motortech Competições), a 48s618
9º) Pedro Boesel (PR/RSports), a 55s931
10º) Adibe Marques (PR/Voxx Racing), a 56s739
11º) Renato Braga (GO/RKL Motorsports), a 57s527
12º) Felipe Donato (RS/Nascar Motorsport), a 1min24s040
13º) Marco Cozzi (SP/W2 Racing), a 4 voltas
14º) Felipe Guimarães (DF/W2 Racing), a 5 voltas
NÃO COMPLETARAM:
Lukas Moraes (SP/RR Racing)
Gustavo Myasava (PR/J. Star Racing)
Antonio Matiazi (PR/RKL Motorsports)
Flávio Matheus (RJ/C2 Team)
Melhor volta: MárcioCampor, na 4ª, 1min26s251, média de 141,09 km/h

BRASILEIRO DE TURISMO - CAMPEONATO
1º) Márcio Campos, 103 pontos
2º) Marco Cozzi, 70
3º) Danilo Dirani, 67
4º) Edson Coelho Jr., 65
5º) Dennis Dirani, 60
6º) Gabriel Robe, 55
7º) Pedro Boesel, 47
8º) Felipe Guimarães, 44
9º) Gustavo Myasava, 42
10º) Felipe Donato, 39
11º) Adibe Marques, 35
12º) Renato Braga, 34
13º) Mauri Zacarelli, 32
14º) Lukas Moraes, 24
15º) Tito Morestoni, 24
16º) Renato Jader David, 23
17º) Marco Tulio, 17
18º) Antonio Matiazi, 15
19º) Gustavo Lima, 11
20º) Flávio Matheus, 7
21º) Wilson da Costa Jr., 4

Texto: Luis Ferrari
Imagem: Andre Santos

Marco Cozzi é o melhor na sexta-feira e prevê etapa equilibrada no Brasileiro de Turismo

Piloto History virou 35 centésimos na frente do companheiro de equipe W2 Racing, Felipe Guimarães, e foca na pole para buscar pontos na rodada dupla da categoria de acesso à Stock Car Santa Cruz do Sul

Na busca da liderança do Brasileiro de Turismo, Marco Cozzi cravou 1min25s493 e foi o mais rápido no primeiro dia de treinos livres para a etapa de Santa Cruz do Sul - RS. Vice-líder do campeonato, o piloto History ficou satisfeito com o desempenho e concentra agora na pole position no treino da manhã deste sábado para cruzar a linha de chegada em primeiro na corrida que acontece na tarde do mesmo dia.

Pela manhã, Cozzi deu apenas uma volta rápida no circuito gaúcho e marcou o terceiro melhor tempo da primeira sessão. No treino da tarde, conseguiu se livrar do tráfego e andou no tempo que havia projetado, formando uma dobradinha com o companheiro na equipe W2 Racing, Felipe Guimarães - 1min25s528. 

Porém, mesmo com a melhor marca da sexta, o piloto do carro #23 prevê uma etapa mais equilibrada do que a anterior, disputada em Curitiba.

"Está bem equilibrado, mais que Curitiba. Quase escapei duas vezes, mas deu tudo certo. Foi importante acabar em primeiro para chegar bem no qualifying e fazer a pole. A pole aqui é 90% de chance de vencer a primeira corrida", destaca.

A pista abrasiva e o consequente desgaste de pneus deve ser a principal preocupação durante o final de semana em Santa Cruz do Sul. Diversos carros rodaram nas sessões desta sexta-feira, o que ocasionou bandeira vermelha várias vezes. "O dia começou frio e depois esquentou muito. Com isso o asfalto perdeu grip. Fora do trilho está um sabão e isso é mais um motivo para sair na frente, pois o líder pode ir controlando a velocidade", ressalta.

O treino que decide o grid para a primeira prova do final de semana acontece na manhã deste sábado, às 9h55, em uma sessão de 20 minutos. Às 15h55, os pilotos largam para uma corrida de 35 minutos de duração mais uma volta. No domingo, a partir das 9h35, os seis primeiros da prova de sábado invertem suas posições para formar o grid da segunda corrida em Santa Cruz do Sul, que também terá 35 minutos e mais uma volta.

BRASILEIRO DE TURISMO - TREINOS LIVRES EM SANTA CRUZ DO SUL (Combinado das duas sessões)
1º) Marco Cozzi (SP/W2 Racing), 1min25s493

2º) Felipe Guimarães (DF/W2 Racing), 1min25s528
3º) Dennis Dirani (SP/Shell Racing), 1min25s701
4º) Edson Coelho Jr. (MG/J. Star Racing), 1min25s778
5º) Pedro Boesel (PR/RSports), 1min26s027
6º) Gabriel Robe (RS/Motortech Competições), 1min26s539
7º) Renato Jader David (SP/Hitech Racing), 1min26s732
8º) Márcio Campos (RS/Motortech Competições), 1min26s822
9º) Antonio Matiazi (PR/RKL Motorsports), 1min27s099
10º) Danilo Dirani (SP/Bravar Motorsport), 1min27s,34
11º) Felipe Donato (RS/Nascar Motorsport), 1min27s514
12º) Mauri Zacarelli (SP/RSports), 1min27s526
13º) Flávio Matheus (RJ/C2 Team), 1min27s679
14º) Adibe Marques (PR/Voxx Racing), 1min27s899
15º) Lukas Moraes (SP/RR Racing), 1min28s452
16º) Gustavo Myasava (PR/J. Star Racing), 1min28s473
17º) Tito Morestoni (SC/Motortech Competições), 1min28s489
18º) Renato Braga (GO/RKL Motorsports), 1min29s066

Texto: Luis Ferrari
Imagem: Andre Santos

Conheça o tanque de luxo para aventuras ao extremo [Vídeo]

Já imaginou um veículo que é algo como um tanque do filme “Mad Max: Estrada da Fúria” com o luxo do carro do Batman? Talvez seja possível definir assim o Ripsaw EV2 Super Luxury Tank, um tanque para quem não mede os custos e esforços quando o assunto é aventura ao extremo e em alta velocidade - confira o vídeo abaixo.

Com o EV2, encarar uma nevasca é como dirigir no asfalto. Se o caso for um terreno barrento, ele trafega com naturalidade e em alta velocidade. O mesmo vale para áreas arenosas, pântanos ou até uma tubulação de esgoto: nada pode pará-lo. Ele também dá saltos nas dunas graças à suspensão reforçada e curso de 30 cm.

Ainda não há muitos detalhes técnicos sobre a novidade, mas pode-se dizer que ele é uma versão do Ripsaw, um veículo off-road, fabricado em Maine nos EUA, pela Howe and Howe Technologies. O que se sabe é que possui o poder de um guincho e motor diesel com mais de 600 cavalos.

Ficou com vontade de ter o seu? Então é melhor ter paciência, porque o Ripsaw EV2 é feito manualmente e em edição limitada – cada um leva seis meses para ficar pronto. Além disso, é recomendável uma boa conta bancária antes de tudo, já que um tanque desses deve custar “centenas de milhares de dólares”, segundo a empresa. dependendo do luxo e performance desejados.

Fontes:

GizMag , FlatOut, Ripsaw Tank

Imagem: Denchik / Shutterstock.com

 

12.May.1940

Inaugurado o Autódromo de Interlagos

No dia 12 de maio de 1940, era inaugurado o Autódromo José Carlos Pace, mais conhecido como Autódromo de Interlagos, na cidade de São Paulo. O local ganhou este apelido pois está construído em uma região entre dois lagos artificiais, Guarapiranga e Billings. Considerado um dos autódromos com um dos melhores traçados do mundo, o local foi inaugurado pelo interventor Ademar de Barros e, desde 1972, sedia o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 (com exceção dos anos de 1981 a 1989, quando a prova foi disputada em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro). Em 1973, o piloto brasileiro Emerson Fittipaldi, da Lotus, venceu a primeira prova disputada no local que foi válida pelo circuito mundial de pilotos e equipes.

No meio dos anos 80, o autódromo foi renomeado em homenagem ao piloto de F-1 José Carlos Pace, morto em 1977. Junto à construção está o Kartódromo Municipal Ayrton Senna. Atualmente, Interlagos é um dos poucos circuitos fora dos EUA a ter sentido anti-horário.

Fora eventos de corrida, o local também recebe desfiles das escolas de samba e festivais de música. O autódromo passou por uma reforma em 2007, quando ficou fechado por quatro meses para a troca do asfalto, construção de mais uma arquibancada e uma mudança da entrada dos boxes.

 


Imagem: Morio [CC BY-SA 3.0], via Wikimedia Commons

Cozzi mantém 100% de pódios e amplia liderança no Brasileiro de Turismo

Segundo colocado na etapa do Velopark, piloto History frisa competitividade da categoria de acesso à Stock Car 

O paulista Marco Cozzi ampliou neste domingo (26) sua vantagem na liderança do Campeonato Brasileiro de Turismo. O piloto History Channel foi segundo colocado na terceira etapa, disputada no Autódromo Internacional Velopark, em Nova Santa Rita (RS). Com isso, Cozzi passou a ter nove pontos de vantagem sobre o gaúcho Márcio Campos, que venceu a corrida e assumiu a vice-liderança - sua margem sobre o paulista Danilo Dirani, vice-líder até então, era de oito pontos.

 

"Foi um bom fim de semana", resumiu Cozzi, que foi ao pódio pela terceira vez em três corridas no ano - na rodada dupla de março em Goiânia ele conquistou uma vitória e um segundo lugar. "Começamos com o melhor tempo no treino livre de sexta-feira, mas o sábado foi um pouquinho mais difícil. A temporada está muito disputada e principalmente aqui no Velopark largar na frente é fundamental", observou o piloto, que ocupou o terceiro lugar no grid, atrás do pole Dennis Dirani e de Campos, que dividiram a primeira fila.

 

"Eu sabia que, saindo em terceiro, a missão não seria fácil, até porque a direção de prova determinou largada em fila indiana", observou Cozzi. Ele assumiu o segundo lugar na 12ª volta, acompanhando a manobra de Campos sobre o pole Dirani. "Depois que consegui o segundo lugar vim economizando um pouco o carro, achava que daria para atacar no fim. Forcei o ritmo nas últimas voltas, mas o Campos também pisou mais, ele sentiu a aproximação. Chegamos muito próximos", observou, citando a diferença entre os dois primeiros colocados após as 33 voltas de corrida, que era de menos segundo. "Conseguimos atingir o objetivo, que era manter a liderança, se possível ampliar. Sabemos que esses pontos serão importantíssimos no final do ano", encerrou.

 

A próxima etapa da temporada do Brasileiro de Turismo acontece com a rodada dupla em Curitiba nos dias 30 e 31 de maio. Os canais Sportv exibem a jornada do Velopark nesta terça-feia.

 

TERCEIRA ETAPA DO BRASILEIRO DE TURISMO

1º) Márcio Campos (RS/Motortech Competições), 36min11s623

2º) Marco Cozzi (SP/W2 Racing), a 0s483

3º) Dennis Dirani (SP/Shell Racing), a 3s480

4º) Felipe Guimarães (DF/W2 Racing), a 4s127

5º) Danilo Dirani (SP/Bravar Motorsport), a 5s969

6º) Pedro Boesel (PR/RSports), a 11s717

7º) Edson Coelho (MG/J. Star Racing), a 12s182

8º) Gustavo Myasava (PR/J. Star Racing), a 12s398

9º) Marco Túlio Souza (GO/Hitech Racing), a 15s699

10º) Mauri Zacarelli (SP/RSports), a 21s990

11º) Renato Braga (GO/RKL Motorsport), a 25s909

 

NÃO COMPLETARAM

Adibe Marques (PR/Voxx Racing), a 9 voltas

Gabriel Robe (RS/Motortech Competições), a 11 voltas

Felipe Donato (RS/Nascar Motorsport), a 17 voltas

Flavio Matheus (RJ/C2 Team), a 25 voltas

Antonio Matiazzi (PR/RKL Motorsport), a 27 voltas

Gustavo Lima (DF/C2 Team), a 30 voltas

Melhor volta: Campos, na 27ª, 58s609, média de 139,923 km/h

 

Após três corridas, a classificação do Brasileiro de Turismo é:

1º) Marco Cozzi, 52 pontos;
2º) Márcio Campos, 43;
3º) Danilo Dirani, 40;
4º) Edson Coelho Júnior, 34;
5º) Gabriel Robe, 28;
6º) Gustavo Myasava, 26;
7º) Felipe Guimarães, 25;
8º) Renato Braga, 24;
9º) Pedro Boesel e Dennis Dirani, 21;
11º) Marco Túlio Souza, 17;
12º) Adibe Marques, 12;
13º) Felipe Donato, 12;
14º) Gustavo Lima, 11;
15º) Tito Morestoni, 9;
16º) Mauri Zaccarelli, 7;
17º) Flávio Matheus, 5.

 


Texto: Luis Ferrari |  Fotos: Duda Barros / Vicar