Todos os horários

A maldição de Tutancâmon segue viva quase 100 anos depois

“A morte golpeará com seu tridente aquele que perturbar o repouso do faraó”, dizia a inscrição que Howard Carter encontrou em uma antecâmara do túmulo de Tutancâmon. Muitos foram os mistérios em torno da descoberta da sepultura do imperador egípcio, mas nenhum deles possui tantos desdobramentos trágicos quanto “A Maldição do Faraó”.

[VEJA TAMBÉM: Tutancâmon: conheça as misteriosas anomalias da múmia do faraó ainda sem explicações]

No início de 1923, Carter e seu amigo Lord Carnarvon abriram cerimoniosamente o túmulo do jovem Tutancâmon no Vale dos Reis. Dois meses depois, Carnarvon morreu repentinamente por envenenamento no sangue, causado pela picada de um mosquito, o que provocou estardalhaço na imprensa da época. Os rumores sobre a maldição continuaram crescendo quando outros trabalhadores que haviam participado da escavação morreram inesperadamente.

Uma pesquisa, publicada pela revista de prestígio British Medical Journal, em 2002, comparando a média de vida de 44 ocidentais que estavam no Egito quando o mausoléu foi aberto – 25 dos quais teriam estado presentes no recinto –, determinou que não havia diferença significativa entre os anos vividos por aqueles que foram expostos à múmia e os que não foram.

Outras teorias tentaram explicar a morte de Carnarvon afirmando que ela poderia ter sido causada por toxinas presentes no sepulcro, mas especialistas descartaram essa hipótese, alegando que a morte ocorreu meses depois de ele ter sido exposto a qualquer substância potencialmente nociva.

Quase cem anos depois da descoberta do descanso final de Tutancâmon, os ecos de sua terrível maldição continuam causando medo e mistério.

Fonte: History

Imagem:Imagem: Ägyptischer Maler um 1350 v. Chr. [Domínio Público], via Wikimedia Commons

Revelamos os lugares mais mal-assombrados do mundo

Nem o pesquisador paranormal mais experiente seria capaz de passar por qualquer desses lugares sem morrer de medo. Abaixo, seguem alguns dos lugares mais mal-assombrados da face da Terra.

[VEJA TAMBÉM: Conheça a maldição indígena que teria matado vários presidentes dos EUA]

Mansão Woodchester:
Além dos espíritos que abriga em seu interior, a fachada de estilo gótico já anuncia um cenário macabro. A mansão foi construída sobe as ruínas de uma antiga casa, chamada Primavera Park. Seu proprietário, William Leigh, decidiu erguer a Mansão Woodchester, mas foi à falência antes de poder terminá-la. Depois, ela foi utilizada como base dos exércitos canadenses e americanos na Segunda Guerra Mundial. É incontável a quantidade de pessoas que afirmam ter visto uma enorme variedade de espectros no interior e identificaram, inclusive, o fantasma de William Leigh perambulando pelos corredores.
Imagem: Matthew Lister Ttamhew - Licensed under CC BY-SA 3.0 via Commons 


Catacumbas de Paris
Desde a era romana, quando funcionaram como minas de calcário, as Catacumbas de Paris formam uma rede enorme de túneis. Com o decorrer do tempo, os corredores foram transformados em um cemitério, o qual, atualmente, abriga milhares de cadáveres. Os visitantes desse local afirmam sentir um ambiente denso e pesado desde o primeiro momento. São muitos os que se sentem observados e tantos outros que relataram ter visto algumas das inúmeras almas penadas que se lamentam pelo local.

Imagem: Upload original de MykReeve a English Wikipedia/CC BY-SA 3.0 via Wikimedia Commons


A Torre de Londres
Talvez por causa do período em que funcionou como prisão, a Torre de Londres é considerada um dos lugares mais mal-assombrados de todo o Reino Unido. Nas proximidades da Torre, houve uma infinidade de execuções, incluindo de membros da Casa Real. São muitos os relatos de visitantes que afirmam ter visto fantasmas de pessoas executadas.

Imagem: Stephan Brunker de de.wikipedia.org/CC BY-SA 3.0 vía Wikimedia Commons 

 

Forte Bhangarh
Localizado no Rajastão, na Índia, esse lugar remonta aos tempos esplendorosos de um antigo reino. A lenda diz que o local é habitado não apenas por espíritos humanos, mas também por toda a sorte de demônios. É considerado um lugar tão perigoso que o governo colocou um cartaz proibindo a entrada depois do pôr-do-sol e antes do amanhecer.

Imagem: Arindambasu2 /CC BY-SA 3.0 via Commons

Fonte: supercurioso.com  

Conheça a maldição indígena que teria matado vários presidentes dos EUA

Existe uma maldição, segundo a crença popular, embora com implicações muito reais, que perseguiu de forma mortal os presidentes norte-americanos desde 1840 até 1960, sem exceção.

Também conhecido como Tecumtha, ou Tekamthi, o cacique Tecumseh, líder nativo da tribo indígena Shawnee, foi derrotado durante a batalha de Tippercanoe pelo governador do recém-estabelecido território de Indiana, William Henry Harrison, em 1811. Porém, antes de morrer, Tecumseh rogou uma poderosa maldição de morte repentina contra os Grandes Pais Brancos, como vingança pela dor causada ao seu povo.

Alguns anos depois, a maldição indígena começou a surtir efeito. William Henry Harrison foi eleito presidente dos EUA em 1840 e, alguns meses depois, em abril de 1841, morreu em decorrência de uma pneumonia. Até os dias de hoje, foi o governante por tempo mais curto na histórica democrática norte-americana.

Em 1860, Abraham Lincoln chegava à presidência e, cinco anos depois, foi assassinado pelo ator John Wilkes Booth, logo após começar seu segundo mandato.

James A. Garfield vencia as eleições de 1880 e apenas alguns meses depois era assassinado pelo advogado Charles Jules Guiteau, no salão de espera da estação de trens de Washington.

Vinte anos depois, embora tenha sido uma reeleição, o presidente William McKinley era assassinado pelo anarquista Leon Czolgosz.

Os dois próximos presidentes americanos morreram por causas naturais, supostamente: Warren G. Hardin, eleito em 1920, morreu oficialmente em consequência de um derrame, embora haja suspeitas de envenenamento. Franklin D. Roosevelt, reeleito em 1940 para o seu terceiro mandato, morreu de uma hemorragia cerebral.

A longa lista de presidentes americanos afetados pela maldição indígena chegou ao fim no mandato de John F. Kennedy, eleito em 1960 e assassinado em 1963. Desde então, com a presidência de Ronald Reagan, eleito em 1980, os efeitos da maldição começaram a desaparecer. Reagan esteve prestes a ser assassinado em 30 de março de 1981, em Washington, quando John Hinckley atirou nele. Mas Reagan sobreviveu e morreu em 2004, aos 93 anos.

Fonte: curistoria.com 

Imagem: moomsabuy / Shutterstock.com

Conheça a mansão Winchester, a casa mais assombrada do mundo [VÍDEO]

Talvez você já tenha ouvido falar nos famosos rifles Winchester, bastante populares no século XIX, em especial pela “conquista do Oeste” nos Estados Unidos. A arma Winchester 22 é, inclusive, citada três vezes no clássico Faroeste Caboclo, de Renato Russo. Por trás da fama e popularidade dessa arma, no entanto, há uma história controversa de mortes de membros da família Winchester e uma mansão supostamente assombrada, que hoje é uma atração turística em São José, na Califórnia, chamada Winchester Mystery House. Esta casa é especialmente conhecida pela paranóia de sua última moradora, Sarah, a viúva do magnata William Winchester, que a construiu e a reformou ao longo de 38 anos para, supostamente, agradar espíritos de pessoas mortas pelo rifle.

Por conta da insana construção, a mansão possui escadas que não levam a lugar algum, janelas inúteis, centenas de quartos, dezenas de banheiros, colunas fora do local correto e uma decoração e mobília caríssimas. O projeto para a reforma nunca existiu, mas o importante para Sarah era manter a mansão em obras 24 horas por dia e sem parar. Só assim, ela acreditava que acabaria com uma maldição sobre  família e também se manteria viva. Sarah havia perdido a filha pequena e nunca mais conseguiu engravidar. Depois, seu marido William também morreu, em 1880, e isso a deixou em depressão. Estima-se que, em valores atualizados, foram gastos US$ 71 milhões na infinita construção.

As obras só pararam com a morte de Sarah, em 5 de setembro de 1922, aos 85 anos. Sua herança passou para uma sobrinha, que ficou com alguns dos objetos da mansão e leiloou o restante. A mansão foi colocada à venda e, menos de um ano depois da morte de sua dona, foi transformada em atração pública.

Fonte:

Mansão Winchester

Conheça alguns dos fenômenos paranormais já registrados em Oak Island

A busca pelo suposto tesouro enterrado em Oak Island, na Nova Escócia, no Canadá, se mostra tão cheia de armadilhas, que alguns já perderam a vida nesta aventura. Os misteriosos obstáculos fazem muitos pensar que o tesouro é amaldiçoado e que, na realidade, ele foi enterrado ali para “ser deixado em paz”.

As lendas de maldições sobre a ilha existem desde que um grupo de adolescentes descobriu um buraco que levaria a um tesouro, em 1795. Segundo se conta, os rapazes foram atraídos por três luzes fortes ao chamado “poço do dinheiro”. Desde então, muitos já tentaram desvendar este enigma.

Os irmãos Rick e Marty Lagina, que atualmente tentam desvendar os mistérios da ilha, chamaram um grupo de pesquisadores paranormais que registraram atividades muito estranhas em Oak Island. Eles afirmam que o local tem um “energia” assustadora, em especial em algumas árvores do pântano. O grupo também registrou uma intensa atividade eletromagnética na ilha que ainda não pode ser explicada. Lendas da região dizem que os corvos do local são possuídos pelas almas dos escravos que construíram os buracos do tesouro e que há fantasmas de soldados das tropas britânicas na região, além de almas penadas de pessoas que foram assassinadas por piratas. Registros de barulhos estranhos também são comuns na ilha.

Em um dos vídeos abaixo você poderá ver o depoimento de uma família que vive sendo assustada por fenômenos estranhos e barulhos sem explicação.

Além disso, há ainda a hisória do eremtida Dan Henskee, que busca o tesouro de Oak Island há mais de 40 anos. Na opinião dele, a ilha realmente é assombrada e está sob uma maldição. Ele mesmo disse ter passado por uma experiência paranormal por ali no ano de 1973. Depois de sofrer com uma série de pesadelos, um dia Dan disse que sentiu como se estivesse possuído pela alma de um padre e que experimentou a sensação da morte dessa pessoa, que teria sido degolada. [Assista ao vídeo A Maldição do Padre abaixo]. Apesar de todas essas histórias de fantasmas e assombrações, a busca pelo tesouro fala mais alto para estes caçadores, que irão enfrentar fantasmas e colocar maldições à prova para desvendar o enigma de Oak Island.

Assista abaixo os vídeos e tire suas próprias conlcusões, e se quiser ver mais, não se esqueça que hoje estreia a segunda temporada de A MALDIÇÃO DE OAK ISLAND - acompanhe os irmãos Lagina em busca do tesouro, esta noite, às 22h.

 

A Maldição do Padre

Fantasmas e Maldições

 

Pesquisadores conseguem decifrar antigo código egípcio com feitiços e maldições

Pesquisadores das universidades de Macquarie e Sydney, na Austrália, conseguiram desvendar os segredos de um código egípcio antiquíssimo, de 1300 anos. Após três décadas de análise, especialistas confirmaram que se trata de um livro de feitiços, denominado “Manual Egípcio de Rituais de Poder”. O exemplar foi encontrado por um comerciante, entre o final dos anos 70 e o início dos 80, que, posteriormente, o vendeu à Universidade Macquarie. Desde então, as tentativas de traduzir o texto foram muitas, todas sem sucesso.

O código egípcio, ou manual de rituais e sortilégios, foi inteiramente confeccionado em páginas encadernadas de pergaminho e, provavelmente, escrito por algum morador do Alto Egito, há 1300 anos. O livro possui um total de 20 páginas manuscritas em copta (a última fase do idioma egípcio antigo). Nele, estão 27 feitiços e uma grande quantidade de desenhos e invocações. Os pesquisadores descobriram poções de amor, formas para expulsar espíritos malignos, receitas para ter sucesso nos negócios e remédios contra algumas doenças, como a icterícia. Entre as maldições que puderam ser decifradas, inclui-se a de enfeitiçar alguém: “Após proferir a fórmula mágica, você tem que colocar duas unhas na parte superior da porta da pessoa que você deseja conquistar; uma em cada lado da porta”.

O código original é exibido no Museu de Culturas Antigas da Universidade de Macquarie. Os pesquisadores suspeitam que o autor, ou autores, tenham sido monges ou sacerdotes, que utilizavam o texto como manual de ajuda para seus fiéis. De qualquer modo, a verdade sobre sua autoria ainda é um total mistério.

Fonte: Muyinteresante 

Conheça Ilha de Poveglia e entenda porque é a ilha mais assombrada do mundo?

Um lugar lindo e ao mesmo tempo assombrado. Assim é a ilha Poveglia, completamente desabitada e fechada para visitação, localizada na lagoa de Veneza, na Itália. A ilha chegou a ser leiloada pelo governo italiano no ano passado, mas a negociação não foi para frente. O certo é que relatos assustadores afastam as pessoas de lá e até os investidores.

A má fama desta ilha de 17 hectares se arrasta há centenas de anos. Ainda no século XIV o local foi razão de disputas entre venezianos e genoveses e, por este motivo, ainda apresenta traços de fortificações. Quatro séculos mais tarde, era um centro de quarentena para os navios que chegavam a Veneza.

Depois que foram descobertos em dois navios indícios da peste, doença que dizimou a Europa, o local foi fechado e usado para hospedar pessoas com doenças infecciosas. Lendas locais diziam que pacientes à espera da morte eram assombrados por fantasmas dos que já tinham perecido por ali. Um hospital para os idosos foi inaugurado em 1922 e operou até 1968. Há rumores de que ali foram realizadas experiências com doentes mentais, incluindo as brutais lobotomias. O diretor da instituição teria sido levado à loucura por fantasmas e se atirado da torre do hospital, segundo crenças populares.

Um apresentador de TV americano que conseguiu permissão para visitar a ilha, entrou no hospital abandonado para gravar um programa para o canal Travel Adventures. Ele afirmou ter se sentido possuído por um fantasma lá dentro.

A ideia do governo italiano era transformar a ilha em um hotel de luxo, sob um acordo que dá aos compradores um contrato de arrendamento de 99 anos para reconstruir a propriedade, contudo, a ilha continuaria propriedade do estado. Depois que houve o leilão, moradores criaram, em abril do ano passado, uma organização sem fins lucrativos chamada Poveglia per tutti, para que o local fosse aberto ao público. Por enquanto, a ilha ainda segue fechada e com os seus mistérios muito bem guardados.

Veja mais no vídeo abaixo sobre a "assombrada" ilha:

Fontes:

Poveglia per tutti

The Telegraph

 

Conheça os filmes malditos de Hollywood e o que há por trás desses mistérios que ainda assombram a história do cinema

Ao longo da história, os gêneros cinematográficos do terror e do suspense foram vinculados, muitas vezes, a mortes inesperadas e acidentes catastróficos, tanto ou mais tenebrosos que os narrados na ficção. Hoje, apresentamos alguns dos casos mais emblemáticos.

Poltergeist – O Fenômeno

Entre o primeiro e o terceiro filme dessa famosa saga de terror, uma maldição estranha e mortífera colocou fim à vida de vários de seus protagonistas. Dominique Dunn, atriz que interpreta a irmã mais velha da protagonista, foi estrangulada pelo seu namorado, aos 22 anos de idade. Julian Beck, que atuou no segundo filme da série, morreu aos 60 anos com um câncer de estômago. Will Sampson, ator que faz um pajé, faleceu após complicações durante uma operação, aos 53 anos. No entanto, a tragédia de maior impacto foi a da protagonista mirim, Heather O’Rourke, que morreu aos 12 anos em decorrência de um choque séptico.

A Profecia

O avião em que viajava Gregory Peck, ator principal do filme, foi atingido por um raio quando atravessava uma tempestade, sem consequências para ele ou para o resto dos passageiros. Curiosamente, um incidente de características idênticas afetou também o roteirista do filme, David Seltzer, oito horas depois, em outro avião. John Richardson, responsável pelos efeitos especiais, e sua colaboradora sofreram um acidente no qual ela morreu decapitada, de maneira semelhante a uma cena famosa do filme.

O Exorcista

Durante a filmagem, foi necessário que um sacerdote exorcizasse as locações, após o incêndio inexplicável de vários cenários e inúmeros contratempos. Além disso, a morte se fez presente, levando a vida de 9 pessoas, entre as quais estão a dos atores principais Jack MacGowran e Vasiliki Maliaros, que morreram por causas diversas.

Fonte: Clarín 

Qual a explicação para as Dez Pragas do Egito?

Quem nunca ouviu falar das “Dez Pragas do Egito” que são descritas no livro Êxodo na Bíblia? O assunto já serviu de tema para filmes, contos, músicas e dezenas de obras de arte. Contudo, poderia haver alguma explicação de fundo científico ou algum acontecimento ocorrido na Antiguidade que pudesse ter dado origem a estas maldições relatadas pela Bíblia?

Entre os terríveis dez infortúnios previstos para a humanidade estão: águas em sangue, rãs, piolhos, moscas, doenças nos animais, sarna que rebentava em úlceras, saraiva com fogo, gafanhotos, trevas e morte dos primogênitos. Lançada há, aproximadamente, 3 mil anos, essa maldição teria sido motivada pelo fato de o Faraó do Egito se negar a libertar o povo hebreu da escravidão. Alguns pesquisadores especulam que alguns desastres naturais, mudanças climáticas e também a ocorrência de pragas no Egito teriam servido de base para o texto bíblico. Veja abaixo alguns deles:

Águas de sangue

Diz a Bíblia que toda e qualquer água do Egito foi transformada em sangue e os rios foram contaminados, o que resultou na morte de todos os peixes. Pesquisadores acreditam que, final do reinado de Ramsés II, houve uma mudança de clima e ocorrência de seca. As altas temperaturas e a escassez de chuva podem ter alterado as características do Nilo e a proliferação de uma alga (Oscillatoria rubescens) que, em águas quentes e pouco movimentadas, torna-se de cor avermelhada.

Sapos, insetos e doenças

De acordo com a Bíblia, o Egito foi assolado por pragas, insetos e os animais atacados por doenças. De acordo com hipóteses de pesquisadores, a alga O. rubescens teria dado origem à segunda (rãs), terceira (piolhos) e quarta pragas (moscas). Sua proliferação teria afetado o ciclo reprodutivo dos girinos, que teriam se intoxicado. Assim, moscas e piolhos e demais pragas começaram a se proliferar descontroladamente, sem seus predadores naturais. Desta maneira, também ocorreram a morte de animais e a disseminação da sarna. Dando sequência ao terrível ciclo, os humanos também  teriam sido infectados pelos animais doentes.

Granizo, gafanhotos e trevas

Na época das pragas, também teria ocorrido a erupção do vulcão Thera, que resultou na emissão de bilhões de toneladas de cinzas na atmosfera. Isso teria desencadeado terríveis tempestades de granizo e mudanças climáticas, o que teria favorecido o aparecimento de gafanhotos.
As trevas podem ser explicadas por conta das cinzas na atmosfera que poderiam ter bloqueada a luz solar, o que teria dado origem aos três dias de escuridão.

Morte dos primogênitos

De acordo com o relato bíblico, nesta última praga do Egito, todos os primogênitos teriam morrido em apenas uma noite. Esta tragédia pode estar ligada à erupção do vulcão. Os abalos sísmicos teriam liberados gases tóxicos, que matou as pessoas que estivessem dormindo mais próximos ao nível do solo, ou seja, onde ficaram os primogênitos.

Fonte:
Mega Curioso