Todos os horários
24.Nov.1983

Ocorre a manifestação pelas Diretas Já, na Praça Chales Miller, em São Paulo

Uma série de manifestações entre os anos de 1983 e 1984 marcou a onda de protestos no Brasil que fez parte do movimento conhecido como Diretas Já, que reivindicava a realização de eleições presidenciais diretas. Naquela época, o Brasil ainda vivia os últimos anos do Regime Militar. Além de pedir pela participação popular nas eleições presidenciais, os manifestantes também protestavam contra o agravamento da crise econômica.

No dia 27 de novembro de 1983 ocorreu uma grande manifestação na Praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu, em São Paulo. Anteriormente, já haviam ocorrido atos semelhantes em Abreu Lima (PE), Goiânia (GO) e Curitiba (PR).

Com a mobilização em vários pontos do país, o movimento cresceu e teve seu ápice no dia 25 de janeiro (aniversário de São Paulo) com a realização de um evento no Vale do Anhangabaú, com mais de 1,5 milhão de pessoas. O ato foi liderado por Tancredo Neves, Franco Montoro, Orestes Quércia, Fernando Henrique Cardoso, Mário Covas, Luiz Inácio Lula da Silva e Pedro Simon, além vários artistas e intelectuais envolvidos na luta pelas Diretas Já.

O então presidente João Figueiredo tentou reprimir o movimento com censura à imprensa, prisões e violência. Apesar da Emenda Dante de Oliveira (que exigia a votação direta) não ter passado na Câmara dos Deputados, o movimento representou um marco no processo de redemocratização do Brasil. Em 1985, finalmente, o Brasil voltaria a ser governado por um presidente civil. Depois, em 1988, houve a aprovação de uma nova Constituição e, no ano seguinte, ocorreu a primeira eleição direta para Presidente da República após o Regime Militar.

 


Imagem: By Arquivo da Agência Brasil (ABr; ABr.) [CC BY 3.0 br], via Wikimedia Commons

15.Ene.1985

Fim da ditadura: Brasil volta a ter um presidente civil após 21 anos de regime militar

No dia 15 de janeiro de 1985, o Brasil voltou a ter um presidente civil após longos 21 anos de regime militar. Por uma eleição indireta, o escolhido para o cargo foi Tancredo Neves, ex-governador de Minas Gerais e candidato da Aliança Democrática. No pleito, ele venceu o deputado Paulo Maluf, do PDS, por 480 contra 180 de um total de 686 votos do Colégio Eleitoral. Antes de Tancredo Neves, o último presidente civil do país foi João Goulart, deposto em 1964. Apesar de a eleição de Tancredo Neves ter ocorrido de maneira indireta, sua vitória foi considerada fundamental para o processo de redemocratização do país. Contudo, na véspera de sua posse, programada para o dia 15 de março de 1985, Tancredo Neves sofreu uma crise aguda de peritonite e foi para o Hospital de Base de Brasília. Ele ficou internado 38 dias, passou por sete cirurgias e morreu no dia 21 de abril de 1985, sem ter conseguido vestir a faixa presidencial.

 


Imagem: Agência Brasil (Official picture of the Brazilian government [1]) [CC BY 3.0 br], via Wikimedia Commons