Todos os horários

5 invenções da Grécia Antiga que usamos até hoje!

A Grécia Antiga exerceu uma enorme influência na história do Ocidente. Além de suas contribuições no campo da política, ciência, arte e filosofia, muitas invenções gregas continuam sendo utilizadas atualmente.

Vídeo relacionado:
Despertador: Os gregos usavam um mecanismo de relógio sonoro que funcionava com água ou seixos rolados que caíam. Diz-se que Platão possuía um desses artefatos.

Moinho de água: Utilizados para moer grãos em diversos trabalhos têxteis e de forja de metais, os primeiros moinhos de água foram construídos na Grécia Antiga por volta do século III a.C..

Cartografia: Anaximandro, nascido no século VII a.C., é considerado por muitos o pai da cartografia. Ele criou os primeiros mapas-múndi de que se tem notícia e foi um verdadeiro pioneiro dessa arte.

Odômetro: Esse aparelho, usado para medir as distâncias percorridas, foi inventado pelos gregos no século I a.C.. Atualmente, o dispositivo continua sendo utilizado, embora, geralmente, sejam versões digitais dele.

Olimpíadas: Os primeiros Jogos Olímpicos foram celebrados na Grécia Antiga, no ano de 776 a.C.. O evento era dedicado aos deuses do Olimpo e realizado a cada quatro anos. Milhares de pessoas iam às planícies de Olímpia para ver o espetáculo.


Fonte: La Brujula Verde
Imagem: Shutterstock

6 invenções que usamos todos os dias e que surgiram com a guerra

Embora sejam produtos que utilizamos frequentemente, a grande maioria desconhece que suas origens estão relacionadas às necessidades próprias da guerra. Conheça alguns: 

Vídeo relacionado:

Margarina: Napoleão III tinha que alimentar seus soldados com um produto nutritivo e semelhante à manteiga, porém mais barato e que pudesse ser conservado por mais tempo. Para satisfazer essa demanda, o químico Hippolyte Mege-Mouries inventou a margarina, em 1869.

Alimentos em conserva: Napoleão Bonaparte empreendeu as campanhas bélicas mais longas da história, cuja maioria se estabeleceu em territórios distantes. Diante da necessidade de contar com um método que permitisse conservar alimentos, Nicholas Apparent desenvolveu o sistema de aquecimento e selagem de alimentos em envases de vidro, com água fervendo.

Silicone: A borracha era escassa e toda sua produção era utilizada na fabricação de pneus, balsas e outros insumos para o combate durante a Segunda Guerra Mundial. É por isso que, em 1943, o químico James Wright misturou ácido bórico com óleo de sílica para criar um produto muito parecido, que, com o tempo, seria conhecido como silicone.

Galão de combustível: Também na Segunda Guerra, a Alemanha desenvolveu um recipiente extremamente resistente e fácil de transportar, que era utilizado na distribuição de gasolina, água e demais líquidos. A Grã-Bretanha e os EUA copiaram esse modelo e o chamaram de jerrycan. Por aqui chamamos de galão de combustível. 

Super bonder: O químico Harry Coover inventou acidentalmente esse adesivo de contato enquanto trabalhava no desenvolvimento de um material para construir miras de rifle transparentes.

Fita adesiva: Durante a Segunda Guerra Mundial, a Johnson & Johnson criou a fita adesiva, respondendo à necessidade do exército norte-americano de contar com um material impermeável e duradouro, que permitisse selar as caixas de munições.


Fonte: VIX

Imagem: Shutterstock

 

21.May.1985

Último episódio original de MacGyver - Profissão Perigo vai ao ar

Quem nunca assistiu a um episódio de MacGyver - Profissão Perigo não faz ideia da quantidade de truques e invenções que o herói da série era capaz de fazer com simples objetos para salvar a própria pele. As aventuras de MacGyver foram ao ar, originalmente, de 29 de setembro de 1985 até 21 de maio de 1992 pela rede ABC, dos Estados Unidos, e foram transmitidas para vários países, entre eles o Brasil.

 

MacGyver era o agente secreto Angus MacGyver, interpretado por Richard Dean Anderson, que trabalhava para a Fundação Phoenix e para o Departamento Governamental de Serviços Externos (DXS), ambos fictícios.

 

Truques 

 

Ele costumava usar objetos normais do dia a dia, como tênis, óculos, ovos e até chocolate, além do seu inseparável canivete suíço, para escapar de missões perigosas. Em um episódio, construiu uma bomba caseira com o uso de fertilizantes e óleo de carro. MacGyver embrulhou tudo em um jornal, fechou com fita isolante e usou um fósforo para iniciar a explosão. Em outra de suas peripécias, fez um telescópio para espiar uma senha e entrar em uma base militar. Munido de uma lente de aumento, MacGyver retirou o vidro que cobria os ponteiros do seu relógio e embrulhou os dois em um jornal. Depois, mirou as lentes para observar a senha que era digitada por soldados. O agente também já escapou com vida de enrascadas ao conter um vazamento químico com chocolate.

 

O agente era contra o uso de armas de fogo, pois havia perdido um amigo em um acidente com revólver quando era pequeno. 

 

"Chama o MacGyver"

 

Por conta de suas peripécias, todas com um embasamento supostamente científico e com uma boa dose de sorte, o nome do personagem entrou para a cultura popular. Diante de uma situação complicada, muitos costumavam dizer: "tem que chamar o MacGyver para resolver". O herói era interpretado pelo ator Richard Dean Anderson e a série ganhou dois filmes, MacGyver: Lost Treasure of Atlantis e MacGyver: Trail to Doomsday, ambos de 1994. Em 2016, foi realizado um remake da série com o ator Lucas Till no papel principal.


 

Crédito: Reprodução via Wikipedia 

As dez invenções mais malucas do passado

A criatividade humana não tem limites.

Mas enquanto grandes ideias mudaram o mundo para sempre, outras invenções bizarras ficaram esquecidas no passado. Confira alguns dos equipamentos mais malucos já inventados:

 

1 – Bicicleta familiar

Diversão garantida para o papai, mamãe e filhinhos.

Bicicleta familiar

2 – Patins motorizados 

Perfeito para fugir do trânsito caótico.

Patins motorizados

3 – Máscara para aliviar ressaca

A solução ideal para os dias pós-festa.

Máscara para ressaca

4 – Bicicleta voadora

Com elas, não há necessidade de ciclovias.

Bicicleta voadora

5 – Revólver com câmera fotográfica 

Atinja o alvo e mostre a foto para os amigos.

Revólver com câmera

6 – Carregador de bebês

É justo que os pais dividam as responsabilidades.

Carregador de bebês

7 – Chapéu-rádio

Quem disse que a música portátil começou com o walkman?

Chapéu-rádio

8 – Monociclo motorizado

Outra alternativa para enfrentar os engarrafamentos.

Monociclo motorizado

9 – Cama-teclado

Nada como acordar e já fazer um som.

Teclado na cama

10 – Prancha de surfe motorizada

Mais divertido do que stand-up paddle.

Prancha de surfe motorizada


 

Fontes: Mega Curioso, Life Buzz, Web Urbanist, Blaze Press

Imagens: Life Buzz, Web Urbanist, Blaze Press

Tesla é o pai dos drones? Veja a patente do gênio de 118 anos atrás

O engenheiro e físico Nikola Tesla foi um verdadeiro pioneiro e é considerado um dos inventores da modernidade.

Nascido no Império Austro-Húngaro, em 1856, ele previu, com mais de um século de antecedência, o aparecimento de robôs, helicópteros, telefones celulares e televisores, entre outros aparelhos.

Mas isso não é tudo. De acordo com a descoberta do  tecnólogo americano Matthew Schroyer, que divulgou o achado em seu Twitter. Tesla patenteou, em 1898, uma invenção que lembra muito os nossos drones de hoje. A patente do cientista está arquivada sob o nome de “Método e aparelhos de controle para o mecanismo de navios ou veículos em movimento” e prevê a construção de transportes operados por ondas de radiação emitidas de um ponto distante. O documento com a patente de Tesla pode ser acessado aqui.

Assim como acontece com os drones atualmente, Tesla explicava que sua invenção poderia ser utilizada para oferecer serviços de mensagens e até mesmo realizar operações militares complexas. Segundo ele, sua invenção poderia "estabelecer comunicação com regiões inacessíveis e explorar suas condições, bem (ser usada) como para propósitos científicos, comerciais ou de engenharia". O cientista, porém, esclarece que "o grande valor da minha invenção é o uso que pode ter na guerra".

 



Fontes: Revista Galileu , IFL Science

Imagem: t81/Shutterstock.com

HISTORY lança 3a edição do concurso Uma Ideia para Mudar a História

Algumas vezes, o que falta para uma boa ideia mudar o mundo e fazer história é um grande empurrão; e o HISTORY está apoiando ideias que podem fazer essa diferença.

Algumas delas deram tão certo que foram elogiadas, recentemente, pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Pela terceira vez, o HISTORY está realizando a 3a. edição do concurso "Uma Ideia para Mudar a História", que distribui um total de US$ 140 mil em prêmios aos cinco primeiros colocados. O concurso ainda não está disponível para o Brasil, mas já vem mostrando grandes resultados nos países da América Latina, onde é realizado, pela imensa participação de inscritos nas suas duas primeiras edições. Já foram mais de 7 mil ideias inscritas e 200 mil votos do público para ajudar na escolha dos vencedores.


Elogio de Obama

No primeiro ano do prêmio, em 2014, o vencedor foi o colombiano Wiesner Alfonso Osorio com o seu gerador de energia a partir da combustão de HHO, obtida por eletrólise de energia solar.

No ano passado, o ganhador foi o argentino Gino Tubaro com suas próteses de dedos, mãos, braços e antebraços produzidas em impressoras 3D.Gino foi citado por Obama como um exemplo a ser seguido, assim como iniciativas que investem nas ideias inovadoras de jovens como ele:

"Gino construiu uma prótese muito mais barata e assim Felipe (um garoto que já recebeu uma das próteses de Gino) pode andar de bicicleta, pescar e fazer as coisas que todos os meninos fazem. Desta forma, mais de mil pessoas lhe pediram ajuda. Isso é possível quando investimos nos nossos jovens", disse Obama, durante um discurso para aproximadamente mil jovens empreendedores e profissionais, convocados pela embaixada dos EUA, durante a visita do presidente norte-americano à Usina del Arte, na Argentina.



"Estamos muito orgulhosos em continuar nosso compromisso social através da plataforma de Uma Ideia para Mudar a História. Esta iniciativa nos permite continuar a atrair o interesse de milhares de inovadores sociais em nossa região e continuar a fomentar a criatividade e o desenvolvimento de ideias que têm impacto social real", disse Eduardo Ruiz, presidente e CEO da A+E Networks Latin America.


Fases do concurso

Na primeira fase do concurso, os projetos inscritos passam por uma comissão julgadora de renomados especialistas - veja mais abaixo - que decidirão os 10 semifinalistas. A partir daí, o público poderá eleger os cinco finalistas. O grande vencedor será conhecido no dia 5 de dezembro. Mais informações no site do concurso (em espanhol)

Embaixadores:
Axel – cantor argentino.
Taliana Vargas – ativista social, atriz, apresentadora e modelo colombiana.
Javier Poza – comunicador de rádio e TV mexicano.


Comissão julgadora:
Nora Bär - jornalista e editora de ciência e saúde do jornal La Nación (Argentina).
Emilia Díaz - Fundadora e CEO da Kaitek Labs (Chile).
Alejandro Franco Restrepo - diretor executivo Ruta N (Colômbia).
Dr. Emilio Sacristán Rock - diretor do Centro Nacional de Pesquisa em Imagem e Instrumentação Médica UAM-Iztapalapa (México)
Dr. Bernardo González-Aréchiga - reitor da Universidade do Valle de México (UVM).

Conheça pequenas ideias que renderam grandes negócios por acidente

O mundo dos negócios é cheio de situações inesperadas, formas incontestáveis de resolver problemas e maneiras geniais de aproveitar as casualidades e os acidentes.

Confira na lista alguns dos casos mais extraordinários:

[O HISTORY AGORA ESTÁ NO SPOTIFY: CLIQUE AQUI E SIGA-NOS]

 



A estratégia da azeitona:
em 1987, a companhia aérea American Airlines se viu na necessidade de eliminar gastos para aumentar seus lucros, porém de modo menos perceptível. Assim, decidiu retirar as azeitonas das saladas servidas na primeira classe. Economizou nada menos que US$ 40 mil.

O protetor perfeito: em 1944, um assistente de laboratório da empresa 3M manchou seus sapatos com uma substância química experimental. Ele tentou lavar, mas não conseguiu. Depois de um tempo, notou que a região dos sapatos em que havia caído a substância se mantinha magicamente limpa. Os pesquisadores descobriram naquela substância o protetor ideal de telas, resultando na criação da marca Scotchgard.

Canudo: Harry Stevens era um visionário. Primeiro, levou a venda de cachorros-quentes às partidas de beisebol em Nova York; depois, ao notar que os espectadores tinham que tirar os olhos do jogo para tomar os refrigerantes que acompanhavam o lanche, mandou confeccionar esses cilindros plásticos que rapidamente se massificaram, virando um símbolo da cultura norte-americana.

A revolução das micro-ondas: o engenheiro Perry Spencer ficou curioso ao observar o derretimento do chocolate que ele carregava no bolso enquanto trabalhava em um tubo a vácuo chamado magnetron. Foi então que colocou um milho perto do tubo. O resultado: pipoca. Finalmente, ele fez um teste com ovo: explodiu. Nesse dia, foi inventado o forno de micro-ondas.

Pílula azul: a empresa farmacêutica Pfizer estava desenvolvendo um remédio para a angina de peito, a sildenafila. Os voluntários para o teste do medicamento não se curaram de seu mal-estar, mas tiveram que confessar um efeito colateral notável, que resultou no Viagra, uma pílula que, hoje, proporciona lucros multimilionários.

Flocos de milho: os irmãos Kellogg queriam criar um remédio para a constipação, que tivesse a forma de um bolo de cerais. No primeiro teste, o bolo acabou se dividindo em milhares de pequenos flocos torrados: esses foram os primeiros corn flakes da Kelloggs.

 

 


Fonte: EMotio
Imagem: schmetfad/Shutterstock.com

 

Saiba como motos na Tailândia estão eliminando o mosquito Aedes Aegypti

Há alguns meses que o avanço do vírus Zika e da dengue é motivo de preocupação em toda a América Latina.

Essas doenças são transmitidas pela picada do mosquito Aedes Aegypti, e os governos do Brasil e de toda a região estão tentando frear a reprodução do inseto.

[O HISTORY AGORA ESTÁ NO SPOTIFY: CLIQUE AQUI E SIGA-NOS]

 



A fundação Duang Prateep, na Tailândia, trouxe uma invenção inovadora, que utiliza as motos para pulverizar o repelente do mosquito. O aparelho, conectado ao cano de escape do veículo, utiliza o calor da máquina para aquecer um azeite especial que, ao ser ativado, mata os mosquitos em um raio de três metros de distância. Dessa forma, conforme as motos circulam pela cidade, elas eliminam aos poucos a propagação das doenças que transmitem as doenças.

Os mosquitos são os animais que causam mais mortes em seres humanos por ano. Em 2015, o contágio da dengue cresceu em 207% na Tailândia. No continente americano, os índices de propagação do vírus são alarmantes, por isso inovações como essa poderão melhorar significativamente a vida dos setores mais vulneráveis da sociedade.

 

 


Fonte: The Inspiration Room  

Imagem: mrfiza/Shutterstock.com

O Homem de Ferro de carne e osso dos nossos tempos

Suas características mais importantes lembram o personagem Tony Stark, o Homem de Ferro. No entanto, seus milhões de dólares e suas invenções geniais são reais!

Entre outras coisas, Elon Musk inventou o serviço de transferência monetária PayPal e criou a empresa Tesla Motors, cujo nome homenageia uma de suas maiores influências, o grande Nikola Tesla, e através da qual fabrica veículos elétricos de última geração. Ele também está na vanguarda da exploração especial, presidindo a Space X, que se transformou na primeira empresa privada contratada pela NASA a voar para o espaço. Além disso, ele mantém, entre outros projetos filantrópicos, a Halcyon Molecular, um laboratório de biotecnologia voltado para a pesquisa de curas para doenças graves.

[VEJA TAMBÉM: O grande mistério da série de cordas incas]

Como quase todo herói genial, Musk foi prodígio e um pouco rebelde. Aos 10 anos, ele reprogramou (sem ajuda) seu computador e, aos 17, já tinha programado totalmente um videogame. Aos 24, abandonou as carreiras universitárias de administração de empresas e física para fundar sua própria companhia de serviços de internet, a qual ele venderia, em pouco tempo, por mais de 300 milhões de dólares.

Em 2006, ele ganhou o prêmio da Time Magazine de invenção do ano pelo carro Tesla Roadster, o qual, dois anos depois, começou a ser produzido. Ele também é pioneiro em matéria de painéis solares fotovoltaicos e apoia qualquer tipo de empreendimento relacionado ao aproveitamento de energias sustentáveis. 

Atualmente, o Tony Stark do mundo real não descansa: dedica-se ao desenvolvimento do Hyperloop, um transporte que poderá percorrer 600 km em apenas 35 minutos. Parece exagero, mas Musk está acostumado: uma vida desenvolvendo projetos que parecem impossíveis foi o que moveu o espírito deste herói dos nossos tempos.

 


Fonte: The Telegraph 

Imagem: Phil Stafford/Shutterstock.com

A invenção que poderá acabar com catástrofes aéreas

Um engenheiro ucraniano desenvolveu um sistema de cabine removível, que pode ser ejetada no caso de falhas técnicas, salvando vida d passageiros. 

De acordo com o projeto de Tatarenko Vladimir Nikolaevich, o sistema poderia ser acionado em imprevistos nos procedimentos de decolagem ou aterrissagem do avião. Basicamente, a ideia consiste no desprendimento da cabine de passageiros do resto do avião, quando dois paraquedas se soltam para garantir uma descida segura. Além disso, do fundo do compartimento, são ativados tubos infláveis que asseguram a flutuação da cabine no caso de uma queda na água.

[VEJA TAMBÉM: Saiba quais seriam as armas de uma Terceira Guerra Mundial]

Entretanto, ainda existem várias perguntas em torno dessa invenção, como, por exemplo, o que aconteceria com os pilotos ou como isso afetaria o design do avião. Enquanto isso, Nikolaevich já está em processo de negociação com os fabricantes de avião mais importantes. 

Veja abaixo o vídeo com uma explicação do projeto:

 

 

 


Fonte: The Independent  

Imagem: Reprodução YouTube/Vladimir Tatarenko