Todos os horários

Teriam os Hobbits existido de fato? Cientistas encontram evidências que sim!

Em 2004, arqueólogos encontraram na ilha de Flores, Indonésia, restos mortais de uma espécie hominídea incrivelmente pequena. 

 

Com pouco mais de 1,10 metro de altura, o Homo floresiensis logo foi apelidado de “Hobbit”, em alusão aos pequenos criados por J. R. R. Tolkien e imortalizados nas trilogias O Senhor dos Anéis e O Hobbit. 

 

Os hobbits da ilha de Flores têm sido alvo de debate há mais de uma década. Uns acham que se trata de um Homo sapiens que se desenvolveu sob determinadas condições, outros acreditam ser uma espécie completamente distinta.  

 

Uma descoberta recente, no entanto, lançou uma nova luz sobre o assunto. Uma equipe encontrou, a 72 quilômetros de distância dos primeiros hobbits, fragmentos com idade aproximada de 700 mil anos – quase 500 mil anos mais velhos que os primeiros encontrados. 

 

Os achados incluem seis dentes e o pedaço de uma mandíbula. O tamanho da mandíbula indica que o ancestral do hobbit era tão pequeno quanto seus semelhantes, o que leva a crer que a espécie já andasse por aquelas bandas há muito mais tempo do que se imaginava. 

 

A novidade traz implicações importantes no entendimento sobre a dispersão humana e a evolução na região, além de quebrar a ideia de que o Homo floresiensis era apenas um Homo sapiens adoecido.

 

 


Fonte: Businessinsider.com
Imagem: Karen Neoh / Flickr  (Creative Commons - CC BY 2.0)

 

Humanos teriam sido os assassinos dos "hobbits"?

Uma equipe da Universidade Wollongong, da Austrália, encontrou na ilha de Flores, na Indonésia, provas de que um grupo de Homo sapiens poderia ter sido o responsável pela extinção do Homo floresiensis.

A descoberta de um crânio humano apoia a teoria de que esses hominídeos – os quais, por causa de sua pequena estatura, não superior a 1 metro, são conhecidos como Hobbits – teriam convivido com nossos ancestrais nessa região.

Os cientistas, liderados pelo arqueólogo Thomas Sutikna e pelo geocronologista Richard Roberts, revelaram a descoberta no último congresso anual da Sociedade Europeia para o Estudo da Evolução Humana, realizada em Madri.

Desde que os primeiros restos de Homo floresiensis foram encontrados na ilha do sudeste asiático, em 2003, os pesquisadores têm tentado determinar o que causou sua extinção. Assim como os antepassados do homem, esses pequenos seres caminhavam eretos e dominavam diversas ferramentas, mas seu destino foi interrompido há milhares de anos.

A descoberta de uma fração de um crânio pertencente a um Homo sapiens que corresponde ao mesmo período histórico em que viveram os “Hobbits” reforça a hipótese de que estes teriam sido exterminados pelos seres humanos com quem disputavam os recursos naturais do local.

 


Fonte: RT

Imagem: arc-team-open-research.blogspot.ru via RT