Todos os horários

Frejat

Roberto Frejat, que ficou famos pelo seu sobrenome, é um músico e fundador da banda Barão Vermelho. Por muito tempo, foi parceiro de composições de Cazuza, um ex-membro do grupo.

Filho de mãe de origem judia e pai de procedência árabe, Frejat nasceu em 21 de maio de 1962, no Rio de Janeiro. Fã de música desde pequeno, no começo escutava músicas de Roberto Carlos, Nat King Cole, João Gilberto e Tchaicovsky por causa da influência dos seus pais. Mais tarde, na adolescência, foi dominado pelo rock’n’roll e, entre suas bandas favoritas, estavam Deep Purple, Led Zepellin, Beatles. Quando decidiu se dedicar de verdade ao aprendizado do violão, também ficou interessado em músicos como Noel Rosa, Chico Buarque, Cartola, Novos Baianos e Mutantes. Dali para a frente, tocar guitarra foi um passo natural.

 

Barão Vermelho

Hoje não justifica mais ter um álbum inteiro, sendo que as pessoas têm a ligação com uma música.

O Barão Vermelho surgiu em sua vida quando Frejat tinha 19 anos. Ao ensaiar com a banda, teve certeza de que ali estava o seu futuro. Naquela época, o grupo era formado por Mauricio Barros, Dé Palmeira e Guto Goffi. Cazuza foi o último a entrar, e, apesar das dificuldades no começo para compor com este último, ambos acharam suas afinidades e formaram uma das parcerias mais criativas da música brasileira.

O primeiro álbum da banda, “Barão Vermelho”, não fez muito sucesso, mas o disco “Maior Abandonado” projetou o grupo ao sucesso, em especial pela canção “Bete Balanço”, que serviu de música-tempo para o filme de mesmo nome.

 

Saída de Cazuza

(...)Tenho a necessidade de ter pessoas de outras gerações comigo (...).

Em 1985, após o show no Rock in Rio I, Cazuza, deixou o grupo para seguir carreira solo, e Frejat assumiu os vocais. Desde sua formação, o Barão Vermelho lançou mais de 10 álbuns e conquistou várias vezes o Prêmio Sharp de melhor grupo Pop/Rock. O músico também recebeu uma indicação ao Grammy Latino. Entre os seus sucessos, a banda coleciona hits como "Todo Amor Que Houver Nessa Vida", "Pro Dia Nascer Feliz", "Maior Abandonado", "Bete Balanço", "Eu Queria Ter Uma Bomba", "Pedra, Flor e Espinho", "O Poeta Está Vivo", "Pense e Dance" e "Por você".

 

Carreira solo

Meu desafio, aos 40 anos, é transitar entre o público pop e o adulto. Não quero ser o velho de carro conversível na Avenida Atlântica tentando arrumar uma gatinha.

No ano de 2001, o Barão Vermelho parou suas atividades por um tempo, e Frejat decidou-se à carreira solo e outros projetos. Ele trabalhou ao lado de diversos compositores e gravou trilhas sonoras para filmes e novelas. Além disso, participou de discos de colegas como Cássia Eller, Gal Costa e Fundo de Quintal. Entre seus parceiros musicais estão Arnaldo Antunes, Gabriel O Pensador, Marisa Monte e Erasmo Carlos. Nesta fase solo, lançou os trabalhos “Amor Pra Recomeçar” (2001), “Sobre Nós Dois e o Resto do Mundo” (2003), “Intimidade Entre Estranhos” (2008), “Perfil” (2009) e “Frejat - Rock in Rio 2011”. Frejat excursionou pelo Brasil e também emplacou sucessos como "Eu Preciso Te Tirar Do Sério", "Sobre Nós Dois E O Resto Do Mundo", "Caleidoscópio" (com Os Paralamas do Sucesso), "Túnel do Tempo", "A Felicidade Bate à Sua Porta".

Em 2004, Frejat retornou ao trabalho com a banda Barão Vermelho e lançou um álbum homônimo, na celebração dos 30 anos do primeiro disco do grupo. No ano seguinte, foi a vez do “MTV Ao Vivo”, com sucessos na rádio e na TV, shows, discos de ouro e platina.

Em 2007, ocorreu uma nova parada dos “barões” para que seus membros tocassem seus projetos individuais. Frejat reuniu uma banda de apoio e saiu pelo Brasil com a turnê “Prefácio”. Em 2011, foi um dos artistas no Rock In Rio 4, onde se apresentou no dia 1º de outubro de 2011. O show foi gravado em DVD e CD ao vivo. Seu filho, Rafael, então com 15 anos, tocou guitarra nas músicas “Malandragem” e “Amor Pra Recomeçar”.

Em 2013, Frejat lançou músicas inéditas desde “Intimidade para Estranhos” (2008) com a dançante “O Amor é Quente” e “Me Perdoa” (em parceria com George Israel e Mauro Santa Cecilia). Também em 2013 o Barão Vermelho anunciou uma pausa nos trabalhos, sem previsão de retorno.

 


Imagem: FernandoHenrique1991 [Domínio público], Wikimedia Commons