Todos os horários
17.Feb.1972

Fusca ultrapassa o Ford T como o carro mais vendido do mundo

Em 17 de fevereiro de 1972, o 15.007.034º Fusca da Volkswagen sai da linha de montagem, quebrando um recorde na produção mundial de carros detida por mais de quatro décadas pelo icônico Modelo T da Ford Motor Company, que foi produzido de 1908 a 1927.

A história do Fusca remonta aos anos 30, na Alemanha. Em 1933, Adolf Hitler se tornou chanceler da Alemanha e anunciou que queria construir novas estradas e carros a preços acessíveis para a população alemã. Na época, o engenheiro austríaco Ferdinand Porsche (1875-1951) já estava trabalhando na criação de um carro pequeno para as massas. Hitler e Porsche se reuniram posteriormente e o engenheiro ficou encarregado de projetar um Volkswagen barato e de produção em massa, ou o “carro do povo”.

O plano de Hitler era que as pessoas pudessem comprar os carros ao fazer depósitos regulares em um programa de selos. Em 1938, o trabalho começou na fábrica da Volkswagen, localizada na atual cidade de Wolfsburg, na Alemanha. No entanto, a produção em grande escala do automóvel só começou após a Segunda Guerra Mundial.

Apelido de Beetle

Nos anos 50, a Volkswagen chegou aos EUA, onde a recepção inicial foi morna, em parte devido à ligação histórica do veículo ao nazismo, e também por causa de seu tamanho compacto e seu incomum formato arredondado (o que lhe valeu o apelido de “Beetle” – besouro, em inglês). Em 1959, a agência de publicidade Doyle Dane Bernbach lançou uma campanha inovadora que promoveu o tamanho diminuto do carro como uma vantagem para os consumidores, e, nos anos seguintes, o Fusca se tornou o carro importado mais vendido nos EUA.

Em 1998, a Volkswagen começou a vender o altamente elogiado “New Beetle”, enquanto ainda produzia seu modelo anterior. Depois de mais de 60 anos e 21 milhões de veículos produzidos, o último Fusca original saiu de linha em Puebla, no México, em 30 de julho de 2003.

Modelo T

O primeiro carro mais vendido da história, o Modelo T de Henry Ford, começou a ser produzido em uma fábrica de Detroit, em Michigan. Conhecido como o carro que “colocou o mundo sobre rodas”, o Modelo T revolucionou a indústria automotora – e a sociedade americana no geral – ao oferecer transporte acessível e confiável para um cidadão comum. Em 1913, a Ford Motor Company começou a utilizar a linha de montagem móvel na sua fábrica em Highland Park, Michigan, que reduziu a velocidade de montagem de um chassi de 12 horas e 8 minutos para 1 hora e 33 minutos. 

No ano seguinte, a Ford produziu 308.162 veículos, um número maior que o de todas as outras montadoras juntas. Em 1924, o 10.000.000º Modelo T saiu da linha de montagem. Quando sua produção finalmente terminou, depois de 19 anos, em maio de 1927, mais de 15 milhões de Modelos T tinham sido fabricados.

 

Imagem: DutchScenery/Shutterstock.com

26.May.1927

Último dia de produção do Modelo T da Ford

Em 26 de maio de 1927, Henry Ford e seu filho Edsel conduziram o Modelo T número 15 milhões, da Ford, para fora de sua fábrica, marcando o famoso último dia de produção deste automóvel.

Mais que qualquer outro veículo, o relativamente acessível e eficiente Modelo T foi responsável por acelerar a inserção do carro na sociedade americana durante o primeiro quarto do século XX. Lançado em outubro de 1908, o Modelo T – também conhecido como “Tin Lizzie” – pesava 500 kg e tinha um motor de 20 cavalos de potência e 4 cilindradas. Rodava de 21 a 34 quilômetros por galão de gasolina e era capaz de andar a 72 km/h. Inicialmente vendido por 850 dólares (em torno de 20 mil dólares hoje), o Modelo T básico e sem adicionais seria vendido posteriormente por 260 dólares (em torno de 6.000 dólares hoje).

Em grande parte devido à sua popularidade incrível, o governo dos EUA fez da construção de novas estradas uma de suas maiores prioridades em 1920. Em 1926, no entanto, o Lizzie tinha se tornado defasado em um mercado em rápida expansão para automóveis baratos. Henry Ford esperava manter sua produção enquanto reequipava suas fábricas para lançar seu substituto, o Modelo A. Mas a falta de demanda o obrigou a cessar a produção do Lizzie. Em 25 de maio de 1927, ele anunciou ao mundo todo que estava descontinuando o Modelo T. Conforme registrado por Douglas Brinkley em “Wheels for the World”, sua biografia de Ford, o lendário construtor de carros elogiou sua criação mais memorável: “Ele era poderoso e resistente. Foi um carro que correu antes de haver boas estradas para correr. Ele quebrou as barreiras de distância em áreas rurais e aproximou as pessoas dessas regiões, deixando a educação ao alcance de todos”.

Depois que a produção terminou oficialmente no dia seguinte, as fábricas da Ford fecharam no início de junho e 600 mil operários foram dispensados. A empresa vendeu menos de 500 mil carros em 1927, menos da metade das vendas da Chevrolet. O fato de o lançamento do Modelo A ter começado em cidades seletas que, no mês de dezembro, recebiam uma grande multidão, mostra a grande habilidade de Ford em criar sensações. Porém, nenhum carro na história teve o impacto – tanto real quanto mitológico – do Modelo T: autores como Ernest Hemingway, E.B. White e John Steinbeck mencionam o Tin Lizzie em seus livros, enquanto o grande cineasta Charlie Chaplin o imortalizou de forma satírica no seu filme de 1928, “O Circo”.

 


Imagem: Harry Shipler [Domínio público], Wikimedia Commons

Confira os documentos originais de Mozart, Leonardo da Vinci e outras obras importantes da humanidade

Originais das partituras do diário de músicas de Mozart e até mesmo desenhos de Leonardo da Vinci estão agora mais perto de você. Um rico acervo de obras famosas da Biblioteca Britânica foi digitalizado e já está disponível online para download ou para simples consulta. A coleção “Turning the Pages” traz, entre outros manuscritos, o original de Alice no País das Maravilhas, escrita e ilustrada por Lewis Carroll, o primeiro Atlas da Europa e o “The Diamond Sutra” livro mais antigo já impresso.
 
Veja abaixo algumas das obras que você poderá conferir com apenas alguns cliques:
 

Leonardo da Vinci (1452-1519)

No documento, o gênio descreve como, na casa de Piero di Braccio Martelli, em Florença, no ano de 1508, ele começou a coleção de tratados curtos, notas e desenhos que compõem o livro de anotações de da Vinci na Biblioteca Britânica.
 
 

Mozart

Este manuscrito é o registro de Mozart de suas composições nos últimos sete anos de sua vida, e, portanto, é um documento exclusivamente importante.
 
 

Lewis Carroll

Este manuscrito - um dos melhores da Biblioteca Britânica - é a versão original de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, o pseudônimo de Charles Dodgson, um matemático de Oxford.
 
 

Diamond Sutra

Esta cópia do "Diamond Sutra" é mais antigo livro impresso e datado do mundo (868 d.C). Texto central do budismo indiano, foi pela primeira vez traduzido do sânscrito para o chinês em torno de 400 d.C.
     
 

Jardins Barrocos da Holanda

Estas ilustrações são das casas de campo e jardins holandeses, distribuídas em três volumes de um atlas dedicado à Holanda, elaborado entre 1718 e 1748 com os melhores mapas, vistas, retratos e planos.
 
 

The Mercator - Atlas da Europa

Este mapa é do Theatrum Orbis Terrarum (Teatro do Mundo), feito pelo cartógrafo e amigo de Mercator, Abraham Ortelius, publicado pela primeira vez em 1570.
 
 
 
 
16.Jun.1903

É fundada a Ford Motor Company

No dia 16 de junho de 1903, foi fundada, por Henry Ford, a Ford Motor Company, em Detroit, Michigan (EUA). De acordo com a revista “Forbes”, a Ford está entre os grandes grupos mundiais de construtores de carros. Durante muitos anos, a Ford foi a empresa número dois na fabricação de carros, atrás apenas da General Motors. Atualmente, a Ford segue como uma das 500 maiores corporações do mundo por conta de sua receita. A empresa conta com fábricas instaladas em vários países e produz automóveis para várias regiões do mundo, sempre levando em conta as características dos diferentes mercados ao redor do planeta.

 


Imagem: Dave Parker [CC BY 3.0], via Wikimedia Commons

05.Oct.1908

Ford T começa a ser vendido nos EUA

O sonho de Henry Ford em tornar o automóvel universal começava a se tornar realidade em um dia como este, no ano de 1908, quando começaram nos Estados Unidos as vendas do revolucionário Modelo T, um carro de preço acessível, fácil manuseio e manutenção. Tudo isso foi possível por conta de um processo inovador de fabricação em série de veículos, que baixou custo do produto ao cliente final. Cada carro saía da fábrica pelo preço de US$ 850. Mais tarde, com outras inovações no processo industrial, o preço chegou a cair para US$ 260, e um carro era produzido em 93 minutos. O Ford T vendeu 15 milhões de unidades durante o período em que foi produzido, entre 1908 e 1927.
 
Em 1914, a Ford contava com 13 mil empregados que produziam cerca de 300 mil carros, enquanto outras 299 empresas, com 66.350 funcionários, fabricavam, aproximadamente, 280 mil veículos. Até 1912, não havia porta ao lado do motorista. O carro fechado só veio 1915. As versões coloridas deixaram de existir em 1914, pois a tinta preta secava mais rápido do que as outras. O modelo T tinha nove estilos de carroçaria, todos com mesmo chassis. "Lizzie" era um dos seus apelidos mais populares nos EUA, enquanto o carro era conhecido como Bigode no Brasil. O primeiro modelo T possuía 20 cavalos de potência, motor de quatro cilindros e atingia uma velocidade máxima de cerca de 55,8 quilômetros por hora.
 
 

Imagem: See page for author [Public domain], via Wikimedia Commons

30.Jul.1863

Nasce Henry Ford, industrial e fabricante de automóveis

No dia 30 de julho de 1863 nascia, em uma fazenda próxima a um município rural a oeste de Detroit, nos EUA, Henry Ford, fundador da Ford Motor Company e o primeiro empresário a iniciar a montagem em massa automóveis. A introdução de seu modelo Ford T revolucionou os transportes e a indústria dos Estados Unidos. Como único dono da Ford Company, ele se tornou um dos homens mais ricos e conhecidos do mundo. Saiba mais sobre Henry Ford em Gigantes da Indústria. Aos 15 anos, Ford já era conhecido por realizar conserto de relógios. Aos 19, trabalhava com a montagem de motores a vapor. Sempre interessado na mecânica dos motores, ele construiu o seu primeiro motor a explosão, movido a gasolina, em 1887. Na década de 1893, Ford trabalhava como engenheiro chefe em uma empresa, cargo que lhe rendeu um bom salário e tempo para se dedicar às suas experiências com motores a gasolina. Em 1896, produziu o seu primeiro veículo chamado Quadriciclo. Aos 40 anos, ele reuniu 11 investidores e US$ 28 mil dólares de capital para formar a Ford Motor Company em 1903. Ford também construiu um carro para corridas que fez sua marca ficar conhecida nos Estados Unidos. Além disso, ele foi um dos primeiros patrocinadores das 500 milhas de Indianópolis. Sucesso de vendas, o modelo Ford T preto foi fabricado até 1926, quando o modelo sofreu modificações por conta da concorrência. No ano seguinte, foi produzido o Ford Model A, produzido até 1931. Depois disso, a empresa adotou um sistema de mudança anual de modelo, semelhante ao que é utilizado pelos fabricantes de automóveis de hoje. Ford também mostrava preocupação com os seus funcionários e sempre buscou os melhores para sua empresa. Por conta disso, oferecia ótimos salários e também repartia com seus empregados uma parte do controle acionário. Ele morreu no dia 7 de abril de 1947 morria, em Dearborn, nos EUA.

 

Clique aqui e saiba mais sobre a história de Henry Ford

 

 


Imagem: Library of Congress [Domínio público], via Wikimedia Commons