Todos os horários

Exorcista revela trechos do diálogo que teve com Satanás

Padre foi considerado o maior caçador de demônios do Vaticano. 

Vídeo relacionado:
O padre Gabriele Amorth chegou a ser considerado o exorcista mais importante do Vaticano e da diocese de Roma. Ele combateu Satanás em inúmeras ocasiões, até sua morte, em 2016, aos 91 anos. Em várias entrevistas à imprensa, o sacerdote revelou aos meios de comunicação detalhes sobre alguns diálogos que estabeleceu com o demônio em pessoa.

Em fevereiro de 2012, ele compartilhou com a página italiana Libero algumas lembranças de seu primeiro encontro com o diabo:

“De repente, tive a nítida sensação de uma presença demoníaca na minha frente. Senti o demônio me olhando, me examinando, movendo-se ao meu redor. O ar ficou frio. Um amigo exorcista já havia me falado dessas mudanças bruscas na temperatura. Mas uma coisa é ouvir falar e outra é viver a experiência. Eu tentei me concentrar. Fechei os olhos e continuei minha oração, com o coração: ‘Sai, rebelde. Sai, sedutor, cheio de artimanhas e mentiras, inimigo da virtude, perseguidor dos inocentes. Deixa esse lugar para Cristo, em quem não há nenhuma de suas obras”.

Posteriormente, em 2015, o site Luce di Maria perguntou ao padre Amorth qual era o sentido de escutar o diabo se é sabido que suas respostas são mentirosas. O padre, então, disse: “Devemos filtrar as respostas do diabo. O Senhor, às vezes, impõe que ele diga a verdade, para mostrar que Satanás foi derrotado por Cristo e que ele está obrigado a obedecer aos discípulos que atuam em nome do Senhor”.

Em uma entrevista à Urlo Magazine, em 2009, Armoth afirmou:"Uma vez, perguntei ao demônio porque, apesar de sua inteligência superior, ele preferiu descer ao inferno. Ele respondeu: ‘Eu me rebelei contra Deus e mostrei que sou mais forte que ele’. Para ele, a rebeldia é um sinal de vitória e superioridade”.

Em “O Último Exorcista”, um livro publicado por Amorth, é transcrito um diálogo que o sacerdote teve com o Satanás sobre a Virgem Maria:

  • Amorth: “Quais são as virtudes da Nossa Senhora que mais o irritam?”.
  • Satanás: “Ela me enfurece porque é a mais humilde de todas as criaturas e porque eu sou o mais orgulhoso. Porque ela é a mais pura de todas as criaturas e eu não. Porque ela é a mais obediente a Deus e eu sou o mais rebelde”.
  • Amorth: “Por que você tem mais medo quando eu digo o nome de Maria que quando digo o nome de Jesus Cristo?”.
  • Satanás: “Porque me humilha mais ser derrotado por uma mera criatura que por ele”.
  • Amorth: “Há uma quarta característica de Maria que o enfurece?”.
  • Satanás: “Ela sempre me frustra porque nunca foi tocada por nenhuma mancha de pecado”.


Além disso, ele lembrou um diálogo fundamental sobre o poder do Rosário:“Durante um exorcismo, Satanás me disse através da pessoa possuída: Cada Ave Maria do Rosário é, para mim, um golpe na cara. Se os cristãos soubessem do poder do Rosário, seria o meu fim’”.


Fonte: Aleteia

Imagem: Shutterstock

Por que os casos de exorcismos tem crescido tanto nos EUA?

A partir dos anos 2000, os EUA vem registrando centenas de casos de exorcismos. Alguns detalhes e depoimentos são impressionantes. 

Assista aos vídeos e saiba mais:

 

PARTE 1

 

PARTE 2

Aumento de práticas satânicas faz disparar a demanda por exorcistas da Igreja Católica

Especialistas católicos americanos e italianos alegam que o aumento considerável de fanáticos e seguidores de Satanás e de práticas ocultas causaram uma demanda crescente de exorcismos.

“A falta de exorcistas é uma verdadeira emergência pastoral, dado o aumento de possessões diabólicas que os padres têm que enfrentar”, explicou Valter Cascioli, psicólogo e consultor científico da Associação Internacional de Exorcistas.

O especialista da organização, reconhecida pelo Vaticano, acrescentou que esse tipo de prática provoca tanto danos físicos quanto psicológicos e espirituais. Além do crescente culto satânico, há profissionais que afirmam que as intervenções diabólicas também estão relacionadas à perda de fé e valores, ao vício em pornografia e drogas.

Cascioli afirmou que para trabalhar nessa situação é necessário criar uma “abordagem interdisciplinar em que a ciência colabore com a religião e psiquiatras trabalhem com demonólogos e exorcistas”. O que todos os especialistas concordam é que a perda da fé dá lugar ao aumento do mal, o que explicaria essa demanda crescente de exorcismos.


Fonte: La Stampa

Imagem: udra11/Shutterstock.com

Os casos mais arrepiantes de possessão demoníaca da história

Alguns casos são conhecidos por suas versões cinematográficas; outros totalmente ignorados pela opinião pública. Abaixo, apresentamos algumas das mais arrepiantes possessões demoníacas já registradas na história:

Annaliese Michel: É, talvez, o caso mais famoso e polêmico de possessão demoníaca, a tal ponto que sua história foi levada para as grandes telas no filme “O Exorcismo de Emily Rose”. Com antecedentes de epilepsia e psicose, aos 16 anos de idade, Annaliese foi colocada em um centro psiquiátrico. Desde 1973, havia desenvolvido tendências suicidas, dizia ouvir vozes e desprezava todo o tipo de símbolo religioso. Apesar de a Igreja se negar a admitir, seus pais pediram a intervenção a dois sacerdotes locais, que, na clandestinidade, realizaram vários exorcismos. Annaliese veio a falecer aos 23 anos, vítima de um esgotamento físico e mental extremo.

Clara Germana Cele: Em 1906, a então estudante cristã de 16 anos Clara estava em uma missão em Natal, na África do Sul. Segundo seu relato, em algum tipo de ritual obscuro, a jovem teria realizado um pacto satânico, a partir do qual começou a compreender e falar línguas que lhe eram completamente estranhas. Além disso, ela rejeitava objetos religiosos e era capaz de saber a história e o pensamento das pessoas que a rodeavam. Por dois dias e aos olhos de centenas de testemunhas que a viram levitar, sacerdotes locais a exorcizaram várias vezes até conseguirem expulsar os espíritos invasores.

Roland Doe/Robbie Mannheim: É outro dos casos mais emblemáticos de exorcismo e base fundamental para o filme de terror “O Exorcista”. Nomeado pela Igreja Católica com o pseudônimo de Roland Doe, ou Robbie Mannheim, em 1940, esse jovem tentou se comunicar com uma tia falecida, utilizando um tabuleiro ouija. Diz-se que foi isso o que permitiu sua possessão demoníaca, a qual implicou a escuta de vozes e a levitação de todo o tipo de objetos, incluindo os religiosos, ao seu redor. Mas a pior parte veio quando começaram a aparecer mensagens em seu corpo, escritas por garras invisíveis, que deixaram feridas profundas. Com o consentimento da Igreja Católica, Robbie foi submetido a mais de 30 sessões de exorcismo, que acabaram, depois de um processo doloroso, por expulsar qualquer tipo de espírito maligno.

David Berkowitz: Popularmente conhecido como “o Filho de Sam” ou “o Assassino da Calibre .44”, Berkowitz foi um serial killer cuja característica principal era deixar mensagens provocativas nas cenas do crime. Ele chegou a matar seis pessoas e feriu outras sete durante o verão de 1976. A polícia conseguiu identificar e prender David, que confessou seus crimes em um julgamento, alegando que estava obedecendo a uma possessão demoníaca. Ele foi condenado a seis prisões perpétuas.

Há quem diz que esse tipo de fenômeno não pode ser ignorado, e que realmente estamos rodeados por entidades de outros mundos. No vídeo abaixo, Fred, O INFILTRADO, coloca isso à prova ao se aventurar em um manicômio desativado com uma especialista em paranormalidade, afim de encontrar provas que possam ajudá-lo a formar uma opinião concreta sobre esse mundo. Assista ao vídeo abaixo, prepare-se e confira como foi a experiência de Fred e um manicômio mal assombrado:

Fonte: peru.com 

Anneliese Michel

Anneliese Michel (Leiblfing, 21 de setembro de 1952 - Klingenberg am Main, 1 de julho de 1976) foi uma jovem alemã que dizia estar possuída por demônios. Ela foi submetida a 67 sessões de exorcismo durante, aproximadamente, 10 meses, entre 1975 e 1976, no que ficou conhecido como Caso Klingenberg (veja o vídeo no final do texto).

A jovem começou a apresentar problemas psiquiátricos a partir dos 16 anos. Criada em uma família bastante religiosa, ela, inicialmente, passou por tratamento médico. Ela não se alimentava, rasgava suas roupas, andava nua, comia insetos e defecava em qualquer lugar. Com o passar do tempo, recusou ser tratada e dizia estar possuída por demônios, pedindo pela realização de um exorcismo.

O procedimento foi autorizado pelo bispo local e pelos pais da garota. Dois padres conduziram as sessões de exorcismo. Ao final de tudo, Anneliese não resistiu e morreu aos 23 anos por conta de desnutrição e desidratação ao longo de quase um ano. Os padres e os pais da jovem foram indiciados pela morte e condenados.  O caso foi levado ao cinema e inspirou o filme "O Exorcismo de Emily Rose" (2005).

 

Lorraine Warren Rita

Lorraine Warren Rita é uma clarividente e médium norte-americana, conhecida por seus trabalhos ao lado do marido "Ed" Warren Miney, investigador paranormal, considerado um dos mais antigos demonologistas.

Autora de vários livros sobre o tema sobrenatural, ela fundou ao lado de Ed, em 1952, a Sociedade da Nova Inglaterra para a Pesquisa Psíquica e também abriu o Museu Oculto Warren. Depois da morte do marido, em 2006, ela segue à frente do museu com a auxílio do genro Tony Spera.

Juntamente com Ed, o casal teria investigado mais de 10 mil casos de paranormalidade durante a carreira. Entre os mais famosos está o controverso assombro de Amityville, em que o casal George e Kathy Lutz, de Nova York, afirmou que sua casa era assombrada por uma presença demoníaca violenta tão intensa que, eventualmente, os expulsou do seu lar. Muitos, no entanto, consideram o caso uma farsa. O caso foi retratado em um livro, lançado em 1977, e também adaptado ao cinema e televisão em inúmeras ocasiões.

Em 2013, o filme Invocação do Mal (The Conjuring) conta a história do casal, com base em um caso dos Warren. A produção foi estrelada por por Patrick Wilson e Vera Farmiga.

Veja abaixo um vídeo feito pelos Warren em que é registrado um caso de atividade paranormal:

Ed Warren

No dia 7 de setembro de 1926 nascia, em Bridgeport, Connecticut, nos Estados Unido, Edward "Ed" Warren Miney, conhecido investigador paranormal, considerado um dos mais antigos demonologistas norte-americanos. Ele foi um veterano da Marinha na II Guerra Mundial e ex-policial que se tornou um autodidata em assuntos relacionados a assombrações e fantasmas. Autor de diversos livros e também palestrante, ele trabalhava ao lado da esposa Lorraine Warren Rita, uma clarividente e médium. Em 1952, o casal fundou a Sociedade da Nova Inglaterra para a Pesquisa Psíquica e também abriu o Museu Oculto Warren.

Eles alegaram ter investigado mais de 10 mil casos durante a sua carreira. Entre os mais famosos está o controverso assombro de Amityville, em que o casal George e Kathy Lutz, de Nova York, afirmou que sua casa era assombrada por uma presença demoníaca violenta tão intensa que, eventualmente, os expulsou do seu lar. Muitos, no entanto, consideram o caso uma farsa. O caso foi retratado em um livro, lançado em 1977, e também adaptado ao cinema e televisão em inúmeras ocasiões. Ed Warren morreu em 23 de agosto de 2006, em Monroe, Connecticut, aos 79 anos.

Em 2013, o filme Invocação do Mal (The Conjuring) conta a história do casal, com base em um caso dos Warren. A produção foi estrelada por por Patrick Wilson e Vera Farmiga.

Veja abaixo um vídeo feito pelos Warren em que é registrado um caso de atividade paranormal: