Todos os horários
07.Jul.1520

Travou-se a Batalha de Otumba

A Batalha de Otumba foi um Combate travado em 7 de Julho de 1520 pelos conquistadores espanhóis (comandados pelo conquistador espanhol Hernán Cortês) do México contra os astecas (Comandados por Cihuacóatl Matlatzincátzin). Apesar da vitória espanhola, este foi o grupo que sofreu mais baixas em comparação aos mexicanos, pois faleceram quase todos os tlaxcaltecas (povo indígena do México) que acompanhavam Cortês. Cansados, finalmente retiraram-se seguindo o caminho para Tlaxcala (centro-oriente do México). Mais de 440 pereceram na batalha de Otumba e calcula-se que 870, incluindo os que ficaram em mãos dos mexicanos, foram sacrificados no templo Maior.

 


Imagem: [Domínio público], via Wikimedia Commons

 

08.Jul.1987

Morre Gerardo Diego Cendoya

Gerardo Diego Cendoya nasceu em 3 de Outubro de 1896 e faleceu em 8 de Julho de 1987. Foi um destacado poeta e escritor espanhol pertencente à chamada Geração de 27 (grupo de escritores unidos com o fim de reivindicar a poesia misturando tradição com vanguardismo). Como professor, deu cursos e conferências por todo o mundo. Foi, além disso, crítico literário, musical e também colunista em vários jornais de seu país natal. Entre suas obras destacam-se: El Romancero de la Novia, Santander, Imp. J. Pérez, 1920. Imagem. Poemas (1918-1921), M., Gráfica de Ambos Mundos, 1922. Soria. Galería de Estampas y Efusiones, Valladolid, Libros para Amigos, 1923. Manual de Espumas, M., Cuadernos Literarios (La Lectura), 1924. Versos Humanos, M., Renacimiento, 1925 (Premio Nacional de Literatura 1924-1925). Viacrucis, Santander, Talleres Aldus, 1931. Fábula de Equis y Zeda, México, Alcancía, 1932 y Poemas Adrede, México, Alcancía, 1932.

 


Imagem: Emeric Tauss Torday (Trabajo propio) [CC BY 2.5 es], undefined

29.Sep.1547

Nasce Miguel de Cervantes, autor de Dom Quixote

Em um dia como hoje, no ano de 1547, nascia o escritor, dramaturgo e poeta espanhol Miguel de Cervantes Saavedra, em Acalá de Henares, na Espanha. Sua obra Dom Quixote é considerada uma das melhores de ficção já escritas. A influência de Cervantes se tornou tão grande que a língua espanhola também é chamada como "a língua de Cervantes".  Dom Quixote teve sua primeira parte publicada em 1605, e a segunda em 1615. 
 
Em 1569, Cervantes mudou-se para Roma, onde trabalhou com Giulio Acquaviva, um padre rico que se tornou cardeal no ano seguinte. Depois, alistou-se na marinha espanhola e continuou sua vida militar até 1575, quando foi capturado por piratas argelinos. Ele ficou cinco anos vivendo em regime de escravidão até que foi pago um resgate pela sua liberdade. Em seguida, retornou para Madri.
 
Em 1585, Cervantes publicou um romance pastoral chamado La Galatea. Depois, com problemas financeiros, trabalhou como fornecedor para a Armada Espanhola e, mais tarde, como coletor de impostos. Em 1597, por causa de problemas com suas finanças nos três anos anteriores, foi para a Cadeia Crown de Sevilha. Em 1605, quando estava em Valladolid, seu livro Dom Quixote, publicado em Madri, alcançou enorme sucesso e marcou seu retorno ao universo literário. Dois anos depois, já de volta a Madri, ele escolheu essa cidade para viver e trabalhar até sua morte.
 
Durante os últimos nove anos de sua vida, Cervantes solidificou sua reputação como escritor. Ele publicou Novelas Exemplares, em 1613; Viagem ao Parnaso, em 1614; e Oito comédias e oito entremezes nunca antes representados, em 1615, quando também publicou a segunda parte Don Quixote. Miguel de Cervantes foi enterrado no dia 23 de abril de 1616, em Madri. Ele teria falecido no dia anterior mas, de acordo com um costume da época, a data de morte era considerada o dia em que era realizado o enterro. 
 

Imagem: Juan de Jauregui y Aguilar [Domínio público], via Wikimedia Commons

27.Oct.1959

Morre Juan José Domenchina, escritor espanhol e um dos expoentes da Geração de 27

Juan José Domenchina Moreu nasceu em 18 de maio 1898 e faleceu em 27 de outubro 1959. Foi um escritor e crítico espanhol pertencente à Geração de 27, uma constelação de autores que surgiu no panorama cultural espanhol por volta de 1927, quando se comemorou o tricentenário da morte do poeta barroco Luis de Góngora. Estes autores aproveitaram esta data para reivindicar a poesia que este autor compôs na última parte de sua vida (culteranismo), desprestigiada pela crítica do século XIX. Como poeta, recebeu uma sólida formação e teve um estilo muito pessoal vinculado ao conceitualismo barroco e foi um dos que mais cedo publicaram um livro de versos, Del Poema Eterno, 1917, com prólogo de Ramón Pérez de Ayala. Logo após publicou As Interrogações do Silêncio (1918). Alcançou a fama com A Corporeidade do Abstrato (1929. Continuou na lírica com O Tato Fervoroso (1930) e Dédalo (1932), próximo ao surrealismo e escrito em versículos).

 


Imagem: CarlosVdeHabsburgo [CC BY-SA 3.0], via Wikimedia Commons

24.Sep.1949

Nasce o cineasta espanhol Pedro Almodóvar

No dia 24 de setembro de 1949 nascia, na cidade de Calzada de Calatrava, Pedro Almodóvar, cineasta e ator espanhol. Seu ano de nascimento é alvo de controvérsias, e por vezes é divulgado como 1949 ou 1951. Ao longo de sua carreira, venceu dois Oscar, dois Globo de Ouro, quatro BAFTA, três prêmios do Festival de Cannes e seis Goya. Publicamente homossexual, os seus filmes trazem a temática da sexualidade abordada de maneira bastante aberta.

 
Sua fama internacional começou com Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos (1988), seu primeiro grande sucesso. Em 1997, com o filme Carne Trêmula, considera-se que Almodóvar atingiu a maturidade artística e realizou alguns dos filmes que são considerados suas obras-primas como Tudo Sobre Minha Mãe (1999), Fale com Ela (2002) e Volver (2006). Ele também conta com alguns atores preferidos, que aparecem com frequência em seus filmes, como as atrizes Carmen Maura e Penélope Cruz.

 


Imagem: Roberto Gordo Saez (R0b3rt0) [CC BY 3.0], via Wikimedia Commons

02.Feb.1542

Espanhol Francisco de Orellana chega ao rio Amazonas

No dia 2 de fevereiro de 1542, o explorador Francisco de Orellana chegou ao Rio Amazonas após percorrer todo o curso do rio, desde os Andes até o Oceano Atlântico. Ele foi o primeiro aventureiro, que se tem conhecimento, a ter realizado este trajeto no Amazonas. De acordo com a Relación de frei Gaspar de Carvajal, a viagem de Orellana, em 1541 e 1542, pelo leito do rio com maior vazão de água do mundo, serviu para reescrever a lenda das mulheres guerreiras, as amazonas da mitologia grega clássica. Os espanhóis, em busca do ouro, teriam perdido um confronto para as índias icamiabas – que dominavam o Rio Amazonas. Ao saber do fato, o rei Carlos V, batizou o rio de Amazonas em homenagem a estas mulheres guerreiras. Orellana morreu dois anos após desbravar o Amazonas. Em maio de 1544, saiu de Sanlúcar de Barrameda com quatro navios e 400 homens, mas a expedição fracassou e somente dois navios chegaram ao Amazonas. Orellana morreu no rio, quando tentava retornar à Europa.

 

 

Imagem: Ximénex (Own work) [Public domain], via Wikimedia Commons