Todos os horários
24.Nov.1983

Ocorre a manifestação pelas Diretas Já, na Praça Chales Miller, em São Paulo

Uma série de manifestações entre os anos de 1983 e 1984 marcou a onda de protestos no Brasil que fez parte do movimento conhecido como Diretas Já, que reivindicava a realização de eleições presidenciais diretas. Naquela época, o Brasil ainda vivia os últimos anos do Regime Militar. Além de pedir pela participação popular nas eleições presidenciais, os manifestantes também protestavam contra o agravamento da crise econômica.

No dia 27 de novembro de 1983 ocorreu uma grande manifestação na Praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu, em São Paulo. Anteriormente, já haviam ocorrido atos semelhantes em Abreu Lima (PE), Goiânia (GO) e Curitiba (PR).

Com a mobilização em vários pontos do país, o movimento cresceu e teve seu ápice no dia 25 de janeiro (aniversário de São Paulo) com a realização de um evento no Vale do Anhangabaú, com mais de 1,5 milhão de pessoas. O ato foi liderado por Tancredo Neves, Franco Montoro, Orestes Quércia, Fernando Henrique Cardoso, Mário Covas, Luiz Inácio Lula da Silva e Pedro Simon, além vários artistas e intelectuais envolvidos na luta pelas Diretas Já.

O então presidente João Figueiredo tentou reprimir o movimento com censura à imprensa, prisões e violência. Apesar da Emenda Dante de Oliveira (que exigia a votação direta) não ter passado na Câmara dos Deputados, o movimento representou um marco no processo de redemocratização do Brasil. Em 1985, finalmente, o Brasil voltaria a ser governado por um presidente civil. Depois, em 1988, houve a aprovação de uma nova Constituição e, no ano seguinte, ocorreu a primeira eleição direta para Presidente da República após o Regime Militar.

 


Imagem: By Arquivo da Agência Brasil (ABr; ABr.) [CC BY 3.0 br], via Wikimedia Commons

15.Ene.1985

Fim da ditadura: Brasil volta a ter um presidente civil após 21 anos de regime militar

No dia 15 de janeiro de 1985, o Brasil voltou a ter um presidente civil após longos 21 anos de regime militar. Por uma eleição indireta, o escolhido para o cargo foi Tancredo Neves, ex-governador de Minas Gerais e candidato da Aliança Democrática. No pleito, ele venceu o deputado Paulo Maluf, do PDS, por 480 contra 180 de um total de 686 votos do Colégio Eleitoral. Antes de Tancredo Neves, o último presidente civil do país foi João Goulart, deposto em 1964. Apesar de a eleição de Tancredo Neves ter ocorrido de maneira indireta, sua vitória foi considerada fundamental para o processo de redemocratização do país. Contudo, na véspera de sua posse, programada para o dia 15 de março de 1985, Tancredo Neves sofreu uma crise aguda de peritonite e foi para o Hospital de Base de Brasília. Ele ficou internado 38 dias, passou por sete cirurgias e morreu no dia 21 de abril de 1985, sem ter conseguido vestir a faixa presidencial.

 


Imagem: Agência Brasil (Official picture of the Brazilian government [1]) [CC BY 3.0 br], via Wikimedia Commons

18.Dic.1975

Espanha e México reataram relações

Antes da eclosão da Guerra Civil (1936 a 1939), as relações bilaterais entre México e Espanha eram centralizadas no reconhecimento mútuo de seus respectivos sistemas políticos, o republicano por parte da Espanha, e, no México, o modelo derivado da Revolução de 1910, que na época contava com pouquíssimos defensores no cenário internacional. O contexto político da época facilitou o diálogo e a colaboração entre ambos os países, que superaram um longo período de distanciamento com o propósito de coalizão para defender a legitimidade de seus respectivos governos. Com o fim da guerra na Espanha o então presidente desse país, Lázaro Cárdenas, concentrou os esforços da diplomacia mexicana no auxílio das dezenas de milhares de combatentes republicanos que conseguiram deixar as milícias franquistas e seu quase certo fuzilamento ou reclusão. Cárdenas cumpriu sua promessa e abriu as portas do país a dezenas de milhares de republicanos, que para pisar em solo mexicano precisaram suportar vários anos de guerra entre irmãos e, após a derrota, a perseguição implacável das tropas franquistas. Finalmente, as relações entre ambas às nações foram reatadas no dia 18 de dezembro de 1975.

 


Imagem: By Photograph by Bates Winifred [Public domain], via Wikimedia Commons

06.Dic.1912

Os chineses recebem o direito a voto

A República da China foi o regime político chinês ocorrido na China após a última dinastia imperial, la Qing, no ano de 1912. O período republicano foi uma etapa de grandes distúrbios políticos e sociais, marcada pela independência virtual de amplas áreas da China, sob o controle dos chamados "senhores da guerra", e pelos numerosos confrontos bélicos, principalmente a segunda guerra sino-japonesa e, a partir de 1945, a guerra civil entre o Kuomintang, o partido político que dominava as instituições da República, sob o comando de Chiang Kai-shek, e Partido Comunista de China. Além de ter sido um ano de distúrbios políticos e sociais, foi também uma época de avanços, principalmente quanto à soberania, pois os chineses receberam o direito ao voto, o qual era restrito havia muitos anos.

 

 


 

Imagem: By The People's Republic of China Printing Office [Domínio público], via Wikimedia Commons

27.Nov.1987

É institucionalizado o Grupo dos Oito

O Grupo dos Oito é um mecanismo permanente de consulta e acordo político da América Latina e do Caribe, criado em 18 de dezembro 1986 mediante a Declaração do Rio de Janeiro, subscrita pela Argentina, Brasil, Colômbia, México, Panamá, Peru, Uruguai e Venezuela. O grupo foi criado como substituinte das atividades do Grupo de Contadora conformado por: México, Colômbia, (Venezuela e Panamá) e do Grupo de Apoio a Contadora (Argentina, Brasil, Peru e Uruguai). O grupo ficou formalmente institucionalizado em sua 1ª Cúpula, no dia 27 de novembro de 1987 em Acapulco - México, em que se denominou Compromisso de Acapulco para a Paz, o Desenvolvimento e a Democracia.

 


Imagem: via Wikimedia Commons

15.Nov.1989

No centenário da república, Brasil vai às urnas para eleger um presidente

Após quase 30 anos, o povo brasileiro voltava às urnas para eleger democraticamente um presidente da república. No emblemático dia 15 de novembro, de 1989, no centenário da república, aproximadamente 82 milhões de brasileiros foram às urnas para o primeiro pleito presidencial após a eleição de João Goulart, em 1961, e que seria deposto três anos depois por um golpe militar. Os três principais candidatos desta histórica eleição eram Fernando Collor de Mello, Luís Inácio Lula da Silva e Leonel Brizola. A votação foi para o inédito segundo turno, com a disputa entre Collor e Lula, com o primeiro garantindo a maioria dos votos com 53% contra 46,9%.

 


Imagem: Governo do Brasil [Domínio público], via Wikimedia Commons

03.Aug.1984

Regime democrático volta a vigorar no Uruguai

Chamou-se Pacto do Clube Naval ao acordo assinado em 3 de agosto de 1984 que possibilitou o retorno do regime democrático ao Uruguai depois de onze anos de ditadura militar. Tratou-se de uma negociação secreta efetuada entre os ditadores militares e representantes do Partido Colorado, Frente Ampla e o Partido Nacional. O governo militar convocou eleições em novembro desse mesmo ano, não sem antes proscrever os candidatos naturais de seus respectivos partidos, o militar uruguaio Liber Seregni pela Frente Ampla, Wilson Ferreira Aldunate do Partido Nacional e Julio María Sanguinetti do Partido Colorado, que resultou eleito e assumiu no dia 1º de março de 1985. O nome deste acordo originou-se no local onde se efetuavam as reuniões, o Clube Naval, localizado no bairro Carrasco, de Montevidéu. O pacto marcou o fim da ditadura das Forças Armadas do Uruguai e permitiu as bases para uma transição pacífica rumo à democracia. Entre os pontos do acordo destacou-se o fato de que os novos comandos militares seriam designados por quem fosse eleito Presidente da República e, por outro lado, o Conselho de Segurança Nacional se manteria como órgão assessor em temas como o ataque à soberania e questões territoriais.

 


Imagem: Karin Porley von Bergen (Flickr: Instrucciones del Año XIII) [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons