Todos os horários

9 sentidos do corpo humano que você provavelmente não conhecia

Sim, nós temos muito mais que apenas os cinco sentidos conhecidos.

Abaixo, nove sentidos e receptores extras que você provavelmente nem sabia que tinha:

Quimiorreceptores: Estão relacionados à detecção de hormônios e fármacos. Também regulam o vômito.

Receptores de estiramento: Localizados nos órgãos primários, são os responsáveis por identificar a dilatação dos vasos sanguíneos. Estão relacionados a alguns tipos de dor de cabeça.

Equilíbrio postural: Esse sentido, localizado dentro dos ouvidos, é o responsável por manter o equilíbrio e realizar as mudanças necessárias para que o corpo fique em pé durante o movimento.

Nocicepção: É responsável pela percepção da dor. São três tipos de receptores: somáticos (ossos e articulações), cutâneos (pele) e viscerais (órgãos internos).

Sensores de tensão: Estão localizados nos músculos e permitem que o cérebro regule a força da tensão muscular.

Propriocepção: Esse mapa de receptores sensíveis permite que o corpo conheça a localização espacial de todas as suas partes.

Som: Esse sentido detecta as vibrações sonoras localizadas em diferentes meios, como o ar e a água.

Termocepção: É responsável tanto por detectar a temperatura do ambiente externo como de regular a temperatura do próprio corpo.

Comichão: Independente do tato, é o sentido que capta e envia ao cérebro a sensação de prurido.


Fonte: Super Curioso

Imagem: Shutterstock

Corpo humano ganha novo órgão. Conheça!

Depois de anos de estudos, cientistas descobriram que o mesentério, estrutura membranosa responsável por sustentar e irrigar os intestinos, é, na verdade, um órgão. 

 

O “upgrade” veio depois de uma equipe da University Hospital Limerick, na Irlanda, constatar que a estrutura era contínua e única, e não fragmentada como se pensava até então.

 

O estudo foi publicado recentemente no prestigiado The Lancet Gastroenterology & Hepatology

 

A descoberta abre caminhos para a medicina buscar novas abordagens cirúrgicas e aprimorar o tratamentos de doenças relacionadas ao aparelho digestivo. 

 


Fonte: Time.com e Bbc.com 

Imagem: Shutterstock.com

 

Os 7 superpoderes humanos ativados pela adrenalina

Euforia, aceleração do ritmo cardíaco, aumento da pressão sanguínea: nosso corpo fica "superpoderoso" quando a adrenalina entra em ação e nos deixa em estado de alerta para enfrentar inúmeros perigos.

Esse hormônio e neurotransmissor produzido pelas glândulas suprarrenais (acima dos rins) é ativado diante de situações de ameaça e tensão. Abaixo, contamos como essa substância química poderosa atua no nosso organismo.

Mobiliza as reservas de glucose: As reservas de glicogênio estão localizadas nos músculos, o que faz com que, diante do perigo, eles tenham muito mais força que em situações comuns.

Interrompe o movimento dos intestinos: A adrenalina faz com que o movimento intestinal seja interrompido, de modo a evitar funções fisiológicas incômodas que poderão colocar em perigo quem tem que se defender de uma ameaça.

Acelera o ritmo cardíaco: O pulso é acelerado, aumentando o volume de sangue e levando oxigênio e nutrientes extras a todos os órgãos do corpo.

Causa euforia: A sensação de euforia é necessária para a preservação da vida diante do perigo. A atividade cerebral é intensificada e as reações corporais ficam mais rápidas.

Melhor oxigenação: O corpo é capaz de acelerar o ritmo respiratório e relaxar os músculos nasais, permitindo que entre mais ar e o organismo se oxigene mais facilmente.

Dilata as pupilas: Uma visão mais aguçada é essencial para garantir a sobrevivência. A injeção de adrenalina dilata as pupilas, permitindo que o sentido visual seja otimizado.

Maior pressão sanguínea: Diante do perigo, os vasos sanguíneos dos órgãos vitais se alargam, fazendo com que entre um fluxo maior de sangue, que se concentra nos locais mais importantes, facilitando a oxigenação.


Fonte: Muy Interessante

Imagem: Christophe Michot / Shutterstock.com

Descoberto mecanismo biológico que usamos para escolher o parceiro sexual

A ciência tem uma explicação bem menos romântica para a paixão e a existência das almas gêmeas do amor: tudo seria basicamente uma questão de sistemas imunológicos que se complementam.

Um novo estudo afirma que a escolha do parceiro sexual está relacionada ao sistema imunológico, já que escolhemos alguém que tenha um antígeno leucocitário diferente do nosso. Isso quer dizer que a seleção é feita a partir dos anticorpos alheios, na busca por um complemento.

Após a análise de 254 casais, chegou-se à conclusão de que quem tinha maiores diferenças entre seus antígenos leucocitários possuía uma vida sexual melhor. Isso se deve ao fato de as pessoas com um sistema imunológico diferente poderem ter filhos cuja descendência seja resistente a mais doenças.

“Os peixes, aves e mamíferos preferem companheiros com um código genético diferente do seu, o que eles determinam usando sinais olfativos”, explica o estudo. Embora não se saiba como o sistema, conhecido como complexo principal de histocompatibilidade (MHC, na sigla em inglês), exprime um odor através do corpo, sabe-se que cada pessoa detecta o seu possível parceiro pelo olfato e componentes encontrados na saliva e no suor.


Fonte: BBC

Imagem: sakkmesterke/Shutterstock.com

Cotucar o nariz pode ser terrível para sua saúde

Esse hábito que a etiqueta condena também não é nada saudável. Saiba os males que ele pode causar a sua saúde.

Após ler esse texto, você, provavelmente, nunca mais cutucará o seu nariz!

1 - Exposição a infecções e resfriados: toda a vez que você põe seu dedo no nariz, está colocando germes para dentro do corpo - um deles é o estafilococos. E antes de colocar sua mão no nariz, pense bem por onde ela andou - corrimões, ônibus, banheiros, dinheiro...

2 - Sangramentos: enfiar o dedo no nariz também pode provocar sangramentos. Há cinco artérias na parte da frente do nariz. Há o Plexo de Kiesselbach que pode sangrar bastante se você machucar por ali.

3 - Crianças: elas são conhecidas por ficar colocando os dedinhos no nariz. Às vezes, fazem isso com tanta força, que sagram o narizinho.

4 – Hábitos ruins: quem coloca o dedo no nariz também costuma ter outros hábitos nada saudáveis, de acordo com uma pesquisa norte-americana, de Wisconsin. O levantamento indicou que 25% dos indivíduos que enfiam o dedo no nariz também arrancam cutícula com os dentes, 20% devoram às peles em volta das unhas; 18% roem as mesmas e 6% arrancavam os cabelos.

5 – Melecas – muita gente pensa que as melecas são produzidas pelo nosso corpo. Isso não é verdade. Elas são o acúmulo de poeira e sujeira que o muco das nossas narinas impediu que entrasse no nosso corpo. Então, quando você mete o dedo no nariz para tirar uma melequinha, você está expondo seu corpo de algumas maneiras. Uma delas, pelo fato de colocar seu dedo sujo no nariz, introduzindo germes no seu corpo. Outra é que ao tentar tirar uma meleca, você pode provocar sangramentos e feridas dentro da sua narina. Tem gente que enfia o dedo com tanta força no nariz que acaba perfurando o septo nasal com a unha.

 



Fonte: Segredos do Mundo 
Imagem: Aaron Amat/Shutterstock.com

Conheça algumas ilusões óticas que enganam nosso cérebro

O cérebro humano não é capaz de analisar toda a informação que nos rodeia. Por isso, como parte de uma estratégia de sobrevivência, ele é treinado para funcionar de forma estatística. Isso significa que ele extrai o que há de mais relevante em uma situação e, a partir desses dados, tira suas conclusões. Essa capacidade de seleção é a mesma que faz com que sejamos enganados com as ilusões óticas. Abaixo, explicamos como as ilusões mais comuns nos enganam:

[VEJA TAMBÉM: Conheça 6 funções incríveis do corpo humano]

Qual linha é mais comprida?
Embora estas duas linhas tenham o mesmo comprimento, a de baixo parece mais longa. Isso acontece porque o cérebro interpreta que a linha com as setas invertidas é mais comprida porque está mais expandida, e se fosse uma figura horizontal seria mais longa.


Paralelas loucas
As linhas deste desenho são paralelas. Acontece que o padrão de zigue-zague vertical no qual estão ordenados os quadrados altera a capacidade do nosso cérebro de entender as linhas horizontais como tais.

 


Magenta ou laranja?
Todos os quadrados interiores desse gráfico são, na verdade, a mesma cor, porém, como o modo em que percebemos uma cor muda em relação às cores que a rodeiam, nós os vemos de cores diferentes.

 


Giram e giram
Aqui ocorre um fenômeno similar ao do cinematógrafo. Enquanto interpretamos a imagem, ficam gravadas na retina as imagens que vimos um segundo antes. Dessa forma, enquanto passamos a vista pelo desenho, as imagens se sobrepõem, gerando uma ilusão de movimento.

 

 


Faces ou taça?
Nessa imagem clássica, entram em conflito as figuras de forma e fundo. Nosso cérebro não é capaz de decidir se a figura é uma taça ou duas faces se encarando, mas é incapaz de ver as duas coisas ao mesmo tempo,

 

 

 

 

Conheça outros truques que a mente humana pode pregar. Clique abaixo e veja mais sobre os MISTÉRIOS DA MENTE:

 


Fonte: Pichicola

 

 

 

Conheça 6 funções incríveis do corpo humano

A biologia continha descobrindo funções surpreendentes nessas máquinas perfeitas que são nossos corpos. Abaixo, mostramos seis dados surpreendentes do corpo humano que talvez você não conheça:

Os dedos ficam enrugados com a umidade para poder agarrar coisas debaixo d’água: a ciência comprovou que o fato de nossos dedos se enrugarem ao entrar em contato prolongado com a água é uma vantagem evolutiva. Assim como as estrias dos pneus favorecem a aderência de um veículo, os dedos enrugados na água nos permitem pegar as coisas para que elas não nos escapem das mãos.

Os fetos enviam células-tronco que curam os órgãos das mulheres grávidas: estudos recentes com mamíferos mostraram que os fetos detectam tecidos danificados nos órgãos de suas mães e enviam células-tronco para restaurá-los. Além disso, eles também fornecem células-tronco que ajudam a combater o câncer de mama. Esse mecanismo ajuda a garantir a sobrevivência da espécie.

O fígado tem a capacidade de se autorregenerar: foi confirmado através de doações de órgãos que uma parte do fígado transplantado é capaz de se regenerar por completo no novo corpo, inclusive quando se trata de pedaços menores de 10% da massa hepática. Da mesma forma, se doássemos uma parte de nosso fígado, ele voltaria a ter seu tamanho original.

Respirar emagrece: quando emagrecemos, nosso metabolismo queima as moléculas de gordura desnecessárias. Agora, sabemos que os átomos de carbono contidos nos triglicerídeos são expulsos através do nosso sistema respiratório, juntamente com o dióxido de carbono.

Carregamos dois quilos de bactérias em nosso corpo: em nosso corpo, vivem mais de 100 bilhões de bactérias. Esses micro-organismos são úteis em várias funções orgânicas. Entre outras coisas, eles intervêm no balanço do sistema imunológico e produzem substâncias necessárias para que aproveitemos os nutrientes dos alimentos.

Leite materno sob encomenda: o leite materno contém todos os nutrientes que um bebê até seis meses de idade precisa. No entanto, suas propriedades ainda surpreendem: o leite vai se adaptando às necessidades da criança, o que varia com seu crescimento. Além disso, o corpo da mãe é capaz de detectar a presença de vírus no corpo do bebê e produzir no leite os anticorpos necessários para combatê-los.

CLIQUE AQUI E AJUDE A PRESERVAR PAISAGENS INCRÍVEIS. Fonte: Gizmodo

Imagem: Mopic/Shutterstock.com

Conheça cinco partes do corpo que não servem para nada

O corpo humano é um sistema complexo, com partes como membros, órgãos, tecidos, etc. que interagem de modo a nos permitir não apenas existir, mas também funcionar e se relacionar com o mundo. E elas são todas fundamentais, já que, se alguma falhar, todo o corpo é afetado.

Porém, existem algumas exceções, e listamos abaixo cinco partes do corpo humano que, ao menos aparentemente, não cumprem nenhuma função:

• Apêndice: Certamente, uma das intervenções cirúrgicas mais frequentes e menos perigosas é a apendicectomia, que compreende a remoção do apêndice. Quando esse órgão inflama, ele pode até estourar, causando infecções graves e uma possível morte por peritonite. Os cientistas acreditam que o apêndice é um desdobramento de algum outro órgão, cuja utilidade foi perdida em algum momento do processo evolutivo.

• Mamilos masculinos: As fêmeas da espécie humana utilizam seus mamilos para alimentar os bebês, algo que não acontece com os machos, que não usam os seus para nada. Mesmo assim, o homem nasce com eles, dado que seu processo de formação acontece antes dos sexos se diferenciarem, durante a etapa embrionária.

• Pelos corporais: Surgindo de forma volumosa a partir da maturidade sexual, os pelos não possuem praticamente nenhuma utilidade, exceto para as pessoas que trabalham em clínicas de depilação. Eles foram importantes durante os primeiros estágios evolutivos, para aquecer a espécie humana e, no caso dos machos, cortejar as fêmeas. Hoje, somente as sobrancelhas e os cílios servem para alguma coisa, como proteger os olhos do suor ou da poeira.

• Os dentes do siso: Em geral, até os dez anos de idade, o ser humano já possui uma dentadura definitiva. Porém, na sua adolescência, surgem os chamados “dentes do siso”, quatro molares que, longe de ter alguma utilidade, causam dores e alguns transtornos. Quando não há espaço suficiente na boca do paciente para alojá-los, os dentistas optam por retirá-los.

• Cóccix: Na pré-história da nossa espécie, os humanos contavam com uma espécie de rabo, que os ajudava a manter o equilíbrio. Hoje, daquela extremidade restou apenas o cóccix, ou seja, a última vértebra da espinha. São muitos os estudiosos que afirmam que ele ainda colabora para o equilíbrio do corpo, embora existam mais pessoas que digam que ele só serve para causar dor todas as vezes em que caímos sentados.

Crédito da imagem: Puwadol Jaturawutthichai / Shutterstock.com

Fonte: Ojo Curioso 

 

Conheça os casos inexplicáveis de pessoas que saem do coma falando outras línguas

Você sabia que as pessoas podem acordar de um coma falando uma língua estrangeira com a qual não têm muito contato? Essa situação, conhecida como afasia bilíngüe, ocorre  supostamente quando uma área do cérebro que aprende uma língua está danificado, enquanto outra permanece intocada. Michel Paradis, um neurolinguista na Universidade McGill, em Montreal, diz que essa situação não é incomum e, para ele, o quadro não é necessariamente uma surpresa. Contudo, a situação não deixa de despertar curiosidade. Confira abaixo alguns casos:

Falando sueco

Um homem acordou em um quarto de hotel em Palm Springs, na Califórnia. Ele não tinha ideia de quem ele era e só falava sueco. Chamou-se Johan Ek, mas, de acordo com os seus documentos, ele nasceu na Florida como Michael Boatwright. Apesar de ele ter vivido no Japão e na China, falava exclusivamente sueco. Ele definiu toda a situação como um pesadelo.

Croata fala alemão fluente

Dujomir Marasovic, misteriosamente, entrou em um coma de 24 horas na Croácia, seu país natal. Quado acordou, falava alemão fluente, uma língua que a menina de 13 anos havia apenas começado a aprender na escola. Seu croata, contudo, já não era tão bom. O mais estranho nessa situação é que ela precisou contratar um tradutor para falar com a própria família.

Australiano domina mandarim

O australiano Ben McMahon estudou mandarim no ensino médio, mas ainda estava absorvendo o idioma quando sofreu um grave acidente de carro. Quando saiu de uma longa semana de coma, ele era tão fluente em mandarim que isso mais tarde o ajudou a garantir um emprego como guia de chineses em Melbourne e um trabalho na TV chinesa. Por outro lado, ele precisou reaprender inglês, o que aconteceu em poucos dias. Veja o vídeo sobre o caso no final do texto.

Fluente em Galês

Um homem de 81 anos chamado Alun Morgan foi evacuado para o País de Gales durante a Segunda Guerra Mundial. Apesar de ter vivido lá quando tinha apenas 10 anos, ele nunca aprendeu a língua. Ele voltou para a Inglaterra após a guerra e por ali permaneceu por 71 anos, até sofrer um acidente vascular cerebral que o colocou em coma. Três semanas mais tarde, ele acordou falando galês e nenhum e inglês.

Fonte:

ProBible



 

Cientistas experimentam tatuagem que carrega baterias através do suor

Atualmente, praticamente tudo pode ser convertido em energia... até mesmo o suor do nosso corpo, que poderá se tornar um aliado tanto no cuidado com o meio ambiente quanto na praticidade da vida cotidiana. Fazer da transpiração uma fonte de energia renovável é possível graças a um desenvolvimento científico inovador.

Um grupo de pesquisadores da Universidade da Califórnia, em San Diego, criou uma biobateria que utiliza o suor de uma pessoa durante uma atividade física para gerar eletricidade. Ao mesmo tempo, realiza medições do estado do corpo do atleta, através desse curioso sensor-bateria natural, que é aplicado em forma de tatuagem. A chave para o desenvolvimento dessa invenção extraordinária está na enzima chamada lactato desidrogenase – quanto mais intenso é o exercício físico, mais o corpo produz lactato e ativa um processo chamado glicólise.

Para medir a produção dessa enzima, os cientistas desenvolveram um sensor de lactato flexível em uma lâmina de tatuagem temporal. De maneira complementar, fizeram uma biobateria alimentada por suor, que foi testada por 15 voluntários: quem estava em pior forma física, produziu mais energia, porque se cansava antes, gerando a gicólise antes e produzindo mais lactato. Essa seria, aparentemente, a primeira vantagem ambiental de estar fora de forma. A quantidade máxima de energia gerada foi de 70 microwatts por centímetro quadrado de pele. Por isso, será necessário melhorar o sistema para produzir mais energia, armazená-la e alimentar dispositivos. No entanto, o primeiro passo está dado para a utilização de energia limpa e nova... com cheiro de suor.

Fonte e imagens: El Mundo e ArgNoticias