Todos os horários
20.Mar.1966

O dia em que a Jules Rimet foi roubada e depois encontrada por cãozinho

Um caso com um desfecho incrível, envolvendo um cãozinho, teve início com o roubo da Taça Jules Rimet, no dia 20 de março de 1966, em Londres. Assim era inicialmente chamado o troféu confeccionado pela Fifa, concedido ao vencedor da Copa do Mundo de Futebol. A taça foi encontrada sete dias após o roubo pelo cachorrinho collie Pickles, em um caso que até a Scotland Yard esteve envolvida.

 

A Associação de Futebol da Inglaterra havia recebido a taça em janeiro de 1966, pouco antes da realização da Copa do Mundo que ocorreria em seu território, em julho. Em março de 1966, teve início uma exposição pública da taça, juntamente com uma mostra de selos, no Westminster Central Hall, em Londres. No dia 20, bandidos aproveitaram um descuido da segurança e levaram o troféu, em prata dourada, avaliado em três mil libras na época, mas que havia sido assegurado em 30 mil libras.

 

A Scotland Yard assumiu o caso e entregou a missão para a Flying Squad, uma divisão especializada na investigação de roubos. Rapidamente, o roubo da Taça Jules Rimet tomou conta da imprensa internacional. 

 

No dia seguinte ao roubo, um pedido de resgate da taça foi enviado a um diretor da Associação de Futebol inglesa, resultando, rapidamente, na prisão de um homem. Isso não levou a polícia à taça, pois o homem alegou que era apenas um "intermediário" no negócio e disse não conhecer os ladrões.

 

O caso ganharia um desfecho inesperado no dia 27 de março graças ao cachorrinho collie chamado Pickles. Ele passeava com o seu dono, David Corbett, quando farejou um embrulho enrolado em folhas de jornal em Beulah Hill, Upper Norwood, no Sul de Londres. Corbett identificou a taça e levou-a para a polícia. Os policiais, de início, suspeitaram que o dono do cão pudesse ter algum envolvimento no roubo, mas Corbett possuía um álibi. 

 

Pickles se tornou uma celebridade, participou de filmes e programas na TV e ganhou um ano grátis de comida canina. Quando a Inglaterra venceu a Copa de 1966, Pickles foi convidado para o jantar de celebração. O cachorro ainda recebeu a medalha de prata da Liga Nacional de Defesa Canina. Corbett juntou quase 5 mil libras como recompensa e usou o dinheiro para comprar uma casa.  

 

Essa não seria a última vez que a Jules Rimet seria roubada. Em 19 de dezembro de 1983, a taça foi levada por ladrões da sede da Confederação Brasileira de Futebol, no Rio de Janeiro, e jamais encontrada.



 

Crédito: Quien es quien : Campeonato Mundial de Fútbol = Who´s who World Football Championship. Santiago: El Diario Ilustrado, 1962. xii, 297 p. [Public domain], via Wikimedia Commons

25.Oct.2016

Brasil perde o capitão do tricampeonato de 70, Carlos Alberto Torres

O futebol brasileiro perdeu nesta terça-feira, dia 25 de outubro, o seu grande capitão do tricampeonato mundial de 1970, Carlos Alberto Torres. Ele foi vítima de um infarte fulminante, aos 72 anos, no Rio de Janeiro. O ex-jogador atualmente trabalhava como comentarista esportivo.

 

Nascido em 17 de julho de 1944 no Rio de Janeiro, ele começou a carreira de jogador como lateral-direito pelo Fluminense. Também teve passagens por Santos, Botafogo, Flamengo e New York Cosmos.

 

Conquistou muitos títulos pelos gramados. No Flu, ganhou o Carioca em 1964 e depois, em sua segunda passagem, em 1975 e 1976. No Santos de Pelé, onde jogou ao lado de Edu e Clodoaldo, ergueu a Taça Brasil em 1965 e 1968, o Torneio Rio-São Paulo em 1966, a Recopa Sul-Americana, em 1968, e muitos campeonatos paulistas - 1965, 1967, 1968, 1969 e 1973. Nos Cosmos, foi campeão por quatro temporadas - 1977, 1978, 1980 e 1982.

 

Como treinador, conquistou o Campeonato Brasileiro de 1983, pelo Flamengo, Copa Conmebol, em 1993, pelo Botafogo, e o Campeonato Carioca pelo Fluminense, em 1984.

 

Na grande final da Copa do Mundo de 1970, no México, na partida conta a Itália, Carlos Alberto marcou o último gol da vitória por 4 a 1 - os outros tentos foram de Pelé, Gerson e Jairzinho. A Itália descontou com Boninsegna.

 


Imagem: Jair, Carlos Alberto e Dario AgBr José Cruz/ABrderivative work: Yanguas [CC BY 3.0 br], via Wikimedia Commons

13.Jul.1930

A Primeira Copa do Mundo

Em 13 de julho de 1930, a França derrotou o México por 4x1 e os EUA venceram a Bélgica por 3x0 nos primeiros jogos da Copa do Mundo de futebol, jogados simultaneamente na cidade anfitriã, em Montevidéu, no Uruguai. Desde então, a Copa do Mundo se tornou o evento esportivo mais assistido do mundo.

 

Depois da decisão de 1929, de excluir o futebol da programação dos Jogos Olímpicos de Los Angeles (1932), o presidente da FIFA, Jules Rimet, ajudou a organizar um torneio internacional em 1930. Para a decepção de muitos futebolistas europeus, o Uruguai, vencedor consecutivo da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1924, em Paris, e de 1928, em Amsterdã, foi escolhido para sediar a Copa do Mundo inaugural.

 

Por causa da depressão na Europa, muitos jogadores desse continente, com medo de perder seus empregos diurnos, não foram capazes ou não quiseram participar do torneio. Como resultado, algumas das equipes mais qualificadas da Europa, como a Inglaterra (três vezes medalhista de ouro olímpica), a Itália, a Espanha, a Alemanha e a Holanda não puderam participar da primeira Copa do Mundo. No entanto, quando o Uruguai aceitou pagar as despesas de viagem, Rimet conseguiu convencer a Bélgica, a França, a Romênia e a Iugoslávia a atravessarem o oceano. Na Romênia, o rei Carlos II escolheu sozinho os jogadores da equipe, deu-lhes férias de três meses de seus trabalhos e lhes garantiu que estariam empregados ao retornarem.

 

Dos que participaram do torneio, Uruguai e Argentina eram os favoritos absolutos, enquanto França e EUA também eram adversários fortes. Na primeira rodada, o francês Lucien Laurent marcou o primeiro gol da história das Copas do Mundo. Na segunda partida, a França perdeu de 1x0 para a Argentina em meio a uma controvérsia: os árbitros terminaram a partida seis minutos antes do tempo normal. Assim que foi descoberto o problema, os árbitros tiveram que trazer os jogadores argentinos de volta ao campo para jogar os minutos finais. O Brasil venceu a Bolívia por 4x0, mas por ter perdido de 2x1 para a Iugoslávia na primeira partida, acabou não se classificando para a fase final.

 

Na primeira final de Copa do Mundo, realizada em 30 de julho, 93 mil espectadores foram assistir ao Uruguai derrotar a Argentina por 4-2 em uma reprise do jogo que valeu a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1928. O Uruguai veio a ganhar sua segunda Copa do Mundo em 1950, de forma traumática para a equipe brasileira, que perdeu de 2x1 em um Maracanã lotado e com o favoritismo ao seu lado.

 


Imagem: El Gráfico [Domínio público], via Wikimedia Commons

 

COPA DO MUNDO

A competição está acirrada quando Rick enfrenta um tatuador e o pai de cinco crianças que querem roubar uma peça valiosa da história da Copa do Mundo.

A competição está acirrada quando Rick enfrenta um tatuador e o pai de cinco crianças que querem roubar uma peça valiosa da história da Copa do Mundo.
08.Jul.2014

Brasil leva 7x1 da Alemanha e é eliminado da Copa em casa

A data de 8 de julho de 2014 vai ficar marcada para sempre, de uma forma trágica, na memória do torcedor brasileiro. Foi o dia do chamado “Mineiraço”, quando a Seleção Brasileira, comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari, foi atropelada pelo time da Alemanha pelo elástico placar de 7x1 nas semifinais da Copa do Mundo no Brasil.

A partida no Mineirão, em Belo Horizonte, lembrou (salvas as devidas proporções), a derrota na final da Copa do Mundo de 1950, em que o Brasil perdeu o título para o Uruguai por 2 a 1, no Rio de Janeiro, no duelo que ficou conhecido como “Maracanaço”.

O vexame mais recente, em 2014, no entanto, entrou para a história como o maior da seleção brasileira em copas do mundo. O time entrou em campo sem seu principal goleador, Neymar, afastado por lesão. Além disso, o meio campo brasileiro praticamente inexistiu no primeiro tempo, o que obrigava os zagueiros a chutar diretamente para os atacantes. Desta forma, a bola caía nos pés dos defensores alemães que faziam a saída de bola para o melhor meio campo do mundo.

O resultado dessa deficiência não demorou a aparecer. Antes dos 30 minutos de jogo, o Brasil já havia levado 5 x 0 da Alemanha e estava completamente perdido dentro de campo. Na primeira etapa, os gols foram anotados por Müller (11 min), Klose (aos 23 min), Kroos (aos 24 e 26 min) e Khedira (aos 29 min).

Ainda abalados pelo placar, os brasileiros retornaram do vestiário para o segundo tempo com a marcação mais reforçada e sofreram “apenas” outros dois gols dos alemães, com Schürrle, que marcou duas vezes. O Brasil descontou com Oscar, nos minutos finais. Após o encerramento do jogo, boa parte dos torcedores brasileiros havia deixado o Mineirão e os que restaram bateram palmas aos alemães.

O Brasil disputou o terceiro lugar com a Holanda e foi derrotado por 3 a 0, em Brasília. Já a Alemanha foi a dona da festa ao conquistar o título na final diante da Argentina, por 1 a 0, no Rio de Janeiro.

 


Imagem: Danilo Borges/Portal da Copa [CC BY 3.0 br], via Wikimedia Commons

COPA DO MUNDO

A competição está acirrada quando Rick enfrenta um tatuador e o pai de cinco crianças que querem roubar uma peça valiosa da história da Copa do Mundo.

Neymar Jr.

Neymar da Silva Santos Júnior, conhecido mundialmente como Neymar ou Neymar Jr, nasceu no dia 5 de fevereiro de 1992, na cidade de Mogi das Cruzes (SP). É filho do mecânico Neymar da Silva Santos e de Nadine Santos. Considerado um dos melhores jogadores do mundo, o atacante se consagrou com a camisa do Santos com o seu “futebol arte”, carimbando sua transferência, em 2012, para o Barcelona, na Espanha. Também é um dos principais jogadores da Seleção Brasileira de futebol. Sucesso publicitário, ele também é garoto-propaganda de várias marcas, além de ter suas linha de produtos licenciados.

 

Primeiros dribles

Desde pequeno, Neymar Jr já mostrava uma habilidade fora do comum para o futebol, com dribles curtos e agilidade nas pernas. Seu pai, que já jogou futebol como amador e profissional, foi um dos maiores incentivadores da carrira do filho. Com 6 anos, o menino chamou atenção de Betinho, caçador de talentos, que já havia lançado Robinho. Neymar, então, foi levado às equipes de futsal da Baixada Santista para desenvolver o seu futebol.

 

Ida para o Santos

Mais tarde, quando tinha 12 anos, Neymar chamou a atenção de dois ex-jogadores do Santos, Lima e Zito. O garoto impressionou e foi levado ao Peixe. Com o tempo, Neymar foi subindo de categoria. No futebol de base, disputou duas copas São Paulo de Juniores e acabou promovido ao time principal do Santos em 2009. O atacante estreou pelo Peixe como profissional com apenas 17 anos, no dia 7 de março, diante do Oeste, no Estádio Pacaembu, pelo Campeonato Paulista. Seu primeiro gol na nova categoria veio contra o Mogi Mirim, no dia 15 de março, marcando de cabeça.

O primeiro troféu pela equipe do Santos só viria no ano seguinte, quando o atacante conquistou o Campeonato Paulista. Entrava em campo a nova geração de futebol do clube, os Meninos da Vila, liderada por Robinho, Neymar Jr, PH Ganso e André. Nesta mesma temporada mais um título, inédito, foi conquistado:  a Copa do Brasil. Neymar foi o artilheiro da competição, com 11 gols.

 

Primeira convocação à Seleção

Em 2010, garoto realizou o sonho de muitos meninos e foi convocado pela primeira vez para vestir a camisa da Seleção Brasileira principal, no amistoso contra os Estados Unidos. Neymar não poderia ter estreado melhor: marcando um gol pela equipe.

Ah, não tem parte chata. Eu acho que é sempre legal.”
(sobre o sucesso)

O ano de 2011 também entrou para sempre na história do jogador. Primeiramente, veio o título de bicampeão Paulista, em que Neymar marcou o gol do título contra o Corinthians. Contudo, o maior feito, de longe, foi a conquista da Taça Libertadores da América após um jejum de 48 anos do Santos. Neymar foi considerado o melhor jogador da competição e vice-artilheiro, com seis gols. No Mundial de Clubes, no Japão, a equipe ficou com o vice-campeonato após perder na decisão para o Barcelona por 4 a 0. Finalizando o ano, o atacante ainda levou o título do Sul-Americano Sub-20 com a Seleção Brasileira de base.

No ano seguinte, Neymar conquistou o tricampeonato paulista e atingiu a marca de 100 gols na carreira diante do Palmeiras, no dia 5 de fevereiro, data de seu aniversário. Também em 2012 foi vice-campeão dos Jogos Olímpicos, em Londres, onde a seleção perdeu a decisão para o México. O santista ainda conquistou a taça da Recopa Sul-Americana no ano do centenário do clube.

 

Acerto com o Barcelona

Cobiçado por grandes times e com seu nome envolvido em várias especulações, Neymar finalmente acertou a sua transferência para o Barcelona. Sua última partida como jogador do Santos aconteceu no dia 27 de junho de 2012. No dia 3 de julho, foi apresentado ao seu novo time diante de mais de 50 mil pessoas, no Camp Nou. O novo camisa 11 da equipe catalã iria jogar ao lado de Messi, seu grande ídolo.

Pouco depois, foi a vez de defender a camisa da Seleção Brasileira na Copa das Confederações. O jogador atuou nas cinco partidas do torneio, vencendo todos os jogos e ajudando a equipe a conquistar o título na grande final, contra a Espanha, no Maracanã, com a vitória por 3 a 0 - dois gols de Fred e um de Neymar.

 

Copa do Mundo no Brasil

Depois de assinar com um dos maiores clubes do mundo e de jogar ao lado de grandes nomes do futebol, Neymar estava prestes a realizar mais um sonho: disputar sua primeira Copa do Mundo, jogando em seu país. No dia 12 de junho de 2014,  fez a sua estreia na competição contra a Croácia, na vitória por 3 a 1. Neymar marcou dois gols e Oscar finalizou a vitória. Ainda na fase de grupos, o Brasil ainda passou por México (0 a 0) e Camarões (4 a 1), com dois gols de Neymar.

Tem certas pessoas que merecem tomar um drible, outras não. Enquanto não aparecer a mulher da minha vida, a gente vai driblando as outras.

Contra o Chile nas oitavas, a vitória foi nos pênaltis, em que Neymar também marcou. O sonho da Copa no Brasil, no entanto, chegou ao fim para o atacante no jogo contra a Colômbia - vitória do Brasil por 2 a 1. Neymar foi atingido por Zúñiga nas costas e fraturou uma vértebra. A lesão tirou definitivamente o jogador da competição. Na partida seguinte, com Neymar fora, o Brasil sofreu a dolorosa derrota para a Alemanha por 7 a 1, em Belo Horizonte, e deu adeus à briga pelo título mundial dentro de casa. Na disputa do terceiro lugar, a seleção perdeu para a Holanda por 3 a 0. Apesar dos pesares na Copa, Neymar e foi eleito dono da chuteira de bronze pelo terceiro lugar da artilharia na competição.

 

Polêmicas

O estilo ousado de Neymar dentro dos gramados também é sua marca registrada fora das quadro linhas. Ele já se envolveu em diversas polêmicas por conta de suas declarações, posicionamentos religiosos e comportamento dentro de campo que foi encarado como “desrespeito” aos adversários. Quando tinha 19 anos, se tornou pai pela primeira vez de um menino fruto de um relacionamento rápido com uma garota de 17 anos.

12.Jul.1998

Brasil perde a final da Copa do Mundo para a França

O dia 12 de julho de 1998 deixou uma amarga lembrança para os brasileiros na disputa da Copa do Mundo de 1998, na França. Neste dia, o Brasil entrou em campo para brigar pelo título do campeonato, mas mostrou um futebol apático e foi derrotado pelos franceses por 3 a 0, com gols de Zidane (2) e Petit. Antes do jogo, Ronaldo, principal destaque do time brasileiro, sofreu uma convulsão em um episódio que abalou todo o time e que gera polêmica até os dias de hoje. Antes de chegar à final, o Brasil fez um campeonato empolgante e confirmou a sua condição de favorito. Na primeira fase, derrotou a Escócia por 2 a 1, bateu o Marrocos por 3 a 0, mas caiu inesperadamente diante da Noruega por 2 a 1. A equipe se recuperou diante do Chile com uma vitória por 4 a 1 e depois passou pela Dinamarca por 3 a 2. O time brasileiro enfrentou um duro jogo contra a Holanda, nas semifinais. Após o empate por 1 a 1, o jogo foi para as penalidades, vencidas pelo Brasil por 4 a 2.

 


Imagem: via Wikimedia Commons

19.Dic.1983

Taça Jules Rimet, da Copa do Mundo de Futebol, é roubada no Rio de Janeiro

O dia 19 de dezembro de 1983 representou um triste drama para a história do futebol brasileiro e mundial. Naquela noite, homens encapuzados invadiram o escritório da Confederação Brasileira de Futebol, no Rio de Janeiro, amarraram um vigia noturno e fugiram com a Taça Jules Rimet. Após a conquista do terceiro título mundial de futebol, em 1970, a seleção brasileira havia adquirido o direito de possuir permanentemente o troféu verdadeiro, como fora estipulado por Jules Rimet, em 1930. A taça veio ao Brasil e foi colocada em uma caixa de vidro a prova de balas.

Além da taça, os ladrões levaram os troféus Jarrito de Ouro, lembrança da conquista do torneio de futebol do Pan-Americano de 1976, a Taça Independência, conquistada em 1972 no sesquicentenário da Independência do Brasil; e a Taça Equitativa, que lembrava o vice-campeonato na Copa do Mundo de 1950.

Assim que a notícia do roubo da taça se tornou pública, Pelé apelou para que ela fosse devolvida, mas a polícia anunciou que o objeto havia sido derretido na periferia do Rio de Janeiro. A taça nunca foi encontrada e, pouco tempo após o crime, todos os suspeitos já haviam sido liberados.

O troféu foi rapidamente substituído. Em 1984, a Eastman Kodak Co., de Rochester, Nova York, recebeu autorização da Fifa para recriar o troféu. A nova Taça Jules Rimet foi feita com 1,8 quilo de ouro puro e novamente montada em lápis azul. Oito placas de ouro foram gravados com os vencedores de 1930-1970. O novo troféu foi entregue ao presidente brasileiro João Baptista Figueiredo, em 1984.

 


Imagem: By Oldelpaso (Own work) [CC BY-SA 3.0 or GFDL], via Wikimedia Commons

24.Dic.1937

Nasce o goleiro Félix, tricampeão na Copa do Mundo de 1970

No dia 24 de dezembro nascia, em São Paulo, Félix Miéli Venerando, ex-goleiro brasileiro, campeão mundial com a seleção brasileira na Copa de 1970. Com o time canarinho, disputou um total de 48 partidas, conquistando, antes do Mundial no México, o bicampeonato da Copa Rio Branco em 1967 e 1968. Na Copa, ele teve atuação decisiva em alguns jogos. Contra a Inglaterra, na primeira fase, defendeu uma cabeçada à queima-roupa de Francis Lee. Nas semifinais, evitou um gol importantíssimo, quando o Brasil vencia o Uruguai por 2 a 1. No final do segundo tempo, Félix voou para espalmar uma bola cabeceada por Espárrago. Sua carreira em clubes de futebol começou quando Félix tinha apenas 15 anos de idade, ao se profissionalizar no Juventus da Mooca. Em 1955, ele se transferiu para a Portuguesa, onde ficou até o ano de 1968 – neste período, no final dos anos 60, foi emprestado ao Nacional-SP, da capital paulista. Após passagem pela Lusa, Félix defendeu o Fluminense, onde se sagrou Campeão Carioca em 1969, 1971, 1973 e 1975, além de campeão da Taça de Prata em 1970. Félix atuou pelo tricolor carioca até 1976, quando encerrou sua carreira por conta de uma calcificação no ombro direito. Ele ficou no clube até 1980, trabalhando como preparador de goleiros. Em 1982, foi técnico do Avaí, de Florianópolis (SC). Depois, foi diretor comercial de uma empresa de propriedade do seu genro. Atualmente, coordena uma escolinha de futebol comunitária, voltada para as crianças carentes, além de fazer palestras para empresas e faculdades. Em 2007, assumiu o cargo de diretor técnico da Inter de Limeira, que disputou a Série A-2 do Campeonato Paulista.

 

 


 

Imagem: via Wikimedia Commons