Todos os horários
16.Dic.1770

Nasce Ludwig van Beethoven

O compositor Ludwig van Beethoven foi batizado em 17 de dezembro de 17701, em Bonn, Alemanha. Ele foi inovador, ampliando o alcance das sonatas, sinfonias, concertos e quartetos, e combinando vocais com instrumentos de uma nova forma. Sua vida pessoal foi marcada pela luta contra a surdez, e alguns dos seus trabalhos mais importantes foram compostos durante os últimos dez anos de sua vida, quando ele estava praticamente incapaz de ouvir.ssas obras incluem Missa Solemnis e o Quarteto n° 14. Sua nona e final sinfonia, finalizada em 1824, continua sendo sua obra mais ilustre.

 

Beethoven morreu em 26 de março de 1827, aos 56 anos e a autópsia concluiu que a causa da morte foi uma cirrose. O exame também indicou que, ao contrário de uma doença arterial, a surdez de Beethoven teria sido decorrente do tifo, que teria contraído no verão de 1796.

 

Ludwig van Beethoven é considerado o melhor compositor de todos os tempos. E o fato de ele ter composto suas mais extraordinárias obras enquanto surdo o eleva a uma classificação de gênio super humano.

 

VEJA A BIOGRAFIA COMPLETA

  


Nota
1. Beethoven foi batizado no dia 17, porém sua data de nascimento é frequentemente declarada como 16 de dezembro de 1770. Sua família celebrava seu aniversário no dia 16, porém não existe qualquer evidência documental de que seu nascimento tenha de fato ocorrido nesse dia. [Fonte: Wikipédia]


IMAGEM: Karl Jäger / Library of Congress [Domínio público], Wikimedia Commons

 

07.May.1965

Keith Richards compõe “Satisfaction” dos Rolling Stones

Nas primeiras horas da madrugada de 7 de maio de 1965, em um quarto de hotel em Clearwater, na Flórida, um Keith Richards sonolento se levantou, pegou um gravador e eternizou uma das melodias mais famosas de todos os tempos: o riff de abertura de “(I Can’t Get No) Satisfaction”, dos Rolling Stones. Ele, então, voltou prontamente a dormir.

“Quando eu acordei, de manhã, a fita tinha acabado”, Keith lembra muitos anos depois. “Eu a coloquei novamente e aí estavam esses, talvez, 30 segundos de ‘Satisfaction’ em uma versão bem sonolenta. E, então, de repente a guitarra faz ‘CLANG’ e depois há tipo 45 minutos de ronco”. Não era muita coisa para trabalhar em cima, mas ele a tocou para Mick Jagger ainda naquele mesmo dia. “Ele só tinha uma pequena parte e depois já tinha o riff”, lembra Mick. “Soava como algo country em um violão – não parecia rock. Mas ele não gostava muito daquilo, achava que era uma brincadeira... Ele não achou que aquilo era um material para single, e todos nós dissemos ‘Você está louco’. O que, de fato, ele estava”.

Com a letra escrita por Jagger – Keith já tinha criado o verso “I can’t get no satisfaction” –, os Stones levaram a música ao estúdio Chess em Chicago apenas três dias depois, em 10 de maio de 1965, e a terminaram em 12 de maio após um voo para Los Angeles e uma sessão de 18 horas de gravação na RCA.  Foi lá que Keith plugou uma versão antiga de um pedal de fuzz da Gibson à sua guitarra e deu ao riff, que, inicialmente ele imaginara tocado por metais, sua sonoridade única e emblemática.

Embora, na época, os Stones estivessem na metade de sua terceira turnê norte-americana, seus únicos verdadeiros hits nos EUA eram “Time Is on My Side” e o lançamento mais recente “The Last Time”. “Satisfaction” foi a música que iria levá-los ao superestrelato. Quarenta anos depois, quando a revista Rolling Stone colocou “Satisfaction” no segundo lugar da sua lista de 500 maiores músicas de todos os tempos, lançou a seguinte perspectiva histórica sobre o riff criado por Keith Richards em 7 de maio de 1965: “Aquela faísca no meio da noite... foi a encruzilhada: o momento em que o trôpego e sonhador rock and roll se tornou o rock que conhecemos”.

Imagem: JStone/Shutterstock.com 

Bob Dylan

O cantor e compositor de folk rock Bob Dylan foi batizado como Robert Allen Zimmerman ao nascer, no dia 24 de maio de 1941, em Duluth, Minnesota, nos Estados Unidos. Enquanto cursava a faculdade, ele passou a tocar músicas folk e country e adotou o nome “Bob Dylan”. Em 1961, Dylan assinou seu primeiro contrato, e continua a fazer tours com seus recentes discos de estúdios, que incluem “Together Trough Life” (2009), “Tempest” (2012) e “Shadows in The Night” (2015).

 

Juventude

O cantor e compositor de folk rock Bob Dylan foi batizado como Robert Allen Zimmerman ao nascer, no dia 24 de maio de 1941, em Duluth, Minnesota, nos Estados Unidos. Influenciado por pioneiros do rock como Elvis Presley, Jerry Lee Lewis e Little Richard (quem costumava imitar no piano durante os bailes da escola), o jovem Dylan formou suas próprias bandas, incluindo The Golden Chords e também um grupo que liderou sob o pseudônimo Elston Gunn. Enquanto cursava a Universidade de Minnesota, em Minneapolis, ele começou a apresentar músicas country e folk em cafés locais, adotando o nome “Bob Dylan”, em homenagem ao falecido poeta galês Dylan Thomas.

 

Cantor folk

Você não pode ser sábio e apaixonado ao mesmo tempo.

In 1960, Dylan largou a faculdade e se mudou para Nova York, onde seu ídolo, o lendário cantor folk Woody Guthrie estava hospitalizado com uma rara doença hereditária no sistema nervoso. Dylan visitava Guthrie regularmente no hospital; ele também se tornou atração em clubes folk e cafés no Greenwich Village, conheceu vários músicos e começou a compor em ritmo assombroso, incluindo “Song to Woody”, um tributo ao seu herói. No outono de 1961, depois que uma de suas apresentações recebeu uma crítica entusiasmada no New York Times, Dylan assinou um contrato com a Columbia Records. Lançado no início de 1962, o disco de estreia trazia apenas duas canções, mas apresentou seu estilo vocal peculiar em um punhado de canções folk e blues.

O lançamento de The “Freewheelin' Bob Dylan”, em 1963, marcou a ascensão de Dylan como uma das vozes mais originais e poéticas da história da história da música popular americana. O álbum incluía duas das mais memoráveis canções folk dos anos 1960, “Blowin' in the Wind” (que mais tarde se tornaria um grande sucesso com o trio folk Peter, Paul e Mary) e "A Hard Rain's A-Gonna Fall". Seu próximo disco, “The Times They Are A-Changin'”, estabeleceu Dylan como o compositor definitivo de protesto dos anos 1960, uma reputação que se tornou ainda maior depois que ele se envolveu com um dos ícones do movimento, Joan Baez, em 1963.

Enquanto a relação de dois anos com Baez durou, a carreira de ambos se beneficiou. Dylan escreveu algumas das músicas mais conhecidas de Baez, e ela o apresentou a milhares de fãs durante seus shows. Em 1964, Dylan estava fazendo cem apresentações anuais, mas estava cansado de seu papel como “o” cantor folk de protesto. “Another Side of Bob Dylan”, gravado em 1964, trazia canções mais pessoais e introspectivas, com muito menos carga política que seus trabalhos anteriores.

Em 1965, Dylan escandalizou muitos dos seus fãs folk ao gravar o álbum “Bringing It All Back Home”, metade acústico e metade elétrico, junto a uma banda de nove integrantes. Em 25 de julho de 1965 ele foi notoriamente vaiado no Newport Music Festival, quando se apresentou com instrumentos elétricos pela primeira vez. Os discos que se seguiram, “Highway 61 Revisited” (1965) – que incluía a canção de rock seminal “Like a Rolling Stone” – e o álbum duplo “Blonde on Blonde” (1966), mostraram o lado mais inovador de Dylan. Com sua voz inconfundível e letras inesquecíveis, Dylan juntou os mundos da música e literatura como ninguém tinha feito antes.

No decorrer das próximas três décadas, Dylan continuou a se reinventar. Após um acidente de moto quase fatal em julho de 1966, Dylan ficou quase um ano isolado para se recuperar. Seus próximos dois álbuns,” John Wesley Harding” (1968) — que trazia "All Along the Watchtower," mais tarde gravada pelo gênio da guitarra Jimi Hendrix — e o country Nashville Skyline (1969) eram muito menos agressivos que seu trabalho anterior. Críticos detonaram seu disco duplo “Self-Portrait” (1970). “Tarantula”, a aguardada coleção de escritos de Dylan, publicada em 1971, também não foi bem recebida. Em 1973, Dylan apareceu em “Pat Garrett e Billy the Kid”, um faroeste dirigido por Sam Peckinpah. Ele também escreveu a trilha sonora do filme, que se tornou um sucesso e trazia a clássica "Knockin' on Heaven's Door."

 

Excursões e Religião

Em 1974, Dylan fez sua primeira grande excursão desde o acidente, embarcando em uma turnê nacional em casas lotadas, com sua banda de longa data, The Band. Um álbum gravado com a The Band, “Planet Waves”, foi o seu primeiro a alcançar o primeiro lugar nas paradas. Em seguida ela lançou o celebrado “Blood on The Tracks”, em 1975, e “Desire”(1976). Ambos também chegaram ao topo das paradas. “Desire” trazia “Hurricane”, que Dylan escreveu sobre o boxeador Rubin “Hurricane” Carter, que cumpria prisão perpétua após ter sido condenado por triplo homicídio em 1967, o que muitos consideravam ter sido uma sentença errônea.

Dylan foi uma das figuras proeminentes que ajudaram a popularizar o caso, levando a um novo julgamento em 1976, no qual Carter foi condenado novamente.

Após uma separação dolorosa de sua mulher, Sara Lowndes — a música "Sara", em “Desire”, foi uma tentativa infrutífera de reconquistar Lowndes — Dylan novamente se reinventou, declarando em 1979 que se converteu ao cristianismo. O evangélico “Slow Train Coming” foi um sucesso comercial e rendeu a Dylan seu primeiro Grammy. Entretanto a turnê e álbuns seguintes tiveram menos sucesso e logo depois as inclinações religiosas de Dylan se tornaram mais discretas em suas músicas.

 

Status de estrela do rock

Deixe-me esquecer do hoje até amanhã

No começo dos anos 1980, Dylan começou a excursionar em tempo integral, às vezes junto a lendas como Tom Petty and the Heartbreakers e o Grateful Dead. Discos notáveis do período incluíam “Infidels” (1983); a retrospectiva em cinco discos “Biograp”h (1985); “Knocked Out Loaded” (1986); e “Oh Mercy” (1989), que se tornou seu álbum mais bem recebido em anos.

Ele gravou dois discos com a super-banda The Traveling Wilburys, que também era composta por George Harrison, Roy Orbison, Tom Petty e Jeff Lynne. Em 1994, Dylan voltou à suas raízes folk, ganhando o Grammy na categoria Melhor Álbum de Folk Tradicional com o álbum “World Gone Wrong”.

Em 1989, quando Dylan foi introduzido no Rock & Roll Hall of Fame, Bruce Springsteen falou na cerimônia, declarando que “Bob libertou a mente do mesmo modo que Elvis libertou o corpo... Ele inventou um novo jeito que um cantor popular poderia soar, rompeu as limitações que um artista poderia atingir e mudou a face do rock and roll para sempre”. Em 1997, Dylan se tornou a primeira estrela do rock a receber o Kennedy Center Honors, considerado o prêmio máximo de excelência artística nos Estados Unidos.

Seu disco de 1997, “Time Out of Mind”, restabeleceu Dylan como um dos maiores artistas do rock, recebendo três Grammy. Ele continuou sua vigorosa turnê, incluindo uma apresentação memorável para o Papa João Paulo II, na qual tocou "Knockin' on Heaven's Door," e uma turnê em 1999 com Paul Simon. Em 2000, ele gravou o single “Things Have Changed”, para a trilha sonora do filme “Garotos Incríveis”, estrelado por Michael Douglas. A canção rendeu a Dylan um Globo de Ouro e um Oscar de canção original.

Dylan então deu um tempo da música para contar a história de sua vida. O cantor lançou “Crônicas: Volume Um”, o primeiro de uma série de três livros de memórias, no outono de 2004. Dylan deu sua primeira grande entrevista em 20 anos para um documentário lançado em 2005. “No Direction Home: Bob Dylan”, foi dirigido por Martin Scorsese.

 

Trabalho recente

Em 2006, Dylan lançou o álbum “Modern Times”. O disco atingiu o topo das paradas um mês após o seu lançamento. Uma mistura de blues, country e folk, o disco foi aplaudido pela crítica. Não demonstrando nenhum sinal de diminuir o ritmo, Dylan continuou a excursionar na primeira década do século 21, e lançou o disco de estúdio “Together Trough Life”, em abril de 2009.

Em 2010 ele lançou em sua Bootleg Series, o álbum “The Witmark Demos”, seguido de uma nova caixa intitulada “Bob Dylan: The Original Mono Recordings”. Além disso, ele expôs 40 de seus quadros na National Gallery, na Dinamarca. Em 2011 ele lançou um outro disco ao vivo, “Bob Dylan in Concert - Brandeis University 1963”, e em setembro de 2012 lançou um novo disco de estúdio, “Tempest”. No início de 2015, Dylan lançou “Shadows in The Night”, que trazia regravações de canções consagradas por Frank Sinatra.

 

Vida pessoal

Dylan e Lowndes, que se casaram em 1965 e se divorciaram em 1977, tiveram quatro filhos: Jesse, Anna, Samuel e Jakob. Dylan também adotou Maria, filha de um casamento anterior de Lowndes. Jakob Dylan se tornou o vocalista da banda de rock “The Wallflowers”.

 


Imagem:  Chris Hakkens [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons

Renato Russo

Renato Manfredini Júnior, mais conhecido como Renato Russo, foi vocalista, baixista, compositor e líder da banda Legião Urbana, que fez muito sucesso nos anos 80 e 90.

Pecado é provocar desejo e depois renunciar.
(Soul Parsifal)

Apesar de não existir mais por conta da morte de Renato Russo, o grupo segue vendendo músicas até os dias atuais e é considerado um dos mais importantes da história recente do rock brasileiro. Estima-se que a banda tenha vendido mais de 20 milhões de discos quanto estava em atividade e ainda segue com bons números de vendas até os dias atuais.

Renato Russo nasceu no dia 27 de março de 1960, no Rio de Janeiro, e morreu em 11 de outubro de 1996, aos 36 anos, no Rio de Janeiro, vítima de complicações da AIDS. Ele era filho filho do economista Renato Manfredini, funcionário do Banco do Brasil, e de Maria do Carmo, professora de inglês.

 

Nova York

Nas favelas, no senado, sujeira pra todo lado! Ninguém respeita a Constituição, mas todos acreditam no futuro da nação.
(Que País É Este?)

Ainda criança, quando tinha entre 7 e 10 anos, Renato morou com os pais em Nova York, onde aprendeu inglês. Depois, viveu em Brasília, cidade em que teve uma vida de classe média alta e que tanta influência exerceu na música de Renato. Quando tinha 15 anos, o músico passou por cirurgias e ficou na cama por quase seis meses por causa de uma doença óssea chamada epifisiólise. Nesta época, passou a ler e a escutar muita música

.

Legião Urbana

Agora, as pessoas acham que eu tenho a resposta, eu não sei qual é a pergunta.
(O Teatro dos Vampiros)

Na Capital Federal, Renato Russo fez parte da banda Aborto Elétrico, entre 1978 e 1982, influenciado pela banda punk inglesa Sex Pistols. Deixoua banda por conta de divergências internas e, durante um período, ficou conhecido como o “Trovador Solitário”, em que cantava e tocava um violão de 12 cordas sozinho. Depois, integrou a Legião Urbana, onde gravou nove discos e permaneceu até sua morte. A banda era composta por Marcelo Bonfá, Eduardo Paraná e Paulo Paulista. Um ano depois, Paraná e Paulista deixavam a banda e entrava Dado Villa-Lobos. O músico adotou o sobrenome Russo em homenagem ao inglês Bertrand Russell e aos franceses Jean-Jacques Rousseau e Henri Rousseau. Renato também realizou três trabalhos solo: The Stonewall Celebration Concert, Equilíbrio Distante e O Último Solo.

À frente da Legão Urbana, ele se consolidou como um dos mais influentes músicos do rock nacional e deixou clássicos como “Será”, “Geração Coca-Cola”, “Que País é Este?”, “Eduardo e Mônica”, “Faroeste Cabloco e Meninos e Meninas”. Para alguns fãs, a paixão e a veneração pela banda chegava a ter um tom messiânico, sendo que alguns a chamavam de Religião Urbana. Renato Russo, contudo, sempre rejeitou este status.

 

Preconceitos

Quem pensa por si só é livre e ser livre é coisa muito séria.

Em sua vida particular, Renato Russo sempre teve que lidar com o preconceito. Primeiramente, pelo fato de ser homossexual. Quando tinha 18 anos, ele assumiu a sua mãe que gostava de homens. Em 1990, ele teria contraído AIDS após um relacionamento em Nova York. Renato Russo nunca assumiu publicamente a doença. Ele também tinha problemas com uso de álcool e depressão. O músico ainda teve um filho, Giuliano, fruto de um relacionado rápido com uma fã. A mãe da criança morreu um ano depois do nascimento da criança, vítima de um acidente, e a guarda de Giuliano ficou com os pais de Renato. No cinema, a vida do músico foi retratada em dois filmes: Somos Tão Jovens e Faroeste Caboclo.

 


 

Foto: Divulgação [CC BY 3.0 br], via Wikimedia Commons

Elton John

Elton John é um cantor, pianista e compositor britânico, um dos músicos mais populares do Século XX. Além de vender mais de 250 milhões de discos, ele também fez sucesso na Broadway, escrevendo a trilha para o musical Billy Elliot (2008), ganhador do prêmio Tony.

Nascido em 25 de março de 1947, na Inglaterra, Elton John criou uma mistura única de rock e pop, que o transformou em um dos maiores ícones musicais do Século XX. Ele despertou para a música cedo e lançou seu primeiro álbum nos Estados Unidos em 1970, se tornando uma grande estrela internacional. "Crocodile Rock", "Philadelphia Freedom" e "Candle in the Wind" são alguns de seus maiores sucessos. Ele ingressou no Hall da Fama do Rock and Roll em 1994 e foi nomeado "sir" em 1998.

 

O começo

Elton John, cujo verdadeiro nome é Reginald Kenneth Dwight, nasceu em 25 de março de 1947 em Pinner, Middlesex, Inglaterra. Ele descobriu cedo sua paixão pela música. Quando tinha quatro anos, aprendeu a tocar piano sozinho. Ainda jovem, Elton ganhou uma bolsa de estudos na Royal Academy of Music, em Londres.

O músico tinha uma relação difícil com o pai, que servia na Força Aérea Real. Os pais de Elton se divorciaram quando ele era adolescente, e ele entrou em conflito com seu pai a respeito de seu futuro. Apaixonado pelos sons do início do rock and roll, ele queria seguir carreira na música pop. Contrariando o pai, ele abandonou a escola aos 17 anos para seguir seu sonho. Ele começou a tocar em uma banda chamada Bluesology e se batizou artisticamente juntando os nomes de dois membros do grupo.

 

Início de carreira

Em 1967, Elton começou a trabalhar como compositor profissional para uma gravadora. Lá, ele juntou forças com o letrista Bernie Taupin. Juntos, eles escreviam músicas para outros artistas. Elton se lançou como cantor em 1969, com o álbum Empty Sky, que trazia músicas dele e Taupin.

Apesar de o disco não ter feito muito barulho, o álbum seguinte, de 1970, batizado apenas com o nome do cantor, trouxe seu primeiro hit, "Your Song". Em seguida vieram mais sucessos, como "Crocodile Rock," "Bennie and the Jets" e "Island Girl”, que alcançaram o topo das paradas. Nos anos seguintes ele lançou uma série de discos que venderam milhões de cópias, como “Goodbye Yellow Brick Road” (1973) e “Rock of the Westies” (1975).

 

Presença de palco e sexualidade

Elton John se tornou um dos principais astros dos anos 1970, ficando famoso por seus shows. Ele se vestia com roupas e óculos fabulosos e exagerados durante suas apresentações. Em uma entrevista, o músico explicou que não era um símbolo sexual como David Bowie, Marc Bolan ou Freddie Mercury, por isso começou a se vestir de forma engraçada. "Se eu tinha que ficar preso no piano por duas horas, teria que dar um jeito de olharem para mim".

Em 1976, ele gravou o sucesso "Don't Go Breaking My Heart", com Kiki Dee. Logo depois, Elton resolveu dar um tempo da música para se concentrar no seu time de futebol na Inglaterra. Na mesma época ele anunciou que era bissexual (mais tarde ele se assumiria como gay). A atitude fez com que ele fosse ridicularizado por sua sexualidade. A controvérsia se dissipou e ele fez um retorno triunfal em 1979 com o disco “A Single Man”.

 

Prêmios e reconhecimento

Embora não tenha produzido tantos sucessos nos anos 1980, Elton ainda se dava bem nas paradas. Em 1990, depois de anos lutando contra o abuso de drogas, ele passou por um tratamento de reabilitação. Depois de alcançar a sobriedade, o artista começou a se dedicar à caridade. A partir de 1992, por meio de uma fundação que leva seu nome, ele passou a apoiar projetos dedicados ao HIV/Aids ao redor do mundo. Mais de 225 milhões de dólares foram investidos pela fundação.

Junto com o letrista Tim Rice, Elton embarcou em uma série de projetos. Em 1994 eles compuseram a trilha da animação O Rei Leão. Uma das canções do desenho, "Can You Feel The Love Tonight" rendeu a Elton um Oscar na categoria Canção Original. A dupla também conquistou o Tony pela trilha do musical Aida, em 2000.

Elton também recebeu várias homenagens. Em 1994 ele ingressou no Hall da Fama do Rock and Roll. No ano seguinte, a Rainha Elizabeth II o nomeou Comandante da Ordem do Império Britânico (alguns anos depois ele se tornou cavaleiro, virando oficialmente "Sir Elton John").

Enquanto aproveitava o reconhecimento, Elton logo foi abalado pelo luto. No verão de 1997, ele perdeu dois bons amigos, o estilista Gianni Versace e a Princesa Diana. Como tributo a ela, Elton recriou um de seus clássicos, "Candle in the Wind". A música fez um grande sucesso, com mais de 30 milhões de cópias vendidas. O lucro foi destinado a um fundo de caridade criado em honra de Diana.

 

Projetos recentes

Elton continuou a gravar músicas novas durante sua extensa carreira. Em 2006, lançou “The Captain & the Kid”, sequência de seu disco autobiográfico “Captain Fantastic and the Brown Dirt Cowboy” (1975). Ele também se juntou a Leon Russel para o álbum “The Union”, em 2010. Em 2013, foi lançado “The Diving Board”, seu trigésimo disco de estúdio.

Elton foi fundamental para a montagem do musical Billy Elliot. Adaptado do filme de mesmo nome, o espetáculo, lançado em 2008, foi um sucesso de crítica e público. O músico também foi compositor e produtor da animação Gnomeu & Julieta.

 

Vida pessoal

Elton casou com seu parceiro de longa data David Furnish em uma cerimônia civil em 21 de dezembro de 2005. Com a ajuda de uma mãe de aluguel, o casal adotou o primeiro filho em 2010. O segundo filho foi adotado em 2013. Antes disso, Elton foi casado com Renate Blauel, entre 1984 e 1988. Além de sua própria fundação, Elton apoia outras organizações de caridade e arte, como o Globe Theatre e a Royal Academy of Music.

 


 

Imagem: Eva Rinaldi [Sob licença Creative Commons], via Wikimedia Commons

25.Mar.1947

Nasce o ícone da música Elton John

O cantor, compositor e pianista Reginald Kenneth Wight, mais conhecido como Elton John, considerado um dos ícones da música pop, nasceu no dia 25 de março de 1947, em Middlesex, Inglaterra. Músico conhecido mundialmente, ele está em 38º lugar na lista dos 100 melhores cantores de todos os tempos, de acordo com a revista Rolling Stone. Seu nome também consta na lista dos 100 maiores artistas da história, segundo a revista.

A música cantada pela Madonna é o pior tema dos filmes de James Bond de todos os tempos.

Desde a infância, Elton John se destacou como pianista. Ele foi premiado com uma bolsa de estudos para a Royal Academy of Music, um dos conservatórios de música de maior prestígio no mundo, quando tinha apenas 11 anos de idade.

Ele começou a usar o nome artístico de Elton John em meados da década de 1960 para homenagear o cantor Long John Baldry e saxofonista Elton Dean. No final da década, lançou seu primeiro álbum "Empty Sky", em colaboração com o compositor e poeta Bernie Taupin.

No último terço da minha vida, quero fazer os álbuns que tiver vontade.

O músico alcançou o sucesso com seu segundo álbum, "Elton John". Durante os anos 70, ganhou fama mundial e, em 1973, escreveu "Goodbye Yellow Brick Road", considerado o seu melhor álbum. No ano seguinte, colaborou com o músico John Lennon na composição da canção "Whatever Gets You thru the Night". Artista multifacetado, ele já lançou mais de 25 álbuns de estúdio, além de seu trabalho em trilhas sonoras, colaborações e álbuns ao vivo.

 

Clique aqui e saiba mais sobre a história de Elton John


Imagem: Ernst Vikne [Sob licença Creative Commons], via Wikimedia Commons

Ludwig van Beethoven

O compositor Ludwig van Beethoven foi batizado em 17 de dezembro de 1770, em Bonn, Alemanha. Ele foi inovador, ampliando o alcance das sonatas, sinfonias, concertos e quartetos, e combinando vocais com instrumentos de uma nova forma. Sua vida pessoal foi marcada pela luta contra a surdez, e alguns dos seus trabalhos mais importantes foram compostos durante os últimos dez anos de sua vida, quando ele estava praticamente incapaz de ouvir.

 

Juventude

O compositor e pianista Ludwig Van Beethoven, considerado o melhor compositor de todos os tempos, nasceu por volta de 16 de dezembro de 1770, na cidade de Bonn. Apesar da incerteza da data de seu nascimento, ele foi batizado em 17 de dezembro. Beethoven tinha dois irmãos menores, Caspar e Johann. Sua mãe, Maria Magdalena van Beethoven, era uma mulher extremamente moralista, e seu pai, Johann van Beethoven, era um músico medíocre, mais conhecido por seu alcoolismo que por suas habilidades artísticas. Entretanto, seu avô, Kapellmeister Ludwig van Beethoven, era o mais próspero e eminente músico da cidade, e o orgulho do joven Ludwig.

Muito cedo, seu pai começou a lhe ensinar música, com tanto rigor e brutalidade, que afetaria Beethoven pelo resto de sua vida. O pequeno Ludwig era açoitado, trancafiado e privado do sono para praticar por horas extras. E apesar ou mesmo por causa de tanto rigor, Beethoven se mostrou um músico extremamente talentoso e criativo desde a tenra idade. Seu pai queria que o filho fosse reconhecido como Mozart, e organizou seu primeiro recital em 26 de março de 1778. Apesar de ter tocado impressionantemente, o recital não recebeu muita atenção.

Aos 10 anos, Beethoven saiu da escola para estudar música em tempo integral com Christian Gottlob Neefe, o organista da Corte. Ele foi apresentado a Bach, e aos 12 anos, publicou sua primeira composição, com variações no piano sobre uma composição de Dressler. Com o alcoolismo do seu pai cada vez pior e a impossibilidade de sustentar a família, Beethoven foi contratado para tocar na Corte.

Em 1787, a Corte enviou Beethoven para Viena, a capital da cultura e da música da Europa, onde ele esperava estudar com Mozart. Mas não há evidência nenhuma de que os dois teriam se conhecido. E após algumas semanas em Viena, Beethoven soube que sua mãe ficou doente e voltou para Bonn.

Quando o Santo Imperador Romano Joseph II morreu em 1790, Beethoven, aos 19 anos, recebeu a honra de compor um memorial musical. Porém, por razões inexatas, ele nunca chegou a tocá-lo. Entretanto, mais de um século depois, Johannes Brahms descobriu a “Cantata sobre a Morte do Imperador Joseph II”, considerada sua primeira grande obra.

 

Compondo para o público

Em 1792, com forças revolucionárias francesas ameaçando invadir Bonn, Beethoven foi novamente para Viena, estudando com Haydn - Mozart havia falecido um ano antes. Beethoven foi apadrinhado pela aristocracia de Viena, fazendo com que cortasse laços com sua cidade natal. Sua estreia para o público de Viena foi em 29 de março de 1795 e, em 1800, ele estreou sua Sinfonia nº 1 em Dó Maior no Teatro Real Imperial. À medida que o novo século se passava, ele foi compondo peça após peça, alcançando a maturidade musical.

Em 1804, apenas algumas semanas após Napoleão ter se proclamado Imperador, Beethoven escreveu a Sinfonia n° 3, em homenagem a ele, que foi chamada mais tarde de “Sinfonia Eroica”, por conta de sua desilusão com o imperador. Essa obra, no entanto, foi considerada na época a melhor composição musical já escrita.

 

A perda da audição

Ao mesmo tempo em que compunha obras monumentais, Beethoven lutava com um fato irrefutável: ele estava ficando surdo. Beethoven sofreu muito com essa condição, mas, apesar disso, continuava compondo furiosamente. De 1803 a 1812, conhecido como seu período heroico, ele compôs uma ópera, seis sinfonias, quatro consertos solo, cinco quartetos de cordas, seis sonatas de corda, sete sonatas de piano, cinco conjuntos de variações para piano, quatro aberturas, quatro trios, dois sextetos e 72 canções. As obras mais famosas desta época são as sinfonias números 3 a 8, Sonata ao Luar, a sonata Kreutzer para violino e Fidelio, sua única ópera.

Apesar de sua bela música, Beethoven era uma pessoa só e triste na sua ida adulta. Com um temperamento difícil e beirando à paranoia, Beethoven brigou com todos à sua volta, inclusive irmãos e patrões. Em uma ocasião ele tentou jogar uma cadeira na cabeça do Príncipe Lichnowsky, um dos seus amigos mais próximos. Em outro momento, saiu gritando na frente do palácio do príncipe: "Lobkowitz é um burro!". Por essas e outras razões, Beethoven nunca casou, mas foi apaixonado por uma mulher casada chamada Antonie Brentano.

 

Obras aclamadas e morte

De alguma forma, apesar de sua vida pessoal tumultuosa e sua complete surdez, Beethoven compôs suas melhores músicas – talvez as melhores compostas em todo o mundo – perto de sua morte. Essas obras incluem Missa Solemnis e o Quarteto n° 14. Sua nona e final sinfonia, finalizada em 1824, continua sendo sua obra mais ilustre.

Beethoven morreu em 26 de março de 1827, aos 56 anos e a autópsia concluiu que a causa da morte foi uma cirrose. O exame também indicou que, ao contrário de uma doença arterial, a surdez de Beethoven teria sido decorrente do tifo, que teria contraído no verão de 1796. Ainda mais recentemente, cientistas analisaram restos do crânio de Beethoven e acharam uma quantidade de chumbo que pode ter envenenado o músico. Essa teoria, no entanto, é altamente desacreditada.

Ludwig van Beethoven é considerado o melhor compositor de todos os tempos. E o fato de ele ter composto suas mais extraordinárias obras enquanto surdo o eleva a uma classificação de gênio super humano.

 


Imagem: Joseph Karl Stieler [Domínio Público], via Wikimedia Commons

Lou Reed

Lou Reed foi um cantor guitarrista e compositor norte-americano. Considerado um dos melhores guitarristas da sua geração pela revista Rolling Stone, ele esteve à frente da influente banda The Velvet Underground e, a partir de 1972, retomou a sua carreira solo. Lewis Allan Reed, mundialmente conhecido como Lou Reed, nasceu no dia 2 de março de 1942, em Brooklyn, Nova York, e morreu no dia 27 de outubro de 2013, em Long Island, Nova York.

 

The Velvet Underground

Não senti a menor peninha de Jim Morrison quando ele morreu.

Ele foi um dos vocais do The Velvet Underground, provavelmente a mais influente banda norte-americana dos anos 60 e início dos anos 70. O grupo teve um impacto sobre rock and roll moderno, que ficou bem acima da proporção em relação à popularidade que alcançou ao longo de sua curta existência. Essa época áurea, que incluiu quatro álbuns de estúdio, citados como maiores influências por várias bandas dos tempos atuais, chegou ao fim em agosto de 1970, quando o vocalista e principal compositor Lou Reed apresentou seu último show com o Velvet Underground, na famoso reduto de rock Max's Kansas, em Manhattan.

No coração da formação clássica do Velvet Underground estava Lou Reed, de Long Island, e John Cale, nascido no País de Gales, que começou a colaborar com o grupo em Nova York, em 1964. O grupo ficou fora do "mainstream" até que foram adotados pelo artista pop Andy Warhol, que insistiu na entrada de sua musa, Nico, na banda. O grupo, contudo, não a aceitou 100% e o álbum de estreia recebeu o nome de The Velvet Underground & Nico (1967). Depois disso, ela deixou o grupo.

 

Walk on the Wild Side

Os críticos não são pessoas, até eles mesmos sabem que não são gente.

Este primeiro álbum rendeu várias canções conhecidas, como "Heroin", "All Tomorrow Parties" e "Venus in Furs". Ao final dos anos 60, a banda passou por várias mudanças em sua formação, incluindo a saída de Cale, em 1968. O Velvet Underground lançou ainda mais três álbuns de estúdio - White Light/White Heat (1968), The Velvet Underground (1969) e Loaded (1970). Há ainda o álbum Squeeze (1973), lançado após a saída de Lou Reed.

Reed deu início à carreira solo em 1972 e, no ano seguinte, obteve sucesso com "Walk on the Wild Side ". Depois disso, no entanto, sua carreira sofreu altos e baixos e ele se manteve afastado dos sucessos comerciais durante boa parte do tempo.

Em 2013, precisou passar por um transplante de fígado e voltou a ser internado em julho por conta de uma desidratação severa, que o levou à morte no dia 27 de outubro do mesmo ano.

07.Jul.1990

Morre o cantor e compositor Cazuza

No dia 7 de julho de 1990 morria, no Rio de Janeiro, Agenor de Miranda Araújo Neto, mais conhecido como Cazuza, cantor, compositor e ex-líder da banda Barão Vermelho. Em nove anos de carreira, Cazuza deixou 126 canções gravadas, 78 inéditas e 34 para outros intérpretes. Polêmico, ele também chamava atenção por sua vida boêmia e pela sua declarada bissexualidade. Em 1989, admitiu ter contraído o vírus da Aids e morreu por conta dessa doença. Dentre as suas músicas mais famosas com Barão Vermelho estão "Todo Amor que Houver Nessa Vida", "Pro Dia Nascer Feliz", "Maior Abandonado", "Bete Balanço" e "Bilhetinho Azul". Já em sua carreira solo, destaque para "Exagerado", "Codinome Beija-Flor", "Ideologia", "Brasil", "Faz Parte do meu Show", "O Tempo não Para" e "O Nosso Amor a Gente Inventa". Nascido no dia 4 de abril de 1958, no Rio de Janeiro, Cazuza era filho único e sempre teve contato com o mundo da música por conta do trabalho do seu pai na indústria fonográfica. Com isso, ele cresceu em meio a figuras como Caetano Veloso, Elis Regina, Gal Costa, Gilberto Gil e João Gilberto. A mãe, Lucinha Araújo também cantava e gravou três discos. Cazuza começou a cantar em público no começo da década de 80 e, junto à banda Barão Vermelho, conquistou grande sucesso. Em janeiro de 1985, ele e a banda se apresentaram na primeira edição do Rock in Rio. Neste mesmo ano, deixou o Barão Vermelho para seguir a carreira solo. Nesta época, suspeita-se que Cazuza já tivesse adquirido o vírus da Aids. A partir de 1987, contraiu pneumonia, doença em decorrência da Aids. Mais tarde, viajou aos EUA para fazer um tratamento com AZT. Em 1988, lançou o álbum Ideologia e, no mesmo ano, gravou “O Tempo Não Para”. Seu último álbum em vida foi Burguesia (1989). Em fevereiro de 1989, Cazuza declarou publicamente ser soropositivo e apareceu de cadeiras de rodas para receber um prêmio pelo álbum Ideologia. Bastante debilitado, ele morreu aos 32 anos por conta de um choque séptico causado pela AIDS.

 

 

Imagem: CAFé Simone Pedaços (original version), remix pelo uploader (cropped from 1988_CS01) [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons

 

Clique aqui e saiba mais sobre a história de Cazuza

06.Jul.1936

Nasce a cantora Maysa

No dia 6 de julho de 1936 nascia, no Rio de Janeiro, a cantora, compositora e atriz Maysa. Conhecida pelo forte temperamento, ela também enfrentava problemas com a bebida. Quando tinha apenas 12 anos, Maysa o samba-canção Adeus. Aos 18, casou-se com o milionário paulista André Matarazzo, quase 20 anos mais velho. Em 1956, nasceu o seu único filho, Jayme Monjardim Matarazzo, que é diretor de cinema e de telenovelas. Durante os dois anos de seu casamento, Maysa cantava apenas em festas de família, já que seu marido era contra sua carreira. Contudo, ela conheceu o produtor Roberto Corte Real, que a levou para gravar um disco. Nesse LP foi lançada a música “Meu mundo caiu”, um dos seus maiores sucessos como compositora. Separada, Maysa teve vários relacionamentos amorosos depois, entre eles, o compositor Ronaldo Bôscoli, o empresário espanhol Miguel Azanza e o maestro Julio Medaglia. Quando esteve com Azanza, em 1963, morou na Espanha com o filho e só voltou de vez ao Brasil em 1969. A cantora também teve uma intensa carreira internacional, com apresentações em diversos países da América do Sul, Estados Unidos, Europa e Japão. Ela também participou do movimento Bossa Nova. Na década de 70, deu início à carreira de atriz, com participações em O Cafona, Bel-Ami e no espetáculo Woyzeck, de George Büchner. Maysa morreu aos 40 anos, no dia 22 de janeiro de 1977, quando dirigia o seu carro na ponte Rio-Niterói. Familiares dizem que ela não dormia fazia dias por conta de uso de remédios para emagrecer e que isso teria causado o choque fatal contra a mureta central da ponte.