Todos os horários

16 Celebridades que se parecem (muito!) com pessoas do passado

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte indicou que as pessoas estão com os rostos cada vez mais parecidos uns com os outros. Após examinarem centenas de crânios espanhóis e portugueses de pessoas nascidas nos últimos quatro séculos, concluiu-se que uma das causas seria a alimentação que está cada vez melhor e mais parecida ao redor do planeta.

 

[Você pode ler a pesquisa completa aqui: Implications of dimorphism, population variation, and secular change in estimating population affinity in the Iberian Peninsula.]

 

Não se sabe o que Mark Zuckerberg e o Rei Felipe IV da Espanha comeram... o fato é que nasceram com séculos de diferença e são  "a cara de um e o focinho do outro". Confira abaixo uma lista de celebridades contemporâneas que são bem parecidas com pessoas do passado:

 

 

Cientologia: os segredos obscuros da religião dos famosos

O documentário “Going Clear: Scientology and the Prison of Belief”, do diretor norte-americano Alex Gibney, revela segredos macabros sobre a controversa religião adotada por famosos.

A Cientologia é um sistema de crenças criado nos EUA na década de 50. Após duras batalhas judiciais, a Igreja da Cientologia conseguiu receber o status de religião em vários países do mundo, como os EUA, Reino Unido, Itália e Espanha, enquanto em outros ela é considerada um culto ou até mesmo uma empresa.

Seus seguidores, entre os quais estão celebridades como Tom Cruise e John Travolta, acreditam que a raça humana foi trazida à Terra pelo ditador extraterrestre Xenu e que é necessário lembrar e curar os traumas de sucessivas encarnações para chegar à paz interior e, finalmente, à paz mundial.

No documentário, ex-integrantes da igreja contam como foram maltratados, humilhados e ameaçados durante sua passagem pela instituição. Entre as acusações, está a de usar a violência física e psicológica para evitar que os membros abandonem o culto. Além disso, é revelada uma rede complexa de corrupção, pela qual a Cientologia pôde ser considerada uma religião (e, consequentemente, não pagar impostos) nos EUA.

A crença exige que seus adeptos se submetam a uma série de sessões terapêuticas pagas. Quem investe mais dinheiro, alcança os graus elevados de “sabedoria espiritual” mais rápido. A organização movimenta centenas de milhões de dólares em todo o mundo.

Veja o trailer do documentário (em inglês)



Fonte: Cultura Colectiva

Imagem: Michael Gordon / Shutterstock.com

Whitney Houston

Nascida em 9 de agosto de 1963, em Newark, Nova Jersey, Whitney Houston lançou seu disco de estreia aos 22 anos e emplacou 3 singles número 1. “Whitney” (1987) emplacou mais quatro e lhe valeu seu primeiro Grammy. Depois, vieram “Tonight” (1990) e “My Love Is Your Love” (1998), assim como a trilha sonora para “O Guarda-Costas” (1992) e “Falando de Amor” (1995). Após seu casamento com o cantor Bobby Brown, em 1992, e o consequente uso de drogas, a carreira de Whitney sofreu uma queda. Ela fez um retorno com “I Look to You”, de 2009, e também coestrelou o filme “Sparkle – O Brilho de uma Estrela” (2012). Whitney morreu em um afogamento acidental em um hotel em Beverly Hills, Los Angeles, em 11 de fevereiro de 2012.

Início de carreira

Nascida em 9 de agosto de 1963, em Newark, Nova Jersey, Whitney Houston parecia destinada a se tornar uma cantora. Sua mãe, Cissy Houston, sua prima Dionne Warwick e sua madrinha Aretha Franklin foram figuras lendárias da música gospel, soul e pop americana. Cissy Houston era regente do coro da New Hope Baptist Church, e foi lá que a jovem Whitney começou a cantar. Com 15 anos, já estava se apresentando com frequência com sua mãe e tentando conseguir um contrato com uma gravadora. Na mesma época, ela teve uma breve carreira como modelo, devido à sua incrível beleza natural. Com 19 anos, Whitney foi descoberta em uma boate pelo produtor e executivo da Arista Records, Clive David, que a contratou de imediato e guiou sua carreira. Em 1983, ela teve sua primeira aparição na TV, no programa The Merv Griffin, cantando “Home”, do musical “O Mágico Inesquecível”.

 

Em 1985, Whitney lançou seu disco de estreia, “Whitney Houston”, e logo se tornou uma sensação do mundo pop. No ano seguinte, seus singles de sucesso “Saving All My Love for You” e “How Will I Know” ajudaram o álbum a chegar ao topo das paradas, onde ficou por 14 semanas não consecutivas. Whitney ganhou um Grammy em 1986 por “Saving All My Love for You” – prêmio que foi dado por sua prima Dionne Warwick. Depois do sucesso monumental do disco de estreia, veio “Whitney”, de 1987, que também foi platina várias vezes e faturou um Grammy pelo single “I Wanna Dance with Somebody (Who Loves Me)”, sendo seguido por uma turnê mundial de sucesso. Nessa época, Whitney se apresentou no show especial para o aniversário de Nelson Mandela e fundou a Whitney Houston Foundation for Children, uma organização sem fins lucrativos para financiar projetos voltados a crianças carentes em todo o mundo.

Casamento e problemas com drogas

Em 1992, Whitney Houston se encontrava no topo do mundo, mas estava prestes a enfrentar muitos problemas. Naquele ano, ela se casou com o cantor de R&B Bobby Brown, ex-integrante do New Edition, após três anos de noivado. No início, o casamento transcorreu bem, mas as coisas começaram a azedar com o decorrer da década, e tanto Bobby quanto Whitney passaram a enfrentar problemas com o abuso de drogas e um comportamento cada vez mais errático – Whitney, posteriormente, falaria de chantagens emocionais e violência. Apesar desses problemas pessoais crescentes, Whitney continuou a progredir com sua carreira, obtendo grande sucesso no cinema em 1992, ao contracenar com Kevin Costner no popular “O Guarda-Costas”. Com esse projeto, Whitney lançou uma tendência para os seus filmes que se seguiriam: para cada um, ela lançou músicas de sucesso, proporcionando ótimas vendas para as trilhas sonoras. Seu single de estouro de “O Guarda-Costas”, um cover de “I Will Always Love You” (1974), de Dolly Parton, provou ser o maior hit de Whitney de todos os tempos, ficando por um tempo recorde de 14 semanas nas paradas norte-americanas. A trilha do disco acabou dando a Whitney três Grammys. Naquela mesma década, Whitney também estrelou “Falando de Amor” e “Um Anjo em Minha Vida”, também acompanhados por trilhas de sucesso.

Em 1998, Whitney lançou “My Love Is Your Love”, seu primeiro disco de estúdio que não era trilha de um filme em muitos anos, e este lhe valeu outro Grammy pelo single “It’s Not Right But It’s Okay”. O álbum não teve o mesmo desempenho dos lançamentos anteriores, mas a sua parceria com Mariah Carey na animação “O Príncipe do Egito” produziu o single de sucesso “When You Believe”, que foi vencedor de um Oscar. No final dos anos 90 e início dos 2000, o casamento cada vez mais conturbado de Whitney e problemas com drogas e saúde ameaçaram sua carreira. Vários cancelamentos de shows e uma famosa entrevista para a TV com Diane Sawyer em 2002, na qual Whitney apareceu muito magra e com a saúde frágil, levaram muitas pessoas a especularem se ela não estava à beira de um colapso.

Em 2004, Bobby Brown começou a filmar um reality show para o canal Bravo, chamado “Being Bobby Brown”. Nele, Whitney acabou recebendo um tempo de transmissão considerável na TV. O programa foi ao ar durante os piores anos do casamento já em ruínas: uso de drogas, estilo de vida excessivo e mau comportamento foram flagrados em vídeo e a reputação de Whitney afundou mais ainda. Ela tentou ignorar a controvérsia, seguindo adiante com sua música e lançando “Just Whitney...” para enfrentar seus detratores, mas o disco não alcançou o sucesso de seus trabalhos anteriores. Apesar de seu relacionamento conturbado, Whitney continuava a ser admirada como cantora e foi considerada a artista feminina com mais prêmios em toda a história pelo Guinness World Records, em 2006.

Divórcio

Nos anos seguintes, Whitney tentou consertar seu casamento e parar com o vício em drogas, mas, depois de várias recaídas, sua mãe Cissy foi obrigada a intervir. Em seguida, ela fez uma pausa em sua carreira e se divorciou de Bobby Brown, em 2007, ficando com a guarda da única filha do casal, Bobbi Kristina Houston Brown. Depois de quase uma década enfrentando dificuldades em sua vida pessoal, Whitney parecia estar se recompondo. Ela lançou o disco “I Look to You”, em 2009, que teve uma boa recepção e chegou ao topo das paradas. Seus shows, no entanto, receberam críticas mistas, com algumas pessoas reclamando sobre a qualidade de sua voz.

No início de 2012, houve boatos que Whitney estaria tendo problemas financeiros, mas a cantora negou. Na verdade, ela parecia pronta para uma nova ascensão em sua carreira. Whitney atuou em um novo musical no cinema, “Sparkle – O Brilho de uma Estrela”, com Jordin Sparks, um remake de um filme de 1976 sobre um grupo só de mulheres, parecido com o The Supremes. Ela também teria sido procurada para participar do júri de “The X Factor”, mas, infelizmente, não viveu para tal.

Morte

Whitney Houston morreu aos 48 anos, em 11 de fevereiro de 2012, em Los Angeles, no Beverly Hilton Hotel, onde acontecia uma festa pré-Grammy realizada por Clive Davis. A causa oficial de sua morte foi um afogamento acidental, mas também foram relatados problemas no coração e a presença de cocaína em seu organismo. Com seu falecimento, o mundo da música perdeu uma de suas estrelas mais lendárias.

Whitney deixou sua filha, Bobbi Kristina, que após sofrer um trauma muito grande com a morte da mãe e vários outros problemas, incluindo conflitos com a avó e problemas com drogas, foi encontrada em uma banheira de sua casa, em Roswell, Geórgia, desacordada. Bobbi Kristina faleceu em julho deste ano, após meses em coma induzido. 

Crédito da foto: Helga Esteb/Shutterstock