Todos os horários

Sinal verde para AIDA: a missão espacial que desviará asteroides perigosos

A NASA e a Agência Espacial Europeia uniram forças em uma missão de grande importância para a história espacial: desviar asteroides que ameaçam a Terra.

O projeto, chamado AIDA (Avaliação de Impacto e Desvio de Asteroide), tem como objetivo medir os efeitos do impacto de um asteroide, de modo a avaliar a capacidade de desvio de sua trajetória, evitando uma possível e perigosa colisão com o o nosso planeta.

O alvo-teste escolhido para a primeira missão será um par de asteroides chamado Didymos, composto por uma rocha principal de 800 metros de diâmetro e outra de 150 metros, que orbita ao seu redor. Eles se dirigem às proximidades da Terra a toda velocidade, e a expectativa é que, em 2022, estejam a apenas 11 milhões de quilômetros do nosso planeta.

A estratégia da AIDA prevê o lançamento da sonda AIM (sigla para Missão de Impacto de Asteroide) em outubro de 2020 pela ESA. Ela chegará aos Didymos em maio de 2022. Enquanto isso, em dezembro de 2020, a NASA lançará a sonda DART (sigla para Teste de Redirecionamento de Asteroide Duplo), que alcançará os Didymos em outubro de 2022. A missão será a primeira demonstração real da técnica do impacto cinético para mudar a trajetória de um asteróide no espaço.

Desde 2011, as duas agências têm alinhado todos os detalhes, já que os Didymos se aproximam e não há tempo a perder.


Fontes: NASAMontevideo Portal

Imagem: blackdogvfx/Shutterstock.com

Chefe de campanha de Hillary Clinton adverte sobre extinção em massa da humanidade

O Wikileaks revelou que um diretor da campanha da candidata à presidência dos EUA, Hillary Clinton, recebeu um email em que um suposto membro de uma organização secreta canadense, Ken Coffin, afirma que a humanidade poderá ser extinta daqui a 20 anos, com o deslocamento do Polo Norte magnético.

“Acreditamos que poderíamos fazer um mundo melhor, mais feliz e mais pacífico, mas isso não será possível se estamos à beira de uma extinção em massa. Precisamos de ajuda, porque o Polo Norte magnético está se deslocando em direção ao Equador”, adverte o email enviado para John Podesta.

Embora o email seja bastante preocupante, ele também fala de supostos acordos secretos entre o governo dos EUA e uma raça alienígena que seria a única capaz de salvar a humanidade, o que fez com que essa mensagem perdesse sua credibilidade e fosse vista por muitos como uma brincadeira de mau gosto.




Fonte: WikiLeaks

Imagem: isoga/Shutterstock.com

Alinhamento bíblico entre previsão da NASA e o Apocalipse?

Estudiosos da Bíblia concordam que as previsões da agência espacial americana se alinham com as profecias descritas no livro do Apocalipse.

Todos os dias, as imediações da Terra são atravessadas por centenas de asteroides. Esperar que algum deles acerte nosso planeta é, na verdade, uma questão estatística de tempo, segundo relatórios da NASA.

Em 1999, foi descoberto um asteroide chamado Bennu. Seus 500 metros de diâmetro orbitam ao redor do Sol a 100 mil km/h. Os cálculos astronômicos indicam possibilidades de impacto com a Terra por volta de 2135.

De acordo com estudiosos da Bíblia, essa previsão astronômica coincide com a profecia descrita no livro do Apocalipse: “O segundo anjo tocou a trombeta, e como uma grande montanha ardendo em chamas foi atirada ao mar, e a terceira parte do mar se transformou em sangue. E morreu a terceira parte dos seres vivos que estavam no mar, e a terceira parte dos navios foi destruída”, Apocalipse 8: 8-9.

Sonda Osiris-Rex

No mês de setmbro, a NASA lançou uma missão rumo ao asteroide Bennu. De acordo com especialistas da agência espacial norte-americana, a sonda Osiris-Rex fará pesquisas e várias "coisas interessantes", porém, definitivamente, ela não estará equipada para evitar a destruição da Terra ou desviar a rota da rocha espacial já que o risco de colisão é considerado pequeno: 1 para 2.500. Cientistas também são enfáticos ao afirmar que a rocha espacial não é grande o suficiente para representar uma ameaça existencial ao planeta.

A sonda deve coletar e analisar a poeira do asteroide, que já se sabe é rica em carbono. A NASA deverá estudar mais sobre a distribuição de seus minerais e se há matéria orgânica em Bennu.

Veja mais sobre a missão da NASA e o asteroide Bennu no vídeo abaixo (áudio e legendas em inglês).


Fontes: Christian PostG1

Imagem: sdecoret/Shutterstock.com

Cientistas alertam: Terra está perdendo oxigênio

Um estudo publicado recentemente pela revista Science revela que o nível de oxigênio da Terra está caindo.

A queda registrada foi de 0,7% nos últimos 800 mil anos. Para chegar a esses resultados, um grupo de geofísicos estudou o ar preso nas geleiras da Antártida e da Groelândia.

Os pesquisadores trazem duas hipóteses para explicar esse fenômeno. É possível que o aumento verificável no índice de erosão global, causada em grande parte pelo crescimento de geleiras, aumente a quantidade de pirita e carbono, o que poderá reagir com o oxigênio do planeta. Por outro lado, o resfriamento dos mares pode estar favorecendo a proliferação de micro-organismos consumidores de oxigênio.

Os níveis de oxigênio são fatores determinantes na evolução vital de um planeta. No entanto, os cientistas afirmam que a mudança verificada não teria por que influir em curto prazo no desenvolvimento vital da Terra.

Daniel Stolper, um dos responsáveis pela pesquisa e membro da Universidade de Princeton, nos EUA, explica que uma queda dessa magnitude no nível de oxigênio é normal para os ecossistemas, uma vez que somente ao subirmos ao trigésimo andar de um prédio, a 100 metros acima do nível do mar, já é possível constatar o mesmo decréscimo de oxigênio no ar.


Fonte: RT

Imagem: The7Dew/Shutterstock.com

Alerta nos céus: laboratório espacial chinês se chocará com a Terra

A comunidade científica internacional está em alerta, tentando determinar a trajetória do laboratório espacial chinês Tiangong-1.

Conforme sua estimativa, ele está fora de controle e poderá colidir contra a Terra em 2017.

O astrofísico da Universidade de Harvard, Jonathan McDowell, afirmou em uma entrevista concedida ao jornal britânico The Guardian: “a verdade é que não é possível controlar esses objetos. Mesmo uns dois dias antes de entrar na atmosfera, é provável que não se saiba quando ele vai despencar, o que se traduz em ‘não sabemos onde [vai cair]’”.

Embora McDowell acredite na hipótese do governo chinês de que grande parte da estação será destruída ao cruzar a atmosfera, ele adverte que partes consideráveis poderão sobreviver ao impacto e se chocar com o solo terrestre, causando danos incalculáveis.

O laboratório Tiangong-1 foi colocado em órbita em 2011 e esteve em funcionamento até maço deste ano. Ele possui 10.4 metros de altura, 3.3 de diâmetro e pesa 8.5 toneladas.

As autoridades chinesas estão monitorando o módulo e estão otimistas com relação à sua colisão. Em uma entrevista coletiva, Wu Ping, o subdiretor do escritório de Engenharia Espacial Tripulada, explicou: “com base nos nossos cálculos e análises, a maior parte do laboratório espacial queimará durante a queda. É improvável que isso afete as atividades aéreas ou cause danos à Terra”.


Fonte: ABC

Imagem: Andrey VP/Shutterstock.com

A temida névoa assassina que já matou mais de 100 mil em um ano

No ano passado, somente no Sudeste Asiático, 100 mil pessoas morreram vítimas de uma névoa tóxica gerada a partir dos imensos incêndios florestais.

Os cálculos foram feitos em um estudo científico das universidades de Harvard e Columbia.

A pesquisa concluiu que, por causa de incêndios florestais que se prolongaram durante meses, 91.600 morreram pessoas na Indonésia, 6.500 na Malásia e 2.200 em Singapura. Além disso, outras 500 mil pessoas sofreram problemas no aparelho respiratório e há 150 milhões de habitantes da região que ainda correm sérios riscos de ficarem doentes.

“Se nada mudar, essa 'bruma assassina’ continuará tendo um efeito terrível ano após ano”, afirmou, em um comunicado à imprensa, Yuyun Indradi, do Greenpeace da Indonésia. Os ativistas ambientais exigiram que o governo e o setor industrial da Indonésia adotassem medidas urgentes para combater a destruição indiscriminada de florestas e a drenagem de bacias hidrográficas para a irrigação das plantações.


Fonte: Greenpeace

Imagem: A.S. Zain/Shutterstock.com

O fim da humanidade está próximo, segundo os economistas

A BC Research, uma empresa canadense voltada para a pesquisa financeira, acaba de publicar um documento em que afirma que os riscos de que a humanidade seja extinta antes do ano de 2290 são de 50%.

A probabilidade aumenta até 95% para o ano de 2710. Um dos responsáveis pelo estudo, o economista Peter Berezin, explica que as estatísticas indicam que o rápido desenvolvimento tecnológico estaria levando a Terra à destruição.

O crescimento acelerado da população e a capacidade alarmante de devastação que as armas humanas possuem são grandes fatores de risco. A empresa canadense detalha em seu comunicado: “temos tecnologias que tornam possível a destruição da Terra, mas ainda não criamos uma tecnologia que nos ajude a sobreviver em caso de catástrofe”.

Os economistas advertem que esse tipo de previsão pode ser um desincentivo grave para a área econômica, fazendo com que os investimentos e as taxas de poupança caiam bruscamente.

O premiado cientista Stephen Hawking também alertou recentemente sobre a inviabilidade do plano de desenvolvimento do planeta ao declarar: “os dias na Terra estão contados”.


Fonte: RT

 

Imagem: Nejron Photo/Shutterstock.com

Relatório secreto revela quando ficaremos sem água potável

Documentos do exército dos EUA e da multinacional Nestlé foram publicados pelo WikiLeaks e revelam dados alarmantes sobre o futuro da água potável no planeta.

O site WikiLeaks, dedicado a revelar segredos que diversos governos e empresas mantêm ocultos, publicou um relatório alarmante da multinacional Nestlé sobre a água potável no nosso planeta. No documento, afirma-se que a Terra poderá ficar sem água potável em menos de 34 anos. O relatório, escrito por executivos da empresa, declara que, por volta de 2025, um terço da população mundial poderá ter inconvenientes gravíssimos para dispor de água bebível e que, em 2050, a situação será abertamente catastrófica para todo o planeta.


Além disso, o site publicou uma pesquisa confidencial realizada pelo exército dos EUA, que diz que a dieta carnívora será a responsável pelo esgotamento dos recursos hídricos. A enorme quantidade de gado criado para satisfazer a demanda de carne no ocidente consome toneladas de milho e soja todos os anos. Se esses cereais fossem ingeridos diretamente pelos seres humanos, seria possível acabar com a fome no mundo e, ao mesmo tempo, economizar percentuais altos de água potável.

O Banco Mundial confirmou esse prognóstico desolador em um documento intitulado “Mudança Climática, Água e Economia”, o qual adverte que a escassez de água será consequência tanto dos fatores climáticos quanto do aumento da demanda por água potável, causado pelo rápido crescimento populacional.


Fonte: RT , Inquisitr

Imagem: latino/Shutterstock.com

 

Apocalipse de São João: o eclipse solar do século que anuncia o fim do mundo

Os americanos e os europeus poderão testemunhar um dos fenômenos astronômicos mais temidos pelos cristãos evangélicos.

No dia 21 de agosto de 2017, ocorrerá um eclipse solar total que, de acordo com o Apocalipse de São João, representaria o início do fim do mundo, conforme anunciou a organização religiosa Unsealed.

Nos EUA, será possível ver o sol atravessando o planeta de costa a costa e, embora na Europa só se consiga ver uma parte, a importância que os teóricos evangélicos dão a esse fenômeno não é menor. Segundo eles, os escritos bíblicos fazem referências claras a esse fenômeno como o início do fim.

O fenômeno está relacionado a um fragmento da Bíblia em que se fala de uma mulher vestida de Sol, grávida e que está sobre a Lua. Nele, também é mencionado um dragão, que deseja matar seu filho. A criança, ao nascer, ascenderá aos céus e os anjos destruirão o monstro.

Há outro ponto que os teóricos levam em consideração: nesse ano, será cumprida uma geração bíblica – 70 anos – desde a criação do estado de Israel, em 1947. Além disso, no século XIII, o rabino Judá Ben Samuel previu que o fim do mundo seria em 2017.

Os evangélicos da organização afirmaram que o fim do mundo começará no próximo ano e que terminará em 2024.



Fonte: RT 

Imagem: Vadim Sadovski/Shutterstock.com

Cientistas encontram provas de uma grande lenda chinesa

A épica história da chamada Grande Inundação na China narra como, há 4 mil anos, uma imensa tempestade deixou grande parte do país debaixo d’água e à beira da ruína.

A lenda diz que um homem chamado Yu conseguiu desviar parte do fluxo de água, salvando os maiores assentamentos humanos. Esse foi o início mitológico da dinastia Xia, de acordo com vários textos apócrifos encontrados em cavernas milenares.

Até o momento, não existia nenhuma prova científica que sustentasse o relato. Agora, um grupo de pesquisadores acaba de publicar um artigo na prestigiada revista Science, em que explicam que a grande inundação de fato ocorreu.

Os cientistas descobriram, analisando os sedimentos do rio Amarelo, na China, e também 14 esqueletos encontrados na província chinesa de Qinghai, que existe evidência suficiente para afirmar que o rio teve um imenso transbordamento há milhares de anos. Os dados produzidos pela análise de radiocarbono determinaram que a inundação aconteceu em 1920 a.C., o que coincide com a lenda.

Um dos autores do estudo, o professor Darryl Granger, da Universidade Purdue, explica: “Essa foi uma das maiores inundações ocorridas no mundo nos últimos 10 mil anos. A enchente atingiu as aldeias localizadas a mais de 2 mil quilômetros do leito do rio”.

 

 


Fonte: IFLS , DN
Imagem: dragonjian/Shutterstock.com