Todos os horários

ALASCA

A quarta temporada de Ax Men retorna este ano com uma aposta mais forte do que nunca. A equipe de pai e filho, Craig e Gabe, da Rygaard, volta para derrubar o reinado da JM Browning, mas a recém-chegada empresa Papac tem a intenção de substituir a ambas. Enfrentando-se em uma ilha remota na costa do Alasca, estes rapazes jogam com suas próprias regras e não param por nada em sua busca para conquistar uma das últimas fronteiras da América. Pihl Logging retorna e desta vez com uma arma secreta que mexe com toda a equipe. Enquanto os reis da montanha lutam no noroeste, em outra parte do país, os madeireiros da água retornam. Jimmy Smith volta para recuperar seu filho e desafiar seu rival Collins nas águas negras do rio Suwannee, enquanto o rei dos pântanos, Shelby Stanga, procura um assistente nas florestas da Luisiana. É o início da temporada mais explosiva para atingir as metas e sobreviver.

A quarta temporada de Ax Men retorna este ano com uma aposta mais forte do que nunca. A equipe de pai e filho, Craig e Gabe, da Rygaard, volta para derrubar o reinado da JM Browning, mas a recém-chegada empresa Papac tem a intenção de substituir a ambas. Enfrentando-se em uma ilha remota na costa do Alasca, estes rapazes jogam com suas próprias regras e não param por nada em sua busca para conquistar uma das últimas fronteiras da América. Pihl Logging retorna e desta vez com uma arma secreta que mexe com toda a equipe. Enquanto os reis da montanha lutam no noroeste, em outra parte do país, os madeireiros da água retornam. Jimmy Smith volta para recuperar seu filho e desafiar seu rival Collins nas águas negras do rio Suwannee, enquanto o rei dos pântanos, Shelby Stanga, procura um assistente nas florestas da Luisiana. É o início da temporada mais explosiva para atingir as metas e sobreviver.

Rússia quer construir maior rodovia do mundo que ligará Londres ao Alasca

Uma supervia, que ligaria países, continentes e culturas, estaria nos planos de Vladimir Yakunin, presidente da entidade que administra as ferrovias na Rússia. De acordo notícia divulgada pelo The Siberian Times, a ideia é construir uma autoestrada transiberiana que ligaria a fronteira oriental do seu país com o estado do Alasca, nos Estados Unidos, atravessando a faixa de mar do Estreito de Bering, que separa Ásia e América do Norte. O projeto foi revelado em uma reunião da Academia Russa de Ciências de Moscou.

De acordo com uma simulação do canal CNN, na teoria, uma estrada ligando Londres ao Alasca, via Moscou, percorreria a gigantesca distância de 12.978 km. Para se ter uma ideia, o Brasil é banhado pelo Oceano Atlântico, contando recortes do litoral, ao longo de 7.408 km. Um voo transatlântico, de 11 horas, entre São Paulo e Londres, atravessa algo como 9.500 km.

A autoestrada seria construída ao longo da já existente Ferrovia Transiberiana, juntamente com uma nova rede ferroviária, oleodutos e gasodutos. A estrada cortaria todo o território da Rússia, ligando sistemas de estradas existentes na Europa Ocidental e na Ásia. A distância entre as fronteiras ocidentais e orientais da Rússia é de aproximadamente 10 mil km.

 

Quem vai pagar a conta?

Em seu ponto oriental na Rússia, a obra ligaria a região de Chukotka, pelo Estreito de Bering, à cidade de Nome, no Alasca. Contudo, a grande pergunta é: como seria a ligação pelo mar ao longo dos 88 km do Estreito de Bering? Túnel? Ponte? Balsa? Ainda não há uma resposta sobre isso.

No caso da suposta estrada conduzir à isolada Nome, seria ainda necessário criar uma rodovia de aproximadamente 836 kms para fazer a conexão com o sistema de estradas nos EUA. A partir daí, seria possível chegar a muitas cidades canadenses e norte-americanas. No caso, pode-se sonhar com uma viagem terrestre entre Londres e Nova York que teria nada menos do que 20.777 km.


Agora vem a questão mais difícil: quem vai pagar a conta?. As respostas são vagas. Estima-se que o projeto custaria "trilhões de dólares", mas todo o dinheiro seria compensado pelo retorno econômico, de acordo com o projeto.

Fontes:

CNN

The Siberian Times

IMAGEM: CNN

Esquiador desafia a morte em perigosa fenda vertical no Alasca [Vídeo]

Traçando seu caminho por uma perigosa fenda vertical, nas montanhas do Alasca, o esquiador americano de 31 anos Cody Townsend realizou o feito mais perigoso do ano, de acordo com especialistas renomados em esportes radicais. Ele desafiou a morte ao descer uma inclinação estreita e íngreme nas montanhas de Tordillas. O vídeo impactante ganhou o prêmio “Best Sky Line 2014”, que destaca os melhores esportistas do mundo dos esportes extremos, e foi catalogado como “o mais difícil do ano”.

“Oh, estou ficando nervoso”, disse o esquiador quando estava prestes a iniciar a descida, que ele percorreu a 75 km/h sobre um trajeto estreitíssimo para depois realizar um salto. A façanha, que durou 30 segundos, foi tão perigosa que o jovem esportista não podia cometer qualquer erro, de modo a evitar colisões contra as paredes afiadas da fenda. “Foi difícil porque eu ia tão rápido que não conseguia prestar atenção em tudo o que estava na minha frente. Você tem que ir concentrado, sem prestar atenção nos detalhes que o cercam”, disse Townsend a vários jornalistas americanos após concluir sua façanha.

Confira abaixo o vídeo com a façanha:

Fonte: Clarín 

DOMINGO SANGRENTO

Logger se torna um homem da montanha, e a sorte de Charlie Tucker dá uma guinada para pior nas florestas do norte do Maine quando um erro de principiante quase lhe custa caro. No Alasca, Marty e Andy se separam para cobrir mais terreno, combinando de se encontrar ao anoitecer, mas Marty não aparece. Na Carolina do Norte, Eustace coloca sua vida em risco para ajudar um vizinho, e em Ruby Valley, Montana, Rich Lewis sai atrás de um lince que anda devorando o seu gado, mas o bicho fere dois de seus cães antes que ele consiga pegá-lo.

O RETORNO DO TRÊS DEDOS

Rich e seus cães rastream o leão da montanha assassino "Três Dedos" por todo o vale em Montana. No Alasca, Marty recebe o novo motor de snowmobile que estava esperando. Eustace corre contra as geadas de inverno para semear seus campos na Carolina do Norte e no Noroeste de Montana, e Tom recebe o pedido de um vizinho para construir um arco primitivo, com um prazo que coloca sua paciência à prova.

ÚLTIMA CHANCE

Depois de uma caçada a cervos bem sucedida, Tom corre para preparar a carne antes que atraia ursos famintos. Na Carolina do Norte, Eustace realiza um trabalho exaustivo para poder fazer seu primeiro pagamento de um empréstimo. Os problemas mecânicos de Marty voltam a deixá-lo encalhado na noite fria do Alasca. Em Ruby Valley, Montana, Rich adia uma caçada a alces quando descobre a presença de um leão. E em Great North Woods, no Maine, Charlie Tucker começa sua temporada de caça colocando armadilhas.

ALASCA

A quarta temporada de Ax Men retorna este ano com uma aposta mais forte do que nunca. A equipe de pai e filho, Craig e Gabe, da Rygaard, volta para derrubar o reinado da JM Browning, mas a recém-chegada empresa Papac tem a intenção de substituir a ambas. Enfrentando-se em uma ilha remota na costa do Alasca, estes rapazes jogam com suas próprias regras e não param por nada em sua busca para conquistar uma das últimas fronteiras da América. Pihl Logging retorna e desta vez com uma arma secreta que mexe com toda a equipe. Enquanto os reis da montanha lutam no noroeste, em outra parte do país, os madeireiros da água retornam. Jimmy Smith volta para recuperar seu filho e desafiar seu rival Collins nas águas negras do rio Suwannee, enquanto o rei dos pântanos, Shelby Stanga, procura um assistente nas florestas da Luisiana. É o início da temporada mais explosiva para atingir as metas e sobreviver.

18.Oct.1867

Estado do Alasca é comprado pelos Estados Unidos

No dia 18 de outubro de 1867, o estado do Alasca foi comprado da Rússia pelos Estados Unidos por US$ 7 milhões. Este foi o penúltimo território a ser incorporado pelo país norte-americano. Ao seu redor, o Alasca conta com os oceanos Ártico e Pacífico, faz fronteira terrestre com o Canadá e está separado da Rússia pelo Estreito de Bering, que divide o extremo ponta oriental da Ásia do extremo ponto Ocidental da América do Norte. O descobrimento de importantes reservas de petróleo permitiu um enorme crescimentos econômico da região nas últimas décadas, apesar do isolamento geográfico e das extremas condições climáticas. Por conta do petróleo, o Alasca também já sofreu com desastres ecológicos, como o acidente em 1989, quando o superpetroleiro Exxon Valdez encalhou nas águas do Alasca e provocou uma maré negra de óleo, considerada uma catástrofe ambiental.

 


Imagem: TUBS [CC BY-SA 3.0], via Wikimedia Commons

20.Aug.1741

Navegador Vitus Jonas Bering chega ao Alasca

O dia 20 de agosto do ano de 1741 representou uma data crucial na história da exploração marítima, com o primeiro registro da chegada de uma embarcação russa na costa noroeste do continente norte-americano. Sob o comando do dinamarquês Vitus Bering, os navios russos cruzaram, pela primeira vez, o que hoje é chamado o Estreito de Bering, estabelecendo a existência de uma "ponte de terra" que unia os dois continentes, e abrindo caminho para a colonização russa do Alasca.
 
Desta vez, a expedição tinha dois navios: Bering era o capitão do São Pedro, enquanto o seu colega, Alexei Chirikov, comandou o São Paulo. Eles saíram de Kamchatka no dia 4 de junho de 1741, em direção ao sudeste. Bering e sua tripulação desembarcaram no que viria a ser chamado Kodak Island, no dia 20 de agosto, no acontecimento que ficou conhecido como o primeiro desembarque russo comprovado no Alasca.
 
O desembarque foi breve, já que Bering decidiu retornar rapidamente para a Rússia pois o grupo estava ficando sem suprimentos. Bering, contudo, não conseguiu realizar a viagem e morreu doente em uma ilha inóspita, onde foi enterrado pelos membros sobreviventes de sua tripulação.
 
Os homens de Bering retornaram à Rússia, onde foram divulgados os resultados da expedição. Começou o período de interesse do país no continente norte-americano, que terminou em 1867, quando Alasca foi vendido aos Estados Unidos por US$ 7,2 milhões. Por seus feitos, Bering foi nomeado Herói da Rússia e muitos acidentes geográficos foram nomeados em sua homenagem, incluindo a ilha em que ele morreu.
 

Imagem: St. Petersburg, Marinemuseum [Domínio público], via Wikimedia Commons