OSCAR WILDE

Oscar Wilde

Oscar Wilde foi um escritor, poeta e dramaturgo que publicou muitas obras de renome, incluindo “O Retrato de Dorian Gray” e “A Importância de ser Prudente”.

O mundo pode ser um palco, mas o elenco é um horror.

Nascido em 16 de outubro de 1854, em Dublin, o escritor irlandês Oscar Wilde é mais conhecido pelo romance “O Retrato de Dorian Gray” e pela peça “A Importância de ser Prudente”, assim como pela sua prisão por ser homossexual. Morreu no dia 30 de novembro de 1900, em Paris, na França.

 

 

Primeiros anos

É tão fácil converter os outros. É tão difícil converter a nós mesmos.

Oscar Fingal O'Flahertie Wills Wilde era filho de William Wilde, um médico consagrado por seu trabalho como conselheiro do censo irlandês. Mais tarde, ele fundou um hospital oftalmológico para tratar as pessoas carentes da cidade. A mãe de Oscar Wilde, Jane Francesca Elgee, foi uma poetisa associada à Rebelião da Juventude Irlandesa de 1848, uma linguista muito talentosa e bastante influente na escrita do filho.

Wilde era uma criança muito estudiosa e adorava os estudos gregos e romanos, tendo recebido diversos prêmios na escola. Após sua formatura, em 1871, ele recebeu uma bolsa de estudos para estudar na Trinity College, em Dublin. No fim do seu primeiro ano na universidade, recebeu uma bolsa de estudos que era a maior honra concedida aos graduandos. Ao término da universidade, em 1874, ele recebeu uma medalha como o melhor estudante de grego da Trinity, além de uma bolsa para estudar na Magdalen College, em Oxford, onde também se graduou com honras.


 

Mudança para Londres

Não há livros morais nem imorais. O que há são livros bem escritos ou mal escritos.

Depois de se formar, Wilde se mudou para Londres para morar com seu amigo Frank Miles, um pintor de retratos famoso da alta sociedade. Lá, concentrou-se na produção de poesias, publicando sua primeira coleção, “Poems”, em 1881, que recebeu poucas críticas elogiosas, mas o estabeleceu como um escritor promissor. No ano seguinte, foi para Nova York para realizar uma série de palestras. Ele aproveitou a viagem para conhecer algumas personalidades do meio literário, como Henry Longfellow, Oliver Wendell Holmes e Walt Whitman, o qual admirava especialmente.

Ao voltar para casa, Wilde iniciou um novo circuito de palestras na Inglaterra e na Irlanda, que durou até 1884. Nessas palestras e também em suas poesias, ele se estabeleceu como o líder do Movimento Estético, uma teoria de arte e literatura que enfatizava a busca da beleza pela beleza e não para promover um ponto de vista político ou social.

A única maneira de nos livrarmos de uma tentação é cedermos a ela.

Em maio de 1884, ele se casou com uma inglesa rica chamada Constance Lloyd, com quem teve dois filhos: Cyril e Vyvyan. Um ano após o casamento, Wilde foi contratado para gerenciar a revista popular “Lady’s World”, que estava ficando fora de moda. Após dois anos, ele revitalizou a publicação, que agora tratava “não só meramente sobre o que as mulheres vestem, mas sobre o que elas pensam”, escreveu Wilde.


 

Obras aclamadas

Hoje em dia conhecemos o preço de tudo e o valor de nada.

A partir de 1888, ainda na revista, Wilde entrou em um período de sete anos de criatividade feroz, em que produziu quase todas as suas obras literárias. No primeiro ano, publicou “O Príncipe Feliz”, uma coleção de histórias infantis. Em 1891, publicou “Intentions”, abordando o Movimento Estético, e no mesmo ano, seu primeiro e único romance, “O Retrato de Dorian Gray”. Trata-se de uma história ou fábula sobre um belo jovem, Dorian Gray, que deseja que o seu retrato envelheça, enquanto ele permanece jovem e levando uma vida de prazeres. Apesar de hoje o romance ser uma obra-prima, na época foi atacado por conta da aparente falta de moralidade.

A primeira peça de Wilde, “O Leque de Lady Windermere”, que estreou em 1892, foi aclamada pelo público e crítica, o que impulsionou Wilde a adotar a dramaturgia como sua forma literária primária. Nos anos seguintes, ele escreveu muitas peças, incluindo a sua mais famosa, “A Importância de ser Prudente”, (do original The Importante of Being Earnest, mas há outras traduções para o português como a Importância de ser Ernesto e a Importância de ser Honesto).

 

 

Vida pessoal e prisão

O velho acredita em tudo; o homem maduro duvida de tudo e o jovem sabe tudo.

Na mesma época em que experimentava o sucesso literário, Wilde começou um caso com o jovem lorde Alfred Douglas. O pai dele, Marquês de Queensberry, ao saber do romance, escreveu um bilhete a Wilde em que o acusava de sodomia. Wilde o processou, e a decisão do júri arruinou sua vida: ele foi condenado a dois anos de prisão em 25 de maio de 1895.

Quando saiu da prisão, em 1897, Wilde estava fisicamente abatido, emocionalmente exausto e falido. Ele foi para o exílio na França, onde brevemente reatou com Douglas. Ele escreveu muito pouco nesses últimos dias e seu único trabalho memorável da época é um poema sobre seu tempo na prisão, chamado “Balada do Cárcere de Reading”. Ainda na prisão, escreveu De Profundis, uma longa carta a Douglas.

 


Morte e legado

Devemos ser modestos e lembrar-nos de que os outros são inferiores a nós.

Wilde morreu de meningite em 30 de novembro de 1900, aos 46 anos. Mais de um séulo após sua morte, ele ainda é mais lembrado pela sua vida pessoal que por sua literatura. Todavia, suas obras, em particular o romance “O Retrato de Dorian Gray” e a peça “A Importância de ser Prudente” estão entre as grandes obras-primas literárias do fim do período Vitoriano.

 

 

Imagem: Napoleon Sarony [Domínio Público], Wikimedia Commons