Todos os horários
MÚSICA

Johnny Cash

John Ray Cash, mais conhecido como Johnny Cash, foi um cantor e compositor norte-americano, que era conhecido por seus fãs como o "O Homem de Preto". Com uma carreira que durou cinco décadas, ele também foi para muitos a personificação da música country.

Meus braços são muito curtos para lutar com Deus.

Cash nasceu em 26 de fevereiro de 1932, em Kingsland (EUA), e morreu em 12 de setembro de 2003 morria, em Nashville (EUA), aos 71 anos. Quando pequeno, uma tragédia familiar afetou para sempre sua vida. Em 1944, o irmão mais velho de Cash, Jack, morreu após um acidente em uma serra de madeira quando eles trabalhavam em um campo de algodão. Neste dia, Cash tinha ido pescar e se sentiu culpado pela morte do irmão.

 

Sucesso e drogas

Às vezes eu sou duas pessoas. Johnny é o agradável. Cash causa problemas. Eles lutam.

Sua ligação com a música, ao menos na infância, foi pela música gospel. Ainda muito jovem, Cash começou a tocar violão e a compor. Em 1955, ele emplacou os primeiros sucessos com "Hey Porter" e "Cry Cry Cry". Nos anos 60, sua carreira decolou e, ao mesmo tempo em que experimentava o sabor do sucesso, ele também deu início ao vício de anfetaminas e barbitúricos. Apesar de as drogas influenciarem no seu comportamento, ele manteve sua criatividade para emplacar mais hits. Contudo, seu comportamento destrutivo provocou o divórcio, confusões e algumas prisões.

Um pouco depois, Cash decidiu quer era hora de se desintoxicar e contou com apoio de amigos e de June Carter, que se tornaria sua esposa para o resto da vida. Em 1969, nasceu o único filho homem de Cash, John Carter Cash, do relacionamento com June. Entre 1969 e 1971, Cash teve seu próprio programa na televisão, que contava com a participação de astros como Neil Young e Bob Dylan.

 

Nova guinada na carreira

É bom saber quem odeia você e é bom ser odiado pelas pessoas certas.

Em meados dos anos 70, a popularidade e as canções de sucesso de Cash começaram a diminuir, mas sua autobiografia, intitulada "Man in Black" (de 1975), vendeu 1,3 milhão de cópias. Na década seguinte, contudo, suas gravações não provocaram grandes impactos. Neste período, Cash começou a trabalhar como ator em filmes. Em 1986, publicou seu único romance, “Man in White”, um livro sobre Saulo e sua conversão como apóstolo Paulo.

Nos anos 90, sua carreira deu uma nova guinada. Em 1994, gravou o álbum “American Recordings”, com versões de Cash para sucessos de artistas modernos como Tom Waits e a banda de metal Danzig. Em 1996, lançou “Unchained”, com canções do Soundgarden ("Rusty Cage"), Beck ("Rowboat") e participação especial do baixista Flea, do Red Hot Chili Peppers. Ironicamente, o álbum foi ignorado pelo meio country, mas ganhou um Grammy como o "Melhor Álbum Country".

Em 1999, passou a sofrer de problemas de saúde e foi obrigado a encurtar uma turnê. Em 15 de maio de 2003, sua esposa June Carter morreu, aos 73 anos, por conta de complicações após uma cirurgia no coração. Quatro meses depois, no dia 12 de setembro, Cash morreu por causa de diabetes, aos 71 anos.