Todos os horários
John D. Rockefeller Jr.

John D. Rockefeller Jr.

Nascido em 29 de janeiro de 1874, em Cleveland, Ohio, John D. Rockefeller Jr. foi um importante filantropo americano e herdeiro da fortuna acumulada por seu pai, John D. Rockefeller Sr., fundador da Standard Oil. Rockefeller Jr. criou a Universidade Rockefeller em Nova York, a General Education Board e a Fundação Rockefeller no início do século XX. Ao financiar a construção do Rockefeller Center, John Jr. gerou aproximadamente 75 mil empregos. Durante a Segunda Guerra Mundial II, ele ajudou a criar a United Service Organizations.

Após a guerra, doou terras para a sede da ONU. Rockefeller Jr. morreu no Arizona em 1960. Apesar de John D. Rockefeller Sr. e Nelson Rockefeller serem os nomes mais conhecidos do legado da sua família, foi John D. Rockefeller Jr. quem transformou o sobrenome em sinônimo de filantropia. Nascido em 29 de janeiro de 1874, em Cleveland, Ohio, “Junior” cresceu ao lado de três irmãs: Alta, Bessie e Edith. Seu pai, John D. Rockefeller Sr., foi o primeiro bilionário do país, embora a riqueza nunca o tenha atraído. Educado em casa até os 10 anos, John D. Rockefeller Jr. estudou na Universidade Brown.

 

Escândalos

Após se formar, em 1897, ele trabalhou para seu pai, na sede da Standard Oil, em Nova York. No início do século XX, uma série de escândalos abalou a empresa, e, desencantado, John Jr. decidiu deixar, em 1910, o mundo dos negócios para perseguir interesses filantrópicos. Pouco após sair da Standard Oil, John D. Rockefeller Jr. se viu envolvido em uma controvérsia A mais de 3 mil km de distância, na empresa Fuel and Iron Company dos Rockefellers, em Colorado, uma greve acontecia com 6 meses de duração: aproximadamente 9 mil mineiros exigiam reconhecimento de seu sindicato, mudanças nas horas de trabalho, nos salários e moradia. A greve, que havia começado em setembro de 1914, logo se tornou violenta, obrigando o governador do Colorado, Elias Ammons, a chamar a Guarda Nacional.

A paralisação continuou no inverno, e as tensões aumentaram quando os mineiros e suas famílias foram despejados dos lares fornecidos pela empresa e obrigados a viver em tendas durante os meses mais frios. Na primavera de 1914, a situação piorou: as relações se tornaram mais hostis entre os membros da Guarda Nacional e os protestantes, que se recusaram a ceder. Uma reviravolta trágica ocorreu em abril de 1914, quando seguranças de empresas privadas abriram fogo contra a comunidade. Mais de 40 mineiros e seus familiares foram mortos, incluindo duas mulheres e onze crianças. Conselheiro da empresa, John D. Rockefeller Jr. foi considerado culpado pela violência na Fuel and Iron Company do Colorado, e convocado, posteriormente, a depor diante do Congresso.

 

Ações de filantropia

A opinião pública se virou contra os Rockefellers depois desse evento, visto que a mídia passou a criticar o herdeiro da família. Intrépido, Rockefeller Jr. passaria anos cercado pela controvérsia, restaurando aos poucos a imagem pública da família através de suas ações de filantropia. Ao lado de seu pai, ajudou a criar inúmeras entidades de caridade, incluindo o Rockefeller Institute, o General Education Board e a Fundação Rockefeller. Porém, John Jr. é mais conhecido por ter criado o Centro Rockefeller em Nova York, financiado a restauração da Fundação Colonial Williamsburg e doado terras para a sede da ONU. Nos anos seguintes à Primeira Guerra Mundial, John D. Rockefeller defendeu melhores condições de trabalho na indústria.

Durante a Segunda Guerra Mundial, ajudou a fundar a United Service Organizations e levantou mais de 300 milhões de dólares para auxiliar homens e mulheres que serviam nas Forças Armadas dos EUA. Ele também fez grandes doações para a conservação de vários projetos, do Parque Nacional de Acadia, em Maine, ao Parque Nacional de Yosemite, na Califórnia. Em 1901, John D. Rockefeller Jr. se casou com Abby Aldrich, uma colega de classe e filha do importante senador de Rhode Island Nelson Aldrich. John e Abby tiveram seis filhos juntos: uma filha, Abby (conhecida posteriormente como Abby Rockefeller Mauzé) e cinco filhos, John D. Rockefeller III, Nelson Rockefeller, Laurance Rockefeller, Winthrop Rockefeller e David Rockefeller. Abby Aldrich Rockefeller faleceu em 1948, e John D. Rockefeller Jr. se casou, em seguida, com Martha Baird Allen, uma concertista de piano. Ele morreu em 11 de maio de 1960, em Tucson, no Arizona.

 


Imagem: [Domínio público], via Wikimedia Commons