Todos os horários
EDWARD SNOWDEN

Edward Snowden

Nascido na Carolina do Norte em 1983, Edward Snowden trabalhou para a Agência de Segurança Nacional (NSA). Após apenas três meses, Snowden começou a coletar documentos secretos de práticas de vigilância doméstica da NSA, que ele achou bastante invasivas. Após Snowden ir para Hong Kong, na China, jornais começaram a imprimir os documentos que ele havia deixado com eles, muitos detalhando práticas invasivas de espionagem contra cidadãos americanos. Com os Estados Unidos acusando Snowden sob o Ato de Espionagem e muitos grupos o chamando de herói, Snowden permanece na Rússia. Um documentário sobre a sua história ganhou um Oscar em 2015.

Edward Snowden nasceu na Carolina do Norte em 21 de junho de 1983, e cresceu em Elizabeth City. Sua mãe trabalha para a corte federal em Baltimore e seu pai, um ex-oficial da Guarda Costeira, mora na Pensilvânia.


Agência Nacional de Segurança

A NSA construiu uma infra-estrutura que lhe permite interceptar quase tudo.

Snowden estudou programação na Universidade Comunitária Anne Arundel, em Arnold, Maryland, de 1999 a 2001 e de 2004 a 2005. Nesse meio tempo, ele passou quatro meses no exército, em treinamento para as forças especiais, que não chegou a finalizar.

Dois anos após deixar a universidade pela segunda vez, Snowden conseguiu um trabalho com a Agência Nacional de Segurança, como guarda de segurança, que se transformou em um trabalho em tecnologia da informação na Agência Central de Inteligência. Snowden falou que, em 2007, a CIA o enviou para Geneva, mas em 2009, ele saiu para trabalhar para empresas privadas, como a Dell e a Booz Allen Hamilton. Com a Dell, ele foi enviado para o Japão para atuar com a NSA, e após apenas três meses com a Booz Allen, Snowden tomaria uma decisão que mudaria sua vida para sempre.

Enquanto ele trabalhava no escritório de Oahu, na NSA, Snowden começou a notar programas do governo que envolviam espionagem aos cidadãos americanos via telefone e internet. Em maio de 2013, ele começou a copiar documentos secretos, montando um dossiê de práticas invasivas.


Hong Kong

Após compilar um grande estoque de documentos, Snowden contou ao seu supervisor que precisava de uma licença para realizar um tratamento médico. Ele tinha sido diagnosticado recentemente com epilepsia. Em 20 de maio de 2013, ele foi para Hong Kong, China. Em 5 de junho, o jornal inglês The Guardian noticiou os documentos secretos que Snowden havia enviado. Após isso, muitos jornais começaram a noticiar mais e mais documentos, e a opinião pública se dividiu entre os que queriam ver mais documentos e os que queriam Snowden preso.


Ato de Espionagem

Para as pessoas que têm visto e desfrutado da internet livre e aberta, cabe a nós preservar essa liberdade para a próxima geração desfrutar dela.

Snowden diz que ele sacrifica sua vida em prol da liberdade e privacidade dos cidadãos de todo o mundo, ameaçadas pelo governo dos Estados Unidos. Uma das pessoas que ele deixou para trás foi sua namorada Lindsay Mills. Eles moravam juntos no Havaí e ela não tinha ideia do que ele viria a fazer.

O governo norte-americano acusou Snowden, em 14 de junho de 2013, de roubo de propriedade do governo, comunicação não autorizada de informações nacionais de defesa e comunicação intencional de inteligência por pessoa não autorizada. As últimas duas acusações fazem parte do Ato de Espionagem.


Rússia

Snowden permaneceu escondido por quase um mês, pedindo asilo para o Equador e depois indo para a Rússia, onde o governo negou sua extradição aos Estados Unidos. No mês seguinte, Snowden foi notícia novamente, anunciando que a Venezuela, a Nicarágua e a Bolívia o ofereceram asilo. Na mesma época, soube-se que os Estados Unidos anularam o seu passaporte e Snowden expressou interesse em permanecer na Rússia.

Em outubro, Snowden revelou que não possuía mais nenhum documento da NSA. Ele teria dado os materiais para os jornalistas que ele conheceu em Hong Kong, mas não teria guardado nenhuma cópia.

Snowden recebeu más notícias em novembro de 2013. De acordo com o The Guardian, seu pedido de clemência ao governo dos Estados Unidos foi negado. Em janeiro de 2014, o presidente Barack Obama pediu que os programas de vigilância do país fossem revisados, acalmando a população.


Exílio

Eu não quero viver em um mundo onde tudo o que fazemos e dizemos é registrado.

Ainda no exílio, Snowden fez uma aparição via teleconferência em março de 2014. Na mesma época, os Estados Unidos revelaram que o vazamento de informações causado por Snowden pode ter causado tanto estrago que a reparação da segurança do país pode custar bilhões de dólares.

Em maio de 2014, Snowden deu uma entrevista para a NBC, revelando que era um espião treinado que trabalhava para a CIA e NSA. Ele explicou que se considerava um patriota, acreditando que suas ações teriam resultados benéficos. Seu vazamento de informações levou a um debate público e a novas formas de proteção dos direitos do cidadão. Ele também disse que queria voltar à sua casa, nos Estados Unidos.


Documentário

No mesmo ano, Snowden apareceu no documentário chamado “Citizenfour”. Ele havia contatado a documentarista Laura Poitras antes de vazar os documentos da NSA, e ela filmou seus encontros com o jornalista do The Guardian, Glenn Greenwald. O documentário ganhou um Oscar em 2015, que foi recebido por Laura, sua equipe e a namorada de Snowden Lindsay Mills.

 


Imagem: Laura Poitras / Praxis Films [CC BY 3.0], via Wikimedia Commons