CLINT EASTWOOD

Clint Eastwood

Nascido em 31 de maio de 1930, em San Francisco, Califórnia, Clint Eastwood ficou conhecido após estrelar o faroeste televisivo “Rawhide”. Ele, então, se tornou uma figura bastante popular através da série de filmes “western spaghetti” de Sergio Leone e da franquia Dirty Harry. Recentemente, Eastwood dirigiu vários filmes, incluindo os ganhadores do Oscar “Os Imperdoáveis”, “Sobre Meninos e Lobos”, “Menina de Ouro” e “A Troca”. Ele também é conhecido como um grande apoiador do Partido Republicano e apareceu nas manchetes de todo o país quando palestrou na Convenção Nacional do Partido Republicano, em 2012.

O ator, diretor e produtor Clint Eastwood nasceu Clint Eastwood Jr. em 31 de maio de 1930, dos pais Clinton Sr. e Ruth Eastwood, na Califórnia. Ele tem uma irmã mais velha, Jean. Depois de viajar e procurar trabalho na Califórnia durante a Depressão, a família se estabeleceu em Oakland, onde Eastwood se formou na Oakland Techinical High School, em 1948.

 

Mudança para Los Angeles

Clint fez trabalhos nessa época como enfardador de palha, madeireiro, motorista de caminhão e fogueiro de forno de aço. Em 1950, ele foi convocado para o exercício militar nos Serviços Especiais do Exército, na base de Fort Ord, em Monterey, Califórnia. Enquanto estava no exército, Eastwood conheceu os atores David Janssen e Martin Milner que o convenceram a se mudar para Los Angeles em 1954, depois de terminar seu serviço militar. Eastwood fez um teste de elenco e assinou um contrato com a Universal por 75 dólares a semana. Seus primeiros papéis foram em filmes de ficção científica como “A Revanche do Monstro” e “Tarântula!”, ambos lançados em 1955. A aparência robusta de Eastwood lhe rendeu o papel de Rowdy Yates na série de TV “Rawhide” (1959-1965), que durou oito temporadas.

Em 1964, Clint foi para a Itália estrelar a trilogia faroeste de Sergio Leone. O seu papel – o calmo e lacônico “Homem sem Nome” – tinha sido recusado por James Coburn e Charles Bronson. O trio de longas incluía “Por um Punhado de Dólares” (1964), Por uns Dólares a Mais (1965) e “Três Homens em Conflito” (1966). Chamados de “faroestes spaghetti” por causa de sua produção italiana e da apropriação irreverente de um gênero americano, os filmes tiveram grande popularidade em todo o mundo, e Eastwood se tornou internacionalmente conhecido.

 

Direção de filmes

De volta aos EUA, Eastwood dirigiu seu primeiro filme, o thriller “Perversa Paixão” (1971), fazendo também o protagonista. Seu próximo projeto de importância foi uma série de filmes de ação e violentos, na qual ele interpretava Harry Callahan, um controverso policial de San Francisco. A série Dirty Harry teve enorme sucesso com o público e gerou cinco filmes em um período de 17 anos, incluindo “Perseguidor Implacável” (1971), “Magnum 44” (1973), “Sem Medo da Morte” e “Dirty Harry na Lista Negra” (1988).

Em 1988, Eastwood dirigiu a biografia de Charlie Parker, “Bird”, pela qual recebeu aclamação crítica em todo o mundo. Ele também recebeu elogios pela direção e produção do faroeste de 1992 “Os Imperdoáveis”, que ganhou um Oscar de Melhor Filme. Em seguida, dirigiu e estrelou “Um Mundo Perfeito” (1993), “As Pontes de Madison” (1995) e “Poder Absoluto” (1997). 

Em 2003, Eastwood dirigiu o perturbador e vencedor de prêmios “Sobre Meninos e Lobos”, com Sean Penn e Tim Robbins. Em 2005, ele ganhou tanto o Oscar quanto o Globo de Ouro de Melhor Diretor por seu trabalho em “Menina de Ouro”, com Hillary Swank e o próprio Clint. O filme também ganhou um Oscar de Melhor Filme. Naquele mesmo ano, Eastwood recebeu um Lifetime Achievement Award do Screen Actors Guild, em Los Angeles.

 

Multitalento 

Realmente, as pessoas chegam até mim e me pedem para autografar suas armas.
 

Em 2006, Eastwood dirigiu dois dramas da Segunda Guerra, “A Conquista da Honra” e “Cartas de Iwo Jima”. A dupla de filmes complementares apresentava as visões opostas do conflito. “A Conquista da Honra” explorava o lado americano, contando a história de um homem que procurava saber mais sobre o envolvimento de seu pai no hasteamento da bandeira norte-americana no Monte Suribachi, durante a Batalha de Iwo Jima – um momento que foi capturado pelo fotógrafo vencedor do Prêmio Pullitzer, Joe Rosenthal. No elenco, vários jovens talentos de Hollywood, como Ryan Phillippe, Jesse Bradford e Paul Walker.

Verdadeiramente multitalentoso, Eastwood até compôs uma música para “A Conquista da Honra”. Baseado em cartas encontradas no campo de batalha da ilha, “Cartas de Iwo Jima” conta as experiências dos soldados japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. Embora os dois filmes tenham ganhado muitos elogios, “Cartas de Iwo Jima” foi indicado a quatro Oscars, incluindo Melhor Filme, e Eastwood recebeu sua quarta indicação como Melhor Diretor.

O próximo passo de Clint foi o thriller de drama familiar “A Troca” (2008), com Angelina Jolie como a mãe de uma criança raptada. O personagem de Jolie no filme – baseado em uma história verdadeira – suspeita que a criança que finalmente lhe é devolvida não é seu verdadeiro filho. Vários outros projetos elogiados com sua direção se seguiram, incluindo “Gran Torino”, também de 2008 e estrelado por ele, “Invictus” (2009), “Além da Vida” (2010) e “J. Edgar” (2011). 

No ano passado, Clint Eastwood lançou mais dois filmes: adaptado de um musical da Broadway do mesmo nome, “Jersey Boys” conta a subida para a fama de Frankie Valli and The Four Season; já o drama controverso, “Sniper Americano”, que recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Filme neste ano, conta a história do atirador dos SEALs da marinha, Chris Kyle.

 

Vida na política

Fora das telas, Eastwood teve suas incursões na política. Ele foi eleito como prefeito de Carmel, na Califórnia em 1986, cumprindo o mandato por dois anos. Clint também é conhecido por ser um grande apoiador do Partido Republicano e foi manchete em todo o seu país depois de palestrar na Convenção Nacional Republicana, em agosto de 2012. Seu discurso ganhou atenção por causa de seu formato pouco usual: nele, Eastwood falava com uma cadeira vazia, a qual parece ter sido usada pelo presidente Barack Obama.

Enquanto falava sobre o presidente, ele constantemente se dirigia à cadeira: “Eu acho que é tempo de outra pessoa vir e resolver o problema. Quando alguém não faz o seu trabalho, você tem que deixá-la ir embora”, disse Eastwood, então com 82 anos, um eleitor do candidato à presidência pelo Partido Republicano, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney, nas eleições de 2012

 


Imagem: Studio [Domínio público], Wikimedia Common