CHARLES DICKENS

Charles Dickens

Charles John Huffam Dickens, conhecido como Charles Dickens, nasceu o dia 7 de fevereiro de 1812, em Portsmouth, na costa sul da Inglaterra. Considerado um ícone da literatura inglesa e mundial, ele morreu no dia 9 de junho de 1870, aos 58 anos, vítima de um derrame, em Kent, na Inglaterra. Seu pai, John Dickens, era um funcionário naval que sonhava em ficar rico. Sua mãe, Elizabeth Barrow, aspirava ser professora e diretora escolar. Apesar dos melhores esforços de seus pais, a família permaneceu pobre.

Dickens, em suas obras, combinou com grande destreza humor, sentimento trágico e ironia, crítica social, descrevendo pessoas e lugares, tanto reais como imaginárias. Em muitas ocasiões, utilizava o pseudônimo de Boz. As obras mais destacadas são: Papéis Póstumos do Clube Pickwick (1836-1837), Oliver Twist (1837-1839), Nicolas Nickleby (1838-1839), Armazém de Ambiguidades (1840-1841), Barnaby Rudge (1841), Canção de Natal (1843), Martin Chuzzlewit (1843-1844), Dombey e Filho (1846-1848), David Coperfield (1849-1850), Casa Desolada (1852-1853), Tempos Difíceis (1854), A Pequena Dorrit (1855-1857), História de Duas Cidades (1859), Grandes Esperanças (1860-1861), O Nosso Amigo Comum (1864-1865) e El Guardavía (1866). Deixou inacabo o seu último romance, The Mystery of Edwin Drood.


 

Pobreza em Londres

Cada fracasso ensina ao homem algo que necessitava aprender.

Em 1822, a família de Dickens se mudou para Camden Town, então um bairro pobre de Londres. Seu pai, John Dickens, tinha um hábito de gastar além da renda da família e isso o levou à prisão por dívidas em 1824, quando Charles tinha apenas 12 anos de idade.

O garoto foi forçado a deixar a escola para trabalhar em uma fábrica perto do rio Tâmisa. Lá, realizava o ingrato trabalho de limpar lareiras e chaminés, convivendo com roedores. Esta experiência iria marcar Dickens para sempre, inclusive em sua obra, onde ele afirma ter se despedido de sua inocência juvenil. Ele se sentiu abandonado e traído pelos adultos que deveriam cuidar das crianças.

Para seu alívio, Dickens retornou à escola quando seu pai recebeu uma herança de família e pagou suas dívidas. Mas, quando tinha 15 anos, teve que abandonar novamente os estudos e trabalhar como office-boy para ajudar na renda da família. Este trabalho, porém, foi o ponto de partida para sua carreira de escritor.

Logo Dickens estava escrevendo como freelancer para tribunais de Londres. Alguns anos depois, contribuía para dois importantes jornais da cidade. Em 1833, começou a enviar desenhos para várias revistas e jornais sob o pseudônimo de "Boz". Em 1836, seus recortes foram publicados em seu primeiro livro, Sketches by Boz. O primeiro sucesso Dickens chamou a atenção de Catherine Hogarth, com quem ele se casou. Ambos tiveram 10 filhos. O casal se separou em 1858.

 

Sucesso com Oliver Twist

Aquele que alivia o fardo do mundo para o outro não é inútil neste mundo.

No mesmo ano em que esboços por Boz foi lançado, Dickens começou a publicar Papéis Póstumos do Clube Pickwick. Sua série de esboços era originalmente escrita como legendas para ilustrações humorísticas do artista Robert Seymour. O trabalho se tornou muito popular entre os leitores.

Neste meio tempo, Dickens se tornou editor executivo da revista Bentley’s Miscellany. Nela, começou a publicar seu primeiro romance, Oliver Twist, que fala sobre a vida de um órfão que vive nas ruas. A história foi inspirada na infância de Dickens, quando se viu forçado a conseguir ganhar seu próprio sustento. O livro foi extremamente bem recebido na Inglaterra e nos Estados Unidos.

Ao longo dos próximos anos, Dickens se esforçou para igualar o nível de sucesso de Oliver Twist. De 1838 a 1841, publicou Nicolas Nickleby (1838-1839), Armazém de Ambiguidades (1840-1841), Barnaby Rudge (1841). Em 1842, Dickens e sua esposa Kate realizaram uma turnê de palestras, ao longo de cinco meses, pelos Estados Unidos. Após o seu regresso, Dickens escreveu American Notes, um diário de viagem sarcástico, criticando a cultura e materialismo norte-americano.

Em 1843, Dickens escreveu o romance Martin Chuzzlewit, uma história sobre a luta de um homem para sobreviver na fronteira americana. O livro foi publicado no ano seguinte. Ao longo dos próximos dois anos, Dickens publicou duas histórias sobre o Natal. Uma delas é o clássico A Christmas Carol (Canção de Natal), que apresenta o protagonista Ebenezer Scrooge, um velho avarento e ranzinza, que, com a ajuda de um fantasma, descobre que o espírito de Natal.

 

Primeira celebridade moderna

Depois de sua primeira turnê pelos Estados Unidos, em 1842, Dickens ganhou tanta fama que pode ser considerado a primeira celebridade moderna. Ele falou de sua oposição à escravidão e expressou seu apoio às reformas sociais. Suas palestras, que começaram na Virginia e terminaram em Missouri, foram um enorme sucesso e havia grande disputa por ingressos.

Por conta de suas críticas ao povo americano durante sua primeira turnê, Dickens lançou uma segunda viagem pelos EUA, entre 1867 e 1868, na esperança de se acertar com o público. Ele fez um discurso carismático, prometendo elogiar os Estados Unidos em novas edições de American Notes e Martin Chuzzlewit. Suas 76 palestras lhe renderam um bom dinheiro, o que hoje representaria mais de US$ 1 milhão. De volta para Inglaterra, Dickens se tornou tão famoso que as pessoas facilmente o reconheciam nas ruas em Londres.

 

David Copperfield, livro favorito de Dickens

Qualquer pessoa é capaz de ficar alegre e de bom humor quando está bem-vestida.

De 1849 até 1850, Dickens trabalhou no livro David Copperfield, considerado uma obra inovadora no seu tempo, pois ninguém havia escrito um romance que simplesmente seguia um personagem através de sua vida cotidiana. Ao escrevê-lo, Dickens trouxe suas experiências pessoais, sua infância difícil e seu trabalho como jornalista. Embora David Copperfield não seja considerado o melhor trabalho de Dickens, o livro era seu favorito.

Durante a década de 1850, Dickens sofreu duas grandes perdas: a morte de sua filha e de seu pai. Ele também se separou da esposa, caluniando Kate publicamente. Ele ainda conheceu uma jovem atriz chamada Ellen "Nelly" Ternan, com quem teve um relacionamento.

 

Visão obscura do mundo

Seus livros, a partir de então, começaram a mostrar uma visão pessimista de mundo. Na obra Casa Desolada, publicado em partes, entre 1852 e 1853, ele lida com a hipocrisia da sociedade britânica. Foi considerado seu romance mais complexo até o momento. Já Tempos Difíceis (1854) se passa em uma cidade industrial no auge da expansão econômica. Outro livro desta época é A Pequena Dorrit, um estudo ficcional de como valores humanos entram em conflito com a brutalidade do mundo.

Deixando o seu lado obscuro, em 1859, Dickens publicou Um Conto de Duas Cidades, um romance histórico contado durante a Revolução Francesa. Seu próximo livro, Grandes Esperanças é sobre uma viagem ao longo da vida do protagonista e de seu desenvolvimento moral. É considerada a maior realização literária de Dickens. Alguns anos mais tarde, ele ainda escreveu Our Mutual Friend, seu último romance completo, que analisa o impacto psicológico da riqueza na sociedade de Londres.

Após sua morte, aos 58 anos, Dickens foi sepultado no Poets' Corner ("Esquina dos Poetas"), na Abadia de Westminster.