Todos os horários

Gladiador morria mesmo lutando? Veja mitos e verdades sobre esses guerreiros

Diferentemente dos roteiros de Hollywood, em que a vida de um gladiador é uma luta por sobrevivência, esses guerreiros eram tratados como atletas de elite na Roma Antiga.

Seu treinamento e estilo de vida eram um verdadeiro investimento para o império. As disputas eram regidas por regras estritas que um juiz e seu assistente faziam cumprir, por isso eles estavam muito mais próximos de uma exibição esportiva do que de uma batalha sangrenta. Por isso, raras vezes morriam em combate.

Embora a maioria dos lutadores fosse recrutada entre os escravos, também havia cidadãos livres que se ofereciam para os combates, seduzidos por uma vida de conforto e de treinamento constante.

A expectativa de vida de um cidadão romano comum era em média 27 anos e a de um gladiador não costumava passar dos 25. Todavia, eles viviam em locais de treinamento, gozando de uma alimentação especial, composta principalmente por grãos, legumes e frutas. Eles tomavam regularmente uma mistura feita de extratos de erva e vinagres, que funcionava como bebida energética.

Até 200 a.C., era permitida a participação de mulheres gladiadoras na arena, que geralmente enfrentavam homens de baixa estatura.

Os combates eram espetáculos enormes e muito populares. Uma boa briga chegava a levar um público de até 50 mil pessoas às arenas. Grafites encontrados na antiga Pompeia mostram que os atletas eram considerados símbolos sexuais pela população.

 

 


Fonte: BBC
Imagem: FXQuadro/Shutterstock.com

A REBELIÃO DOS BÁRBAROS - Alarico e o saque de Roma

Descubra tudo sobre o saque de Alarico feito em Roma.

A REBELIÃO DOS BÁRBAROS - Aníbal

Conheça a história de Aníbal, um dos guerreiros mais temidos por Roma.

A REBELIÃO DOS BÁRBAROS - Fritigerno e a batalha de Adrianópolis

Conheça a história de Fritigerno, um dos guerreiros da tribo dos Godos.

A REBELIÃO DOS BÁRBAROS - Armínio, o filho roubado

Conheça a história de Armínio, o filho roubado por Roma.

A REBELIÃO DOS BÁRBAROS - O legado Bárbaro

Descubra todos os mitos e verdades sobre os Bárbaros.

A REBELIÃO DOS BÁRBAROS - Espártaco e a rebelião dos escravos

Conheça mais sobre Espártaco, um dos guerreiros da tribo dos Trácios.

A REBELIÃO DOS BÁRBAROS - Viriato, o guerrilheiro

Conheça mais sobre Viriato, um dos guerreiros da tribo dos Celtiberos.

EP. 8 RUÍNA

Os hunos surgem do Oriente e lançam o mundo antigo no caos. Átila toma o poder e inicia um reinado de destruição, com uma investida após a outra, lutando em muitas frentes. Em meio ao caos, Genserico, o último grande líder bárbaro e rei do cálculo e da astúcia dos vândalos, se torna o arquiteto da destruição de Roma.

Os hunos surgem do Oriente e lançam o mundo antigo no caos. Átila toma o poder e inicia um reinado de destruição, com uma investida após a outra, lutando em muitas frentes. Em meio ao caos, Genserico, o último grande líder bárbaro e rei do cálculo e da astúcia dos vândalos, se torna o arquiteto da destruição de Roma.

RETROCESSO

O Império Romano se torna a primeira superpotência do mundo, mas cresceu tanto que é agora mais um ponto fraco do que uma superioridade, e o custo de manter os bárbaros na baía é alto. Roma se divide em dois impérios, Oriente e Ocidente, cada um com seu imperador. Alarico conduz seu povo às portas de Roma, realizando o primeiro de uma série de ataques mortais contra o poder imperial. Os bárbaros se movem passo a passo para impedir o avanço da expansão romana.

O Império Romano se torna a primeira superpotência do mundo, mas cresceu tanto que é agora mais um ponto fraco do que uma superioridade, e o custo de manter os bárbaros na baía é alto. Roma se divide em dois impérios, Oriente e Ocidente, cada um com seu imperador. Alarico conduz seu povo às portas de Roma, realizando o primeiro de uma série de ataques mortais contra o poder imperial. Os bárbaros se movem passo a passo para impedir o avanço da expansão romana.